All inclusive: o que é e quando vale a pena?

Se você viaja com alguma constância, ou se ao menos realizou algumas cotações por aí, certamente já se deparou com o termo “all inclusive” – o que te pareceu realmente tentador. Mas será que optar por essa modalidade é mesmo a alternativa mais econômica? Descubra o que significa esse sistema e quando ele realmente vale a pena.

All inclusive: o que é?

Erroneamente, o sonoro termo em inglês que, em tradução livre significa “tudo incluso”, não tem nada de luxo, uma vez que remonta ao bom e velho self-service (até mesmo com direito a fila no buffet). Na prática, com exceção de alguns hotéis luxuosos, esse sistema funciona com o único propósito de controlar o valor que o hóspede irá pagar na hora do check-out, evitando exorbitâncias inesperadas.

Basicamente, o sistema all inclusive popularmente vendido em hotéis, resorts e até mesmo cruzeiros, consiste em cobrar uma única taxa por toda a comida e bebida que o hóspede consumirá durante a sua estadia. Isso inclui café da manhã, almoço, jantar, e o que mais desejar pedir no bar ou restaurante ao longo do dia.

Entretanto, variando conforme o padrão do estabelecimento e do serviço oferecido, muitas vezes o all inclusive pode não ser tão “all” assim, ficando o hóspede limitado a determinado grupo de bebidas e alimentos, prontos e disponíveis que, podem ou não, ser o esperado.

Portanto, ainda que seja permitido consumir o quanto quiser, dentro dessa determinação de itens, fica-se restrito à variedade – drinks elaborados e pratos sofisticados certamente não farão parte do menu.

Lembrando que nesse sistema estão inclusos somente os custos pré-estabelecidos com bebidas e alimentação. Quaisquer outros serviços ou instalações solicitadas no estabelecimento, como Spas por exemplo, são cobrados à parte.

Quando vale a pena?

Se estivermos nos baseando somente pelo trecho anterior, pode parecer que contratar uma hospedagem all inclusive não seja a melhor das ideias. Pelo contrário, é preciso saber quando esse sistema valerá a pena – e são muitas as ocasiões.

Em primeiro lugar, independente das próximas recomendações, optar pelo all inclusive, seja em um hotel, em um resort ou em um cruzeiro, vale a pena quando a própria hospedagem é o foco da viagem. Ou seja, se você pretende usufruir das instalações e não tem planos de sair dali para se divertir aos arredores, o all inclusive poderá lhe cair bem.

Em adição ao primeiro perfil, chegam ainda as crianças e adolescentes. No caso dos resorts, por exemplo, fechar um pacote all inclusive para o conforto dos pequenos é fundamental para que os pais não se assustem com os gastos imprevistos que podem surgir na hora do check-out.

A terceira ocasião, e que pode também vir acompanhada das duas anteriores, é o fato deste sistema ser indicado especialmente para pessoas que apresentem algumas particularidades, como no caso de um grupo com gostos muito incompatíveis entre si, indivíduos com restrições alimentares e, claro, para aqueles que são bons de copo. Basicamente, um buffet all inclusive é estabelecido para agradar a todos os paladares. Ninguém sairá de estômago vazio dali.

E quando não vale a pena? Vamos supor que o seu destino de viagem consiste em uma cidade turística, e a hospedagem está localizada em meio a uma série de atrações locais – você vai ficar trancafiado no hotel ou vai explorar a cidade? Se escolher a segunda alternativa, certamente o all inclusive não será uma escolha econômica, já que haverá gastos com comida e bebida também fora do hotel. Portanto, se usufruir do quarto, restaurantes e demais áreas comuns durante a estadia não estiver entre as suas prioridades, procure economizar nessa parte da viagem para poder gastar com pontos turísticos e restaurantes locais.

Outra ressalva fica para aqueles que fazem questão de serem servidos pelos garçons, inclusive à beira na piscina. No all inclusive é cada um por si, e nada de ter tudo o que quer, na hora que bem entender.

Resort All Inclusive

Foto: PortoBay Hotels & Resorts

Quanto custa?

Agora que os perfis foram estabelecidos, resta saber qual é o custo dessa visível vantagem durante uma viagem – seja ela nacional ou para o exterior.

Em geral, os pacotes all inclusive mais recomendados para quem deseja usufruir ao máximo da economia estão situados em resorts. Como exemplo, o cinco estrelas Iberostar costuma ser o mais requisitado nesse sentido; já no quesito cruzeiros, somente os navios Pullmantur oferecem esse sistema, por preços a partir de R$ 309, por pessoa.

A seguir, confira os valores de alguns resorts populares e que praticam os pacotes all inclusive. Os valores foram levantados pelo Booking em 14 de Fevereiro para datas entre 24 e 28 de Março de 2017 – totalizando quatro diárias.

Iberostar Praia do Forte: para quatro diárias neste resort cinco estrelas, o valor total para dois adultos é encontrado em R$ 5.510. O quarto possui banheira e vista para o mar e o resort dispõe de 5 restaurantes à la carte de cozinhas regional, oriental ou internacional, além de bares com bebidas nacionais e importadas.

É possível conseguir valores mais acessíveis em suítes Standart; verifique a disponibilidade de reservas.

Hard Rock Hotel Cancun: em um considerável upgrade, estamos na rede de hotéis Hard Rock, presente na cidade de Cancun e a 4 minutos a pé da praia. Para dois adultos, o custo de 4 diárias é de R$ 7.142 em quarto Deluxe, com cama King-Size Gold – precisa mais?

O resort à beira-mar no sistema all inclusive oferece 5 opções em restaurantes gourmet, sendo eles: Zen, para comidas asiáticas; Ciao, de culinária italiana; Ipanema, brasileira e steakhouse; The Market, de cozinha internacional; Frida, mexicana; e Pizzeto que, como o nome sugere, serve pizzas. Todos os restaurantes, com exceção ao The Market, são à la carte.

Vila Galé Marés: também para os mesmos dias de estadia, o Vila Galé, um dos mais populares resorts nacionais, está localizado à beira-mar da Praia de Guarajuba. Apesar de cinco estrelas, o valor da reserva não assusta, e por R$ 2.898 é possível ficar em um chalé “apartamento família” durante 4 dias.

O resort oferece restaurantes nos sistemas à la carte e buffet, além do bar e opções de buffet para crianças.

Paradisus Punta Cana Resort: como falar em resorts de luxo sem citar Punta Cana? Com 12 restaurantes, além de atividades como preparo de sushis e degustação de vinhos, o Paradisus possui valores a partir de R$ 5.720 para dois adultos, no período compreendido entre 24 e 28 de Março.

Estão a serviço dos hóspedes all inclusive restaurantes como o Fuego, de culinária latino-americana; o The Grill, para steakhouse e churrasco; o Passion e Aqua, ambos com serviço à la carte.

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem