Morar em Lisboa em 2019: tudo sobre custo de vida, trabalhar e mais

Quem cogita morar em Lisboa, deve fazer o mesmo que faria se o destino fosse outro: pesquisar. Mudar de país requer sempre muita pesquisa e planejamento e não dá para tomar decisões baseadas apenas em ideias ou opiniões.

A capital portuguesa tem sido muito procurada não apenas por brasileiros nos últimos anos, mas por uma série de estrangeiros de outras nacionalidades. O atrante custo de vida, quando comparado com o de outras cidades da Europa, a segurança e o clima são alguns dos principais motivos que levam muitos a decidir morar em Lisboa.

Tudo sobre morar em Lisboa em 2019

Quem decidir morar em Lisboa deve preparar-se para conviver em uma capital que, apesar do ar de cidade pequena, é bastante cosmopolita e diversa. Afinal, a cidade concentra quase 70% da população nacional de estrangeiros, um número que vem aumentando ano após ano. Para os brasileiros, o fator idioma ainda faz com que a cidade tenha mais pontos a favor. No entanto, nem tudo são flores. Lisboa está cada vez mais cara e tem os seus “problemas de cidade grande”.

O Já Fez as Malas? reuniu alguns dos principais pontos sobre a vida em Lisboa e fez uma espécie de guia que pode ser útil para quem está considerando mudar-se para solo lisboeta.

Visto

O tipo de visto necessário para morar em Lisboa depende do objetivo da estadia. Qualquer pessoa que vá ficar menos de 90 dias e que não objetive exercer um trabalho remunerado, pode ficar encaixado na categoria de turista, não necessitando de uma autorização prévia. Se o motivo da viagem e a duração forem outros, é preciso verificar que visto será o mais adequado para o caso.

É possível ir como estudante, trabalhador, investidor, empreendedor e até mesmo aposentado e/ou para viver de rendimentos. Cada situação pede documentos específicos, mas, de uma forma geral, são aqueles que comprovam motivo pelo qual se está no país e qual será a forma de sustento financeiro durante esse período.

Com a grande vaga de brasileiros indo para Portugal atualmente, os consulados estão abarrotados e os pedidos de vistos multiplicaram. Será necessário ter muita paciência para possíveis filas e atrasos durante o processo.

Custo de vida

Apesar de ainda ser considerada uma cidade com um bom custo benefício, Lisboa encareceu nos últimos anos e isso é inegável. A capital já é o local mais caro do país para se viver e, no intervalo de um ano, galgou 44 posições no ranking das cidades mais caras do mundo. O estudo da empresa de consultoria Mercer coloca a cidade no 97º lugar considerando despesas como moradia, alimentação, transporte, roupas, bens domésticos e entretenimento.

De acordo com o site Expatistan, que agrega dados financeiros e sociais sobre em diversas cidades e países do mundo, o custo de vida em Lisboa e São Paulo, por exemplo, é praticamente o mesmo. Os itens mais caros na capital portuguesa são alimentação, moradia e transportes. Vestuário, cuidados pessoais e entretenimento pesam mais no bolso na metrópole brasileira. Quando comparada com o Rio de Janeiro, Lisboa fica com o título de mais cara: o custo de vida lá é 11% mais alto que em solo carioca.

A despesa mais elevada e que teve mais crescimento na cidade foi em relação aos imóveis, tanto para alugar como para comprar. Entre 2017 e 2018, o preço dos alugueis aumentou 31%. De acordo com o Numbeo, o custo de vida médio mensal para uma pessoa em Lisboa é de 554,61€ sem contar com os custos relativos à moradia que podem triplicar esse valor.

Transporte

De uma forma geral, a rede de transporte públicos funciona bem em Lisboa. Os usuários devem, no entanto, preparar-se para atrasos, greves e sobrelotação em alguns horários, algo, de certa forma, esperado em uma capital. Com o número crescente de habitantes e turistas em circulação, a frota fica sobrecarregada nos horários de pico.

Recentemente, o sistema de passes mensais foi simplificado para facilitar a vida dos habitantes da cidade. A partir de abril, os passes municipais custarão 30€ e os metropolitanos sairão por 40€.

Quem preferir optar pelo carro próprio, deve ter em mente que Lisboa é uma cidade com o trânsito intenso e onde, dificilmente, se consegue encontrar lugares de estacionamento gratuito.

Saúde

Decidir recorrer ao SNS (Sistema Nacional de Saúde) em Lisboa é a alternativa mais barata quando necessitar de atendimento, mas pode render algumas dores de cabeça. O sistema público de saúde funciona na capital, mas está sobrecarregado também. Depedendo do centro de saúde, existe a possibilidade de enfrentar uma longa fila de espera para se inscrever e conseguir ter um médico de família. Nos hospitais, a espera por algumas consultas de especialidade também pode ser de meses.

Por outro lado e por se tratar da capital, é onde se encontram alguns dos maiores hospitais e maternidades de referência. Além disso, é mais fácil ter acesso aos psicólogos do sistema público nos centro de saúde lisboetas, coisa rara no resto do país.

A cidade também conta com uma grande variedade de unidades de saúde particulares e planos com diferentes tipos de cobertura. De acordo com o Numbeo, o índice de satisfação geral dos usuários com o atendimento em Lisboa é de 71,45%.

Trabalhar em Lisboa

Uma das vantagens de morar em Lisboa em relação às outras cidades do país é que ela também concentra a maior parte das oportunidades do mercado de trabalho. Há grandes empresas instaladas na capital, que já é considerada uma espécie de hub tecnológico. Há muitas ofertas para áreas como Design e Marketing Digital e também para o setor de serviços e atividades relacionadas com o turismo. O salário mínimo mensal atual é de 600€ e a média salarial na cidade é de 871,40€.

Apesar de concentrar um grande número de ofertas, a capital tem um taxa de desemprego maior que a média nacional. Segundo o EURES, a porcentagem neste momento é de 8,2%, sendo que os mais afetados são os profissionais jovens, com menos de 35 anos.

Estudar em Lisboa

Lisboa é uma ótima cidade para estudar por conta da quantidade de instituições de ensino à disposição. A oferta de cursos também surpreende e, não à toa, a capital é o destino favorito no país tanto para estudantes nacionais como estrangeiros. Os brasileiros têm a opção, por exemplo, de usar a nota do ENEM em instituições como a Universidade de Lisboa, a maior do país.

Vale lembrar, no entanto, que o ensino público no país não é gratuito e que as bolsas são escassas, através do Estatuto de Igualdade é possível concorrer a algumas.

Os estudantes podem trabalhar no país, se fizerem uma comunicação ao SEF e cumprirem determinados requisitos. Essa pode ser uma forma de conseguir suportar o custo de vida na cidade, especialmente com alugueis tão caros.

Lazer e atrações da cidade

Falta do que fazer certamente não será um dos problemas de quem decidir morar em Lisboa. A cidade é diversa, pulsante e respira história em cada esquina. Todo esse leque cultural não está disponível apenas para quem tem dinheiro no bolso. Dá para encontrar uma série de atividades gratuitas, locais para visitar, além de ser possível desfrutar de jardins e miradouros gratuitamente. Um passeio pelo Bairro Alto, por exemplo, pode surpreender.

Lisboa também está muito bem servida de museus e monumentos históricos como a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerónimos e o Panteão Nacional. Muitos desses locais possuem pelo menos um dia de entrada gratuita por mês para os habitantes da cidade. Ainda dá para provar a mais famosa iguaria nacional no local em que é fabricada: o famoso pastel de Belém.

A cidade é palco ainda de grandes festivais como o Rock in Rio Lisboa e NOS Alive, além está quase sempre na rota das turnês de artistas internacionais.

Vale a pena?

Lisboa vive uma verdadeira ascenção econômica, social e turística neste momento. Depois da crise que o país enfrentou em 2009, esta é uma recuperação mais do que válida. Talvez essa seja uma análise melhor do que simplesmente dizer que a capital está na moda. Isso, claro, tem o seu lado positivo e o negativo. Se há mais vida, mais oferta, mais opções e oportunidades, também há mais taxas, preços mais elevados, mais disputas e menos espaço.

Essa é uma cidade indicada para quem procura mesmo o ritmo de cidade grande e já está acostumado com tempos maiores de deslocamento, de trânsito. Para quem busca investir na carreira profissional, especialmente no ramo digital, também é uma boa opção, considerando o mercado e os eventos internacionais que por lá passam.

Independente da situação, é preciso ter uma noção real dos custos e da vida na cidade. Vale a pena conversar com conterrâneos que tenham se mudado para lá recentemente para saber quais os desafios, mas sempre com pé no chão e sabendo que há sempre quem doure a pílula. Além disso, uma almofada financeira, pelo menos, para os três primeiros meses é fundamental.

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:

Envie dinheiro para o exterior com a melhor taxa de câmbio!
Abra uma conta grátis na TransferWise

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos