5 dicas para viajar barato na Europa

Após muito tempo de economia, finalmente a sua grande viagem para o “Velho Mundo” está prestes a acontecer. Porém, mesmo com o travel money recheado, é possível viajar barato na Europa sem que isso interfira no conforto ou na sua experiência fora do país – visitar mais atrações ou comprar mais souvenires são apenas alguns dos benefícios dessa economia.

5 dicas para viajar barato na Europa

Não é preciso ser nenhum expert para viajar barato na Europa. Afinal, a simples regra da pesquisa e do planejamento já tem a capacidade de poupar alguns euros bem doídos na hora da conversão.

As dicas são simples, mas muitas vezes passam despercebidas por muitos viajantes, que acabam por comprar passagens ou efetuar reservas sem antes observar detalhes, ignorando alternativas capazes de promover o mesmo resultado, gastando muito menos. Com base nesse princípio, conheça cinco dicas que poderão tornar a sua viagem à Europa, a primeira de muitas experiências completas, mas sem desfalcar o orçamento.

1. Pesquisa, pesquisa e mais pesquisa

A começar pelas passagens aéreas, é importante se planejar com alguns meses de antecedência para garantir promoções e tarifas mais baixas que as praticadas na véspera. Em geral, de 2 a 5 meses antes da viagem são intervalos onde as companhias conseguem os melhores preços ao consumidor, basta ficar atento aos períodos de alta temporada no país de destino, para não gastar mais do que deveria.

Por outro lado, se a intenção é cruzar vários países em sua jornada pela Europa, escolha o destino mais barato como porta de acesso ao continente e o atravesse por meios alternativos e mais em conta. Nesse caso, tenha atenção para os países membros do Tratado de Schengen e a política de vistos de turismo para cada localidade.

2. Faça do low cost seu aliado

Uma das grandes vantagens para quem quer viajar barato na Europa é a existência de uma série de companhias aéreas de baixo custo no continente, oferecendo os famosos voos low cost. Com elas, viajantes que pretendem cruzar vários países acabam economizando mais quando optam por passagens aéreas do que trajetos realizados por trens ou ônibus.

Para conseguir promoções substanciais, entretanto, é preciso ser flexível com datas e horários. E se você está com a agenda livre, existem companhias como a Ryanair, onde costuma-se encontrar passagens por até 15 euros para determinados trajetos – mas tenha cuidado com as taxas.

Além dela, outra companhia semelhante é a EasyJet, com excelentes preços para curtos trajetos. Outras opções estão em empresas como a Vueling, low cost da Iberia, e German Wings, da Lufthansa, mas nestes casos os preços não são tão low assim. Para Alemanha e arredores, uma última sugestão está na AirBerlin, atuando de forma independente no país.

De qualquer maneira, antes de bater o martelo por uma dessas empresas low cost, pesquise, compare e fique atento às taxas de embarque e de bagagem, que podem tornar essa viagem mais cara do que estava realmente anunciado. Para realizar esse comparativo, utilize plataformas como Google Flights ou MATRIX, um sistema simples, mas de algoritmos realmente eficazes.

3. Locomova-se por meios alternativos

Transportes de trem, aluguéis de carros e bicicletas podem ter um melhor custo-benefício do que transitar de táxi ou ônibus, por exemplo. Isso não quer dizer que os ônibus precisam ser descartados se a grana está curta, já que esse é definitivamente o meio mais barato de se viajar.

A ressalva para optar por esse meio deve ser considerada preferencialmente para trajetos curtos e seguros, já que tais viagens são longas e cansativas, e estações rodoviárias ou pontos de ônibus podem ser difíceis de ser encontrados dentro dos centros urbanos em determinados países. Porém, se não abre mão das rodovias, bons resultados estão nos sites Eurolines e Megabus.

Em adição aos meios de transporte para uma viagem barata, o sistema ferroviário do Velho Mundo pode te surpreender se deseja conhecer um país de norte a sul ou viajar entre nações pelos trilhos, aproveitando cada segundo em paisagens deslumbrantes. Para planejar o seu itinerário, organize datas, horários e valores através de portais como a RailEurope.

Observação valiosa: ainda que a RailEurope costume apresentar os melhores preços, tire a dúvida e pesquise pelo mesmo trajeto diretamente no site da empresa que opera o trecho pretendido (o nome da mesma irá aparecer assim que realizar uma busca através da RailEurope), comparando ambos os resultados.

4. Hospede-se em hostels ou couchsurfing

Chamados de albergues, em tradução livre, os hostels são os meios mais baratos de hospedagem, sem abrir mão do conforto e, muitas vezes, de algumas regalias. Nestes locais, o viajante tem a opção de ficar em quartos compartilhados, geralmente com opções para dividi-lo com quatro, seis, oito ou mais pessoas e o custo dificilmente ultrapassa os R$ 40.

Se prefere ter mais privacidade, esses estabelecimentos também oferecem quartos privativos, alguns deles até mesmo com banheiro individual. E o custo? Consideravelmente inferior a uma diária em hotel.

Nesses espaços, além de economizar, você pode fazer amizade com pessoas de todas as partes do mundo, bem como aprender a cozinhar, já que muitos hostels oferecem uma cozinha ou equipamentos para que prepare sua própria comida. Ficou curioso? Comece a pesquisar a hospedagem que tem mais a sua cara e orçamento através do site Hostelworld.

E o couchsurfing? O que seria? Direcionado a viajantes mais desprendidos ou mesmo mochileiros, o sistema de couchsurfing consiste na cessão de uma cama, um quarto ou um pedaço da casa ao hóspede, em troca de uma quantia bastante módica. Para encontrar opções nestes moldes, o portal Couchsurfing ou o AirBnb são especialistas para prover as melhores opções no quesito. Através dessas plataformas, o viajante tem, principalmente, a possibilidade de efetuar suas reservas com segurança.

Por fim, em alguns casos, anfitriões e hostels abrem as portas também com a finalidade de trocar experiências e conhecer gente nova. Para esses perfis, costuma-se anunciar junto aos quartos, dados como a troca de hospedagem por serviços, o que inclui trabalhos com recepção, arrumação, bartender ou mesmo gestão das redes sociais do estabelecimento. Essas vagas podem ser encontradas através do Worldpackers.

5. Faça compras e, cozinhe!

Agora que você já descobriu que é possível cozinhar e ainda economizar na hospedagem, para viajar barato na Europa, dotes culinários serão postos em prática.

Não, isso não quer dizer que você terá de abrir mão de uma deliciosa Paella espanhola, um Bacalhau à Braga português ou uma cerveja acompanhada do Wurst alemão. Com a opção de preparar a sua própria comida, a degustação dos pratos típicos fica reservada para momentos especiais; no dia a dia, vá ao mercado e compre ingredientes para cozinhar no hostel. E se tiver descolado aquela diária com café da manhã, mais um ponto a favor do seu bolso!

Caso não esteja hospedado em um albergue, existem alguns hotéis que possuem uma pequena cozinha nos quartos, onde é preciso pagar uma taxa extra para “habilita-la”. Antes de viajar, consulte sobre essa disponibilidade e o custo de utilização da mesma.

Gostou desse post? Compartilhe e acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30"]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/[/su_service]h6>

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos