Por que tantos brasileiros querem morar na Nova Zelândia? A verdade está no fato de estar entre os melhores países para viver, trabalhar e estudar; entre os menos corruptos; um dos mais fáceis para abrir um negócio e até mesmo um dos melhores destinos do mundo para visitar.

O país possui cerca de 4,4 milhões de habitantes entre as duas ilhas (do Norte e do Sul) que compõe um cenário natural exuberante. A grande concentração está na ilha do Norte, no qual fica localizado a capital, Wellington e uma das cidades mais famosas para estudos, Auckland. Já na ilha do Sul está Queensland, a capital mundial dos esportes radicais, mais um dos atrativos do país.

Como morar na Nova Zelândia

Para quem deseja morar na Nova Zelândia, o primeiro passo é a solicitação do visto, seja para estudos ou para trabalho. Vale lembrar que para turistas e estudantes que pretendam ficar por menos de três meses no país, não é necessário visto, apenas o passaporte válido (mínimo de três meses), passagem de ida e volta e comprovativo de meios de subsistência.

A Embaixada da Nova Zelândia em Brasília fica localizada na SHIS QI 9, Conjunto 16, casa, casa 1, no Lago Sul. Os contatos são (61) 3248-9900 e emb.novazelandia@gmail.com . Já o Consulado Geral da Nova Zelândia fica em São Paulo, na Avenida Paulista, nº 2421, no Edifício Bela Paulista, 12º andar. O contato deve ser feito por email, através do endereço emb.novazelandia@gmail.com e o horário de funcionamento é de segunda à sexta, de 9h às 17h.

Dentre os documentos exigidos para solicitar o visto e que são comuns em ambos os casos como o cadastro no site oficial, original e cópia do passaporte válido, duas fotos tipo passe, seguro de saúde, certificado médico e meios de subsistência as ressalvas vão para:

  • Certificado Médico que precisa estar dentro das normas;
  • Meios de Subsistência que devem ser assinados tanto pela pessoa que irá subsidiar, quanto pelo gerente da instituição bancária (para estudantes);

Em ambas as opções é preciso comprovar o domínio da língua, salvo para aqueles que desejam estudar idiomas no país. Isto é feito através de exames internacionais.

Trabalhar na Nova Zelândia

As duas indústrias mais importantes no país é a do comércio, voltada para o setor de extração (caça às focas e baleias, linho, ouro, goma kauri, madeira nativa, carnes e produtos lácteos) e o turismo.

Para trabalhar na Nova Zelândia é preciso, antes de mais nada, ter um contrato previamente estabelecido para então ser possível solicitar o visto. Ou seja, é preciso procurar do Brasil o emprego e então partir desta oportunidade. Os documentos necessários são:

  • Formulário preenchido e assinado;
  • Formulário do empregador preenchido e assinado (pelo responsável);
  • Carta oferta de trabalho;*
  • Contrato de trabalho assinado pela empresa e pelo empregado;
  • Evidências de qualificação para o cargo (CV, diploma e experiência);
  • Passagem aérea de ida e volta ou carta de compromisso de retorno;
  • Atestado de Antecedentes Criminais

*A empresa precisará justificar, junto à Imigração, a contratação de um estrangeiro a partir das suas qualificações.

O custo para solicitar o visto é de NZD 298 e pode ser feito online.

Como estudar na Nova Zelândia

Muitos intercambistas sonham em morar no país devido às oportunidades que são oferecidas, desde programas de estudos de línguas conjugado com atividades ao ar livre e/ou esportes radicais com duração menor que três meses; intercâmbio universitário em instituições de renome, com possibilidade de bolsas de estudos, além da opção de graduação completa no país.

Confira alguns sites que podem ajudar a decidir qual a melhor forma de estudar no país:

Para além destas vantagens de morar na Nova Zelândia para estudar, o visto permite o trabalho em regime de part time, ou seja, 20 horas semanais e, em regime full time, 40 horas semanais, quando em férias. O valor do pedido de visto é de NZD 270 e os documentos necessários são:

  • Formulário preenchido e assinado;
  • Evidências de qualificação educacional (diploma dos cursos);
  • Cópia da certidão de nascimento;
  • Carta de Intenção / Motivação (em inglês);
  • Carta de Aceite da instituição de ensino;
  • Garantia de acomodação;
  • Documentos / Recibos comprovativos de pagamento do curso;
  • Cópia autenticada do RG
  • Cópia da passagem aérea
  • Comprovativo de subsistência;
  • Atestado de Antecedentes Criminais.

Custo de vida

Em média, um estudante consegue se manter por um custo médio de NZD 250 semanal, sendo uma média mensal de NZD 1.000 (em quatro semanas). Um trabalhador pode gastar um pouco mais do que este valor, considerando que, provavelmente, não irá partilhar casa com outras pessoas.

Atualmente, R$1 equivale a cerca de NZD 0,38. Ou seja, o real, neste caso, é desvalorizado e pode complicar as finanças de quem está contando com uma reserva de dinheiro no Brasil. A capital, Wellington, é mais cara que São Paulo com relação ao padrão de vida mediano. Apenas para comparação, para se manter um padrão de vida de R$ 9.100 no Brasil, seria necessário R$ 16.300 para manter o mesmo estilo de vida na Nova Zelândia.

O salário mínimo no país é de NZD 15,25 por hora, contabilizando NZD 610 por semana e um total de aproximadamente NZD 2.440 mensais. Porém, de acordo com o Numbeo, a média salarial no país é de NZD 3.814.

Vale a pena?

Apesar de ser um país caro, a qualidade de vida e o salário mínimo pago aos trabalhadores é satisfatório. Portanto, caso queira morar em uma país com belas paisagens naturais, diversas opções de lazer e esporte e com altos índices de qualidade de vida, a Nova Zelândia mostra-se como o país ideal.

Curiosidades

Você sabia que o esporte principal do país e o Rugby? A seleção nacional chama-se All Blacks e é conhecida mundialmente pelo ritual Maori (indígenas locais) chamado Haka. Trata-se de uma dança típica de afrontamento e intimidação do adversário, antigamente realizada antes de um confronto. Vale a pena assistir a um vídeo para conferir as caras e bocas feitas pelos jogadores.

Caso ainda reste uma ponta de dúvida sobre os estudos no país, saiba que a Nova Zelândia é conhecida pela sua excelência nos estudos, mantendo uma taxa de alfabetização de 99%. Isto pelo fato das escolas públicas serem gratuitas. Para os intercambistas, há mais de 80 escolas com programas de idiomas que cominam estudos e lazer / esportes durante o período.

Gostou desse post? Compartilhe e acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Saiba como morar na Austrália

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito por e para brasileiros apaixonados por conhecer outras culturas, viagem, gastronomia e para quem sonha em morar fora.

Artigos Relacionados