Um dos países mais devastados pela Segunda Guerra Mundial é hoje um exemplo de segurança e qualidade de vida. Morar na Polônia, atualmente, é fazer parte de uma das nações que mais cresce economicamente dentro da União Europeia.

Com mais de 1.500 brasileiros morando no país (estimativa de 2014 do Itamaraty), as possibilidades de se estabelecer começam tanto pelos estudos, referenciados e de qualidade, quanto pelas oportunidades de emprego (para fluentes em português, polonês ou inglês).

Apesar de ser um país referência para estudar e trabalhar, muitos brasileiros desistem de residir devido as condições climáticas. A maior parte do ano o tempo é frio, com a presença de geadas e neve. Quando na época do verão, poucos são os dias de calor e, o restante, mais ameno.

Como morar na Polônia

Para os brasileiros que desejam conhecer a Polônia e ficar no país por um período inferior a 90 dias não é preciso fazer a solicitação de visto. Porém, há alguns pré-requisitos que deverão ser respeitados. E, um deles determina que, a isenção de visto só é válida para aqueles que viajam a turismo, visita a familiares, negócios e participação em seminários e conferências não remunerados.

Já para quem deseja permanecer por um período igual ou superior e morar na Polônia, seja a trabalho ou estudos deve fazer o pedido de visto. A Embaixada da República da Polônia em Brasília fica na Avenida das Nações, quadra 809, Lote 33. Os contatos são (61) 3212-8000 e [email protected] . No próprio site é possível consultar os endereços e contatos dos consulados honorários da Polônia no Brasil. As marcações e pedidos de vistos devem ser feitos online e o passo a passo, de acordo com o próprio site, é descrito neste formulário.

Nestes casos, o pedido deverá ser o Visto Nacional, que significa de longa duração. A taxa é de R$ 269. As demais taxas podem ser aqui e outras informações aqui. Os documentos comuns que deverão ser apresentados no dia da entrevista (original e cópia) são:

  • Passaporte válido (pelo menos três meses após a data de saída da Europa);
  • Duas fotos tipo passe (biométricas);
  • Formulário de pedido de visto impresso e assinado (preenchido online);
  • Apólice de seguro de saúde válido em todo espaço Schengen para o tempo de viagem e a estadia na Europa, com valor mínimo de cobertura de 30.000€;
  • Reservas das passagens de ida e volta;
  • Taxa consular (pagamento no dia da entrevista, em dinheiro).

Dependendo do caso e do tipo de visto solicitado, a Embaixada ou o consulado pode solicitar mais documentos para obtenção de visto, assim como o comprovativo de domínio da língua (polaco ou inglês).

Trabalhar na Polônia

Um dos fortes da economia polonesa está as atividades de extração mineral, principalmente o carvão. A indústria de aço, elétrica e de construção naval também são representativas no país e movimentam a economia. A taxa de desemprego chega a ser de apenas 7,5%, menor do que a média da Zona do Euro, de 11,5% – de acordo com as estatísticas de 2015 divulgadas pela EU.

Para trabalhar na Polônia é preciso, além dos documentos citados acima, solicitar a permissão para contratação de estrangeiro que, em polonês é Zezwolenie – Work Permit. Para tal é preciso que seja emitido um documento pelo Governador da Província em que pretende trabalhar (Wojewoda), juntamente com o contrato de trabalho por parte da empresa.

De acordo com o site da Embaixada, recomenda-se que seja feito um seguro de saúde para os primeiros meses em território polonês, até que o seguro nacional feito pela empresa comece a valer.

Estudar na Polônia

Para quem deseja estudar na Polônia existem vários programas oferecidos pelo governo como o Ready, study, go! Poland, Study in Poland e StudyFun Poland. As informações sobre cada tipo de curso, seja de línguas ou graduação podem ser consultadas nos respectivos sites, assim como o processo de candidatura e matrícula.

Os documentos necessários para além dos citados anteriormente são:

  • Comprovante de matrícula no curso pretendido emitido pela instituição;
  • Declaração de bolsa ou declaração de compromisso dos pais em arcar as despesas – viagem, estudo e estadia – reconhecido em cartório ou comprovativo de economias suficientes para subsistência no país (conta bancária ou imposto de renda).

Para os brasileiros (não cidadãos da EU) só é permitido trabalhar a tempo integral durante os meses de julho, agosto e setembro (férias). É possível solicitar a autorização de trabalho, porém, a mesma só será concedida caso não haja nenhum cidadão da EU para preencher a vaga. Os alunos que possuírem autorização de residência (não apenas de estudos) podem trabalhar sem ter que passar por este processo.

Custo de Vida

De acordo com o site Ready, study, go! Poland (que contabiliza os valores em euro) o custo médio de vida dos estudantes que vão para morar na Polônia é um dos mais baratos da E+uropa e varia entre 300€ e 550€ mensais. De acordo com os gastos divulgados, a despesas com apartamento rondam em torno dos 80€ e 150€ (quarto em apartamento compartilhado) e a alimentação entre 100€ e 150€. Já o site Numbeo, o custo de um apartamento de um quarto varia entre 380€ e 502€ na capital Varsóvia.

A moeda oficial do país é o Zloty. Levando em consideração a conversão dos valores médios para morar na Polônia, 300€ equivale a ZŁ 1.284 e 550€ equivale a ZŁ 2.354. Sendo assim, fica mais fácil perceber qual serão os gastos de um trabalhador, sendo que o salário mínimo praticado no país é de ZŁ 1.850 (bruto). De acordo com o Numbeo, a média salarial é um pouco maior, sendo de ZŁ 3.518.

Vale a pena mudar para lá?

Não só pela diversidade cultural ou pelas oportunidades de emprego e estudo, morar na Polônia pode ser uma boa aposta de vida. Apesar de ser um país de clima mais frio, diferente do Brasil, a qualidade de vida, segurança e os salários oferecidos acabam por ser encorajadores.

A língua pode ser um entrave, mas com a dedicação necessária é possível se adaptar. Para aqueles que já falam inglês, torna-se muito mais fácil, tendo em consideração que boa parte das empresas adotam a língua como forma de comunicação.

Curiosidades

A cidade da Cracóvia é uma das mais visitadas do país devido aos seus 60 Km de território de campo de concentração nazista, Auschwitz-Birkenau, um local em memória a todos que sofreram com o Holocausto. Lá é possível visitar as instalações e conhecer um pouco mas desse passado tenebroso.

Gostou desse post? Compartilhe e acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Facebook      Nosso grupo      Twitter    Youtube

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito por e para brasileiros apaixonados por conhecer outras culturas, viagem, gastronomia e para quem sonha em morar fora.

Artigos Relacionados