Quando nos deparamos com o caso de alguém que foi barrado na imigração logo começamos a nos preocupar se o mesmo acontecerá conosco na próxima viagem. Não há como ter cem por cento de certeza de que nunca teremos problemas, mas há sim uma série de ações que podem ser tomadas antes e durante a passagem na imigração.

Providencie passagem de ida e volta

Mesmo que você esteja tirando um ano sabático, o ideal e, por vezes, necessário, é sempre ter uma passagem de volta para seu país em mãos. Mesmo que depois seja preciso alterar a data ou a cidade de partida, isso facilitará sua entrada em outro país, ainda mais naqueles que os brasileiros não são bem-vistos logo de cara por estarem na mira da polícia que tenta impedir a imigração ilegal.

Tenha as reservas de hotéis ou carta-convite em mãos

Não adianta falar que seu amigo de infância está te esperando do outro lado do aeroporto. O agente policial não vai querer saber das fotos que têm juntos. Ele vai querer mesmo é que você apresente uma carta-convite contendo o nome, endereço, documentos e outras informações importantes de quem convida.

Caso você vá ficar em hotel, hostel ou casa alugada, será o comprovante de reserva que pode ser pedido.

Prove que tem dinheiro suficiente: extrato bancário, dinheiro vivo e cartões de crédito

Mesmo tendo apresentado os dois itens anteriores, não é indicado de forma alguma viajar sem uma quantidade de dinheiro suficiente para todos os dias de sua estada em território estrangeiro. Dizer que vai receber uma quantia X no dia Y também não deve ajudar.

Normalmente os próprios países divulgam qual é o montante mínimo que podem solicitar comprovação por cada dia no país. É possível verificar esta informação antes de sua viagem no site do consulado ou embaixada do país no Brasil ou outro país que esteja residindo.

O ideal é ter parte do valor em dinheiro e o demais em cartões pré-pagos, de crédito ou mesmo na conta bancária. Lembre de levar consigo um comprovante do valor, como um extrato bancário recente.

Mostre que tem vínculos com o país de origem

Tudo que o agente da imigração quer é que fique claro que você veio, mas volta para algum lugar. Por isso, se assegure de ter consigo algum documento que comprove vínculo estudantil, de trabalho, ou qualquer coisa que deixe claro que você possui razões suficientes para voltar para o Brasil.

No caso de quem é aposentado, basta ter todos os outros documentos anteriores que deve bastar. O foco dos interrogatórios mais intensos e olhares desconfiados é mais frequente para com os jovens e, principalmente, os que viajam sozinhos – mulheres devem ter atenção e precaução dobrada.

Seja educado e se mantenha calmo o tempo todo

Não importa quanto tempo pretenda ficar no país que está visitando, se está com a família ou sozinho, seja sempre educado e mantenha a calma caso não entenda o que o oficial perguntar ou se notar que ele está fazendo mais perguntas para você do que para os outros viajantes.

Na maioria dos casos, quem não deve não precisa temer. Basta fazer o que for possível para não deixar dúvidas sobre sua intenção no país e, assim, esperar ter sua passagem permitida e uma ótima viagem.

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito por e para brasileiros apaixonados por conhecer outras culturas, viagem, gastronomia e para quem sonha em morar fora.

Artigos Relacionados