Na lista entre os 30 melhores países para se viver, a França é um dos países mais procurados por brasileiros, devido à qualidade de vida e os benefícios oferecidos para aqueles que lá vivem. Porém, não basta fazer as malas e pegar o primeiro voo para Europa. Quer saber o que é preciso para morar na França? Então confira esse post e descubra tudo o que é preciso para (re) começar a sua meta ou sonho de vida.

Apesar das últimas notícias sobre o país ter sido os ataques terroristas, não é possível dizer que o país deixou de ser um bom local para se viver. Foi um trágico ocorrido, mas se você ainda tem vontade de morar na França, não desista. Essa pode ser a chance que você estava à espera. Só guarde um conselho: a melhor forma de emigrar para um país é estando dentro da lei.

Como morar na França

A primeira coisa que você precisa saber para ir morar na França é que, sem o visto em mãos, você só conseguirá se for um cidadão europeu ou ter descendência francesa (neste último caso, você precisará ainda reconhecer e solicitar a cidadania do país). Sendo assim, há algumas possibilidades: estudos, trabalho, casamento, permanente, empreendedor/artista. Essas opções podem render um visto de longa duração, mas não são garantias.

O visto de estudante

Para aqueles que desejam estudar e morar na França podem solicitar um visto de acordo. Aproveitamos para adiantar que o processo francês também envolve certa burocracia. Mas tem uma vantagem. O estudante tem permissão de trabalho, desde que não exceda uma média de 17 horas semanais.

É possível fazer, desde um curso de francês ao doutorado no país. Para isso, a Embaixada solicita, entre os documentos habituais, comprovante de renda válido durante todo a estadia, além da matrícula no instituto que você irá estudar. Em alguns casos, podem inclusive exigir o pagamento total do curso para que o visto seja concedido.

Veja também: Como estudar na França: vistos, empregos e mais

O visto detrabalho

Muitas pessoas tem a ideia de que, para morar na França, basta ir para o país, como turista – já que não há necessidade de visto para brasileiros durante um período de 90 dias – e lá, procurar um emprego para se sustentar e então solicitar o visto para residir legalmente.

Não aconselhamos esse tipo de abordagem, pois a Embaixada deixa bem claro que, esse processo não é permitido e o visto não é concedido. Portanto, o caminho correto é buscar por emprego do Brasil e então, solicitar uma carta de contrato para que seja possível solicitar o visto para trabalhar e morar na França.

Veja também: Como achar emprego na França e ter um visto de trabalho

Casamento com cidadão europeu

Não caia no velho mito de que, para morar na França, basta casar com um francês. Se fosse tão simples assim, já não haviam pessoas solteiras nesse mundo. Principalmente devido a vontade das pessoas de morarem em outros países. Existem uma série de processos e documentos que devem ser apresentados e estados comprovados antes que uma cidadania seja concedida nestas condições. O que não exclui a possibilidade de você adquiri-la, caso encontre o amor da sua vida, na eterna cidade romântica.

Caso você já seja casado(a) com um cidadão da união europeia (inclusive francês) é preciso apresentar o documento original (certidão de casamento) para que a mesma seja validada. Caso tenha encontrado o amor da sua vida no país e decidiu assim, morar na França, é preciso apresentar o documento, ou uma prova de relacionamento duradoura ou até mesmo união de facto. Em todos esses casos, o órgão responsável pelo visto irá avaliar a situação, em conjunto com a o seu parceiro (a) para decidir se concede ou não a autorização. Nestes casos, pode ser necessário apresentar não apenas a certidão de casamento, mas outros documentos específicos (como por exemplo comprovativo de residência, situação financeira para se manterem e ligações de trabalho/estudo com o país).

  • Passaporte Válido
  • Prova de que reside no país (vínculos)
  • Prova do laço familiar / união de facto duradoura

Neste caso é emitido um documento de residência de um familiar de um cidadão europeu e tem a validade de 5 anos ou igual a duração prevista da sua estadia no país.

Residência permanente

Este é concedido a qualquer cidadão que esteja a morar na França, legalmente independente do tipo de visto, por cinco anos ininterruptos. A partir desse tempo no país, a residência é gratuita (ou tem o valor do documento do país, assim como para qualquer cidadão francês) e tem a mesma duração: 10 anos. A parti daí ele passa a ser renovável sem quaisquer condições ou requisitos. As condições para ter a residência continuada é:

  • Ter ausências temporárias inferiores a 6 meses por ano;
  • Ter ausências prolongadas em caso de serviço militar obrigatório;
  • Ausência de 12 meses consecutivos (no máximo) por motivos relevantes como gravidez, parto, doença grave, formação profissional ou destacamento profissional em outro país.

Se, por acaso você viver por dois anos fora do país de acolhimento, neste caso a França, poderá perder o direito de residência permanente.

Artistas e Empreendedores

Assim como nos casos acima, além dos documentos necessários para emissão de visto para morar na França (visto de longa duração), nestes dois casos específicos a solicitante deve apresentar documentos que comprovem, no caso dos artistas, um projeto concreto no país e rendimentos financeiros suficientes para tal temporada. No caso dos empreendedores, é preciso comprovar que o negócio/empresa irá gerar emprego no país. Além disso, também é preciso apresentar o comprovativo da quantia necessária para abertura e manutenção de tal negócio.

O que é preciso para dar entrada no visto de residência na França

Nos links que citamos acima, para estudar e trabalhar na França há os documentos necessário para cada uma das respectivas solicitações. De qualquer forma, existem alguns documentos e processos que são básicos para emigrar, tanto para França, quanto outros países da Europa. O que você deve estar atento é aos documentos específicos, como por exemplo, estudos/carta de aceite; trabalho/carta contrato; residência/certidão de casamento e assim por diante:

  • Passaporte válido (mínimo de seis meses)
  • Comprovante de residência (Brasil)
  • Comprovante de residência (França – aluguel ou carta convite acompanhado dos documentos desta pessoa)
  • Seguro de Saúde
  • Comprovantes Financeiros (conta bancária, imposto de renda ou contra-cheque, por exemplo)
  • Documento de motivo de pedido de visto
  • Formulário correspondente ao tipo de pedido de visto
  • Agendamento

Essas informações podem ser consultadas diretamente no site da Embaixada da França no Brasil, seus respectivos Consulados e representantes legais. No final do artigo, você poderá ver a localização/endereço e respectivos sites para consulta de informação e agendamento.

Custo de vida para morar na França

Agora que você já sabe como que faz para conseguir morar na França, é preciso saber se essa opção é realmente viável e de acordo com as suas expectativas. Já parou para pensar quanto custa morar no país? E qual deve ser o seu salário ou rendimento mensal para conseguir se sustentar?

É muito importante levar em consideração essa etapa do planejamento. Primeiro pelo fato de que para conseguir um visto é preciso provar rendimentos para se manter no país e segundo que, se você está na busca por uma vida melhor, será muito sofrido, desgastante ou até mesmo decepcionante se a sua experiência no país for de necessidades básicas restritas.

O salário mínimo nacional no início de janeiro de 2015 é de 1.430€ mensais. De acordo com o site oficial da Embaixada e do CampusFrance (responsável pelas informações sobre estudar na França) a média de gastos para se manter no país, mensalmente, é entre 600€ e 1.000€ mensais. Em uma comparação rápida, entre São Paulo e Paris, pode-se dizer que a capital francesa é 47% mais cara. Porém, é preciso considerar o salário e os gastos. Veja os dados obtidos através do Numbeo:

  • Apartamento no Centro: entre 800€ e 1.110€
  • Apartamento fora do Centro: 500€ e 789€
  • Transporte Mensal: 70€
  • Contas (água, luz, aquecimento, recolha lixo e internet): entre 150€ e 205€
  • Mercado: entre  250€ e 350€
  • Total morando no Centro: entre 1.270€ e 1.735€
  • Total morando nos arredores: entre 970€ e 1.414€

A conclusão, neste caso, passa a ser bem notável e direta: dependendo do seu modo de vida e escolhas para morar na França, pode ser que um salário mínimo não seja suficiente. Mas caso você seja uma pessoa econômica, é possível fazer, inclusive, um pé-de-meia. Mas lembre-se que nestas contas não foram incluídos gastos extras como assistência médica e lazer, por exemplo.

Sites da Embaixada, Consulados e representantes legais no Brasil

Embaixada da França no Brasil

SES Av. das Nações – Lote 04, Quadra 801 – CEP 70404-90, Brasília-DF

Consulte o site.

Consulado da França em São Paulo

Av. Paulista, 1842 – Torre Norte, 14º Andar – CEP 01310-923, São Paulo-SP

Consulte o site.

Consulado da França em Recife

Av. Conselheiro Aguiar, 2333 – Ed. João Roma, 6°Andar, Boa Viagem – CEP 51020-020, Recife-PE

Consulte o site.

Consulado da França no Rio de Janeiro

Avenida Presidente Antônio Carlos, 58 – CEP 20020-010, Rio de Janeiro-RJ

Consulte o site.

Aracajú – www.afaju.com.br

Rua Pacatuba, 288 -A- Centro

Belém – www.afbelem.com

Travessa Rui Barbosa, 1851 – Batista Campos

Fortaleza – www.aliancafrancesa-fortaleza.com.br

Rua Catão Mamede, 900 – Aldeota

Goiânia – www.afgoiania.com.br

Rua 145, nº 424 – Setor Marista

João Pessoa – afjoaopessoa.com.br

Av. Gen. Bento da Gama, 396 – Torre

Juazeiro do Norte – www.schoenberg.com.br

Rua Edward Mclain, 05 – Santa Tereza

Maceió – www.afmaceio.com.br

Av. Humberto Mendes, 250 – Jaraguá

Manaus – www.aliancafrancesamanaus.com

Rua:Lauro Cavalcante, 250 – Centro

Natal – www.afrnatal.com

Rua Potengi, 459 – Petrópolis

Recife – www.af.rec.br

Rua Amaro Bezerra, 466 – Derby

Salvador – www.afbahia.com.br

Av. Sete de Setembro, 401 – Vitória

São Luís – www.afsaoluis.com.br

Rua do Giz,nº139 – Praia Grande

Veja também:

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.