Quanto dinheiro levar para Portugal?

Uma das perguntas mais recebidas na redação do Já Fez as Malas? é “quanto dinheiro devo levar para Portugal?”. Seja para turismo ou para morar no país, o planejamento financeiro é uma das etapas mais importantes da viagem e/ou mudança. Conheça abaixo as estimativas das quantias ideais previstas por lei ou apenas para um conforto maior durante a estadia.

Quantia de dinheiro para turista

Para quem vai como turista valem as instruções da Embaixada de Portugal em Brasília, que informa que é preciso ter o equivalente a 75 euros (por cada entrada em Portugal) + 40 euros por cada dia de permanência. Ou seja, para uma viagem de 15 dias será necessário ter, pelo menos, (em espécie ou em cartões) o total de 675€.

Vale a pena lembrar que, além disso, as autoridade migratórias exigem a comprovação do local de hospedagem (seja hotel, hostel ou casa de familiares/amigos) e a contratação de um seguro viagem.

Compre passagem aérea barata para Portugal

Quantia de dinheiro para quem vai morar em Portugal

Já para quem vai morar em Portugal a conta é mais extensa e pesada. Obviamente, para ter residência legal no país é preciso demonstrar e comprovar que tem condições de se manter na hora de tirar o visto. No entanto, ainda pode ter ficado aquela dúvida que ninguém responde sobre quanto é preciso logo nos primeiros meses e qual a melhor forma de levar essa quantia.

O ideal mesmo é fazer um cálculo detalhado dos custos que certamente terá logo nos primeiros tempos em solo português. Para evitar sufoco e problemas depois, a sugestão é que sejam considerados os gastos dos dois primeiros meses:

  • 3 meses de aluguel (estão incluídos o mês de chegada e o caução, que devem ser pagos no início, e o segundo mês). Vale considerar que alguns proprietários pedem até seis meses de aluguel adiantados, uma situação abusiva, mas recorrente, especialmente com estrangeiros recém-chegados.);
  • 2 meses de contas (água, luz, internet, TV, telefone) = cerca de 200€;
  • 80€ a 120€ para alimentação x 2 meses = 160€ a 240€ (sabendo que nos primeiros tempos a tendência é gastar mais que o habitual por não conhecer o melhor supermercado, a melhor marca, comer mais vezes fora, comprar produtos de limpeza, etc).
  • 48€ para transporte público (valor médio da assinatura mensal sem descontos) x 2 meses = 96€
  • 150€ despesas extras (como compra de lençóis, edredom, coisas para casa, etc.)

Ou seja, uma média interessante de dinheiro para ter quando sair do Brasil seria de 606€ a 686€ mais os três meses de aluguel. Lembrando que essas são despesas básicas e consideradas para apenas uma pessoa. Casais e famílias com filhos devem multiplicar os valores e ainda levar em conta outras, como creche/escola, por  exemplo.

Em termos de renda, como é chamado o aluguel por lá, a estimativa é um pouco mais subjetiva, pois o valor varia consoante a cidade e as necessidades. Casa no centro, fora do centro, com um quarto, dois, ou apenas um quarto em uma república, com ou sem mobília, com ou sem contas inclusas, etc. O certo é que, nos últimos três anos, os preços do mercado imobiliário dispararam, especialmente em cidades como Porto e Lisboa. Encontrar uma casa (ou mesmo um quarto) com preços e condições aceitáveis pode ser uma verdadeira epopeia.

Para quem quiser que essa conta fique um pouco mais clara, aqui vai um exemplo. Se a casa que vai alugar for um estúdio ou T1 no centro do Porto, com mobília e cerca de 50 m2, vai sair em torno dos 500€. Para garantir o contrato e os dois primeiros meses, a renda deve ser multiplicado por três. Sendo assim, o valor ideal para esse início de vida em Portugal seria de: 1.500€ (três meses de aluguel) + 606€ (dois meses mínimo de outras despesas) = 2.106€

Para quem vai ter uma receita mensal, ou seja, vai receber aos poucos, talvez não seja preciso se preocupar com todo esse valor de uma vez.No entanto, sem dúvida deve estimar uma despesa muito maior com compras no primeiro mês e no mínimo dois aluguéis para pagar logo nos primeiros dias.

Como obter o atestado de residência em Portugal na Junta de Freguesia

Euros ou reais?

Outra dúvida frequente é se vale a pena comprar todos os euros que vai precisar no Brasil ou apenas quando chegar em Portugal. Uma vantagem logo de cara de se comprar no exterior é que não é preciso se preocupar em pagar IOF. Em contrapartida, não dá para ir sem nem um cêntimo. Por isso, uma boa saída pode ser ter dinheiro suficiente para transporte, alimentação dos primeiros dias e os primeiros aluguéis e depois trocar o restante no destino.

Dinheiro ou cartão?

Ao pensar que o IOF para compra de moeda vai de 1,10% a 6,38%  no Brasil, o ideal seria levar uma quantia razoável em espécie, já que as taxas são mais baixas, e sempre é melhor ter dinheiro já trocado.

Também é interessante dispor de quantia maior em cartão (seja ele débito ou em cartão pré-pago – VTM) e se preocupar em trocar mais reais por euro já no destino final, por uma questão de economia, mas também de segurança. Para tanto, pode-se utilizar serviços como o TransferWise, que atualmente apresenta uma das melhores taxas do mercado e tem uma conta multimoedas.

Chegando em Portugal existem bancos, como ActivoBank, que oferecem contas sem cobrar taxa. Ou seja, de forma descomplicada e barata, é possível ter uma ligação a uma instituição bancária no país.

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos