Morar na Nova Zelândia em 2019: vistos, custo de vida, trabalhar, estudar e mais

Por que tantos brasileiros querem morar na Nova Zelândia? A verdade está no fato de estar entre os melhores países para viver, trabalhar e estudar; entre os menos corruptos; um dos mais fáceis para abrir um negócio e até mesmo um dos melhores destinos do mundo para visitar.

O país possui cerca de 5 milhões de habitantes entre as duas ilhas (do Norte e do Sul) que compõe um cenário natural exuberante. A grande concentração está na ilha do Norte, no qual fica localizado a capital, Wellington e uma das cidades mais famosas para estudos, Auckland. Já na ilha do Sul está Queenstown, a capital mundial dos esportes radicais, mais um dos atrativos do país.

Como morar na Nova Zelândia legalmente

Para quem deseja morar na Nova Zelândia, o primeiro passo é a solicitação do visto, seja para estudos, trabalho ou para fazer investimentos no país. Vale lembrar que para turistas e estudantes que pretendam ficar por menos de três meses não é necessário visto, apenas o passaporte válido (mínimo de três meses), passagem de ida e volta e comprovativo de meios de subsistência.

A Embaixada da Nova Zelândia em Brasília fica localizada na SHIS QI 9, Conjunto 16, casa, casa 1, no Lago Sul. Os contatos são (61) 324 89900 e [email protected] . Já o Consulado Geral da Nova Zelândia fica em São Paulo, na Avenida Paulista, nº 2421, no Edifício Bela Paulista, 12º andar. O contato deve ser feito por email, através do endereço [email protected] e o horário de funcionamento é de segunda à sexta, de 9h às 17h.

Dentre os documentos exigidos para solicitar o visto e que são comuns na maioria dos casos, estão o cadastro no site oficial, original e cópia do passaporte válido, duas fotos tipo passe, seguro de saúde, certificado médico e meios de subsistência.

Em algumas situações, é preciso comprovar o domínio da língua, salvo para aqueles que desejam estudar idiomas no país. Isto é feito através de exames internacionais.

Compre passagem barata para Nova Zelândia

Cidades na Nova Zelândia

Com um território insular, dividido nas ilhas Norte e Sul, a Nova Zelândia tem desde cidades extremamente cosmopolitas e densamente povoadas como Auckland, até pequenos vilarejos com menos de mil habitantes. Algumas zonas são de difícil acesso e estão localizadas em pontos muito remotos, mas é justamente nesses locais em que podem ser encontradas algumas das maiores belezas naturais do país.

Para quem pretende morar na Nova Zelândia, segue abaixo a lista das cinco maiores cidades do país, de acordo com a quantidade de habitantes. Os dados são de 2018 do Stats NZ, o órgão oficial neozeolandês de dados e estatísticas.

  • Auckland: 1.467.800 habitantes
  • Christchurch: 377.200 habitantes
  • Wellington: 215.400 habitantes
  • Hamilton: 169.300 habitantes
  • Tauranga: 135.000 habitantes

Queenstown é frequentemente lembrada como uma das mais importantes, inclusive por ser considerada a capital dos esportes radicais. Em termos populacionais, ocupa a 34ª posição, contando com pouco mais de 15.600 habitantes atualmente.

Trabalhar na Nova Zelândia

Para trabalhar na Nova Zelândia é preciso, antes de mais nada, ter um contrato previamente acordado para então ser possível solicitar o visto. Ou seja, é preciso procurar do Brasil o emprego e então partir desta oportunidade. Os documentos necessários são:

  • Formulário preenchido e assinado;
  • Formulário do empregador preenchido e assinado (pelo responsável);
  • Carta oferta de trabalho;*
  • Contrato de trabalho assinado pela empresa e pelo empregado;
  • Evidências de qualificação para o cargo (CV, diploma e experiência);
  • Passagem aérea de ida e volta ou carta de compromisso de retorno;
  • Atestado de Antecedentes Criminais

*A empresa precisará justificar, junto à Imigração, a contratação de um estrangeiro a partir das suas qualificações.

O custo para solicitar o visto é de NZD 530 a NZD 3.310, dependendo do tipo de trabalho e se o processo foi iniciado online ou presencialmente.

Emprego e salário mínimo

As duas indústrias mais importantes no país são a do comércio, voltada para o setor de extração (caça às focas e baleias, linho, ouro, goma kauri, madeira nativa, carnes e produtos lácteos) e o turismo.

O salário mínimo no país, que é pago à hora, sofreu um reajuste recente, no início de 2019. Neste momento, o valor é de NZD 17,70, o que dá uma média de NZD 2.832 por mês para quem trabalha 40 horas semanais.

Para quem está iniciando a carreira ou em fase de estágio, o valor da hora atualmente fica entre NZD 13,20 e NZD 14,16.

Como estudar na Nova Zelândia

Muitos intercambistas sonham em morar no país devido às oportunidades que são oferecidas, desde programas de estudos de línguas conjugado com atividades ao ar livre e/ou esportes radicais com duração menor que três meses; intercâmbio universitário em instituições de renome, com possibilidade de bolsas de estudos, além da opção de graduação completa no país.

Confira alguns sites que podem ajudar a decidir qual a melhor forma de estudar no país:

Para além destas vantagens de morar na Nova Zelândia para estudar, o visto permite o trabalho em regime de part time, ou seja, 20 horas semanais e, em regime full time, 40 horas semanais, quando em férias. O valor do pedido de visto é de NZD 295 e os documentos necessários são:

  • Formulário preenchido e assinado;
  • Evidências de qualificação educacional (diploma dos cursos);
  • Cópia da certidão de nascimento;
  • Carta de Intenção/ Motivação (em inglês);
  • Carta de Aceite da instituição de ensino;
  • Garantia de acomodação;
  • Documentos / Recibos comprovativos de pagamento do curso;
  • Cópia autenticada do RG
  • Cópia da passagem aérea
  • Comprovativo de subsistência;
  • Atestado de Antecedentes Criminais.

Custo de vida

O custo de vida na Nova Zelândia, como em qualquer outro lugar do mundo, varia muito de acordo com a cidade escolhida e com o estilo de vida de cada um. Um estudante, por exemplo, provelmente gastará bem menos do que uma família com crianças. De acordo com o site do Ministério da Educação do país, é esperado que quem vá estudar tenha, pelo menos, cerca de NZD 1.250 por mês para se manter. Se a estadia for superior a um ano, o candidato deve provar que tem NZD 15.000, no mínimo, garantidos para as despesas durante o períoro do curso.

No caso de uma pessoa solteira, que vá para trabalhar e não compartilhe casa, o custo médio mensal estimado é de NZD 1.342. O valor foi obtido na ferramenta do próprio Ministério da Imigração neozeolandês.

Atualmente, R$1 equivale a cerca de NZD 0,37. Ou seja, o real, neste caso, é desvalorizado e pode complicar as finanças de quem está contando com uma reserva de dinheiro no Brasil.

A capital, Wellington, é bastante mais cara que São Paulo com relação ao padrão de vida mediano: lá, o custo de vida é cerca de 51% mais elevado que na terra da garoa, de acordo com o site Expatistan. Auckland consegue ser ainda mais cara, nesse caso, a diferença é de 60%.

Saúde na Nova Zelândia

O sistema de saúde público da Nova Zelândia é bastante eficiente e a maior parte da população recorre a ele sem grandes problemas. Cada paciente tem o seu médico de família, chamado de general practioner, e ele é o responsável por fazer o acompanhamento de todo o histórico médico.

Se houver necessidade de algum tratamento ou exame mais específico, o GP, como é popularmente conhecido, faz o encaminhamento para um especialista. Na prática e de forma bem resumida, a maior parte dos atendimentos começa por aí, menos em situações de urgência.

Os GP’s trabalham em consultórios particulares e as consultas são subsiadas pelo governo se o paciente estiver inscrito no sistema público de saúde. Por isso, não se pode dizer que a saúde pública é inteiramente gratuita por lá, exceto em determinadas situações. Para as crianças até os 13 anos, por exemplo, o atendimento é sempre de graça.

Sistema de transportes

Em cidades maiores como Auckland e Wellington, há uma rede vasta de transporte público e que funciona com uma grande precisão de horários. No entanto, e justamente por serem cidades grandes, possuem algumas zonas que são mais mal servidas de opções ou onde elas são escassas. Vale ressaltar também que, à noite a partir de determinada hora, pode ser difícil conseguir pegar um ônibus.

Nas cidades menores, o sistema também funciona, de uma forma geral, mas as pessoas preferem ainda o custo-benefício de ter um carro e não depender tanto dos ônibus.

Para ir da Ilha Norte à Sul, a forma mais comum e eficiente são as balsas. Existem diversas companhias que fazem o trajeto com muita frequência diariamente. Também existem trens entre as cidades, mas essa não é a forma mas barata de se deslocar e a malha ferroviária também é bastante limitada.

Além do carro, os neozeolandeses investem também bastante nas bicicletas como veículos próprios. Existem regras específicas para o trânsito e equipamento dos ciclistas e em todos os estacionamentos e transportes públicos existem locais específicos para as “magrelas”.

Curiosidades sobre a Nova Zelândia

Você sabia que o esporte principal do país e o Rugby? A seleção nacional chama-se All Blacks e é conhecida mundialmente pelo ritual Maori (indígenas locais) chamado Haka. Trata-se de uma dança típica de afrontamento e intimidação do adversário, antigamente realizada antes de um confronto. Vale a pena assistir a um vídeo para conferir as caras e bocas feitas pelos jogadores.

Caso ainda reste uma ponta de dúvida sobre os estudos no país, saiba que a Nova Zelândia é conhecida pela sua excelência nos estudos, mantendo uma taxa de alfabetização de 99%. Isto pelo fato das escolas públicas serem gratuitas. Para os intercambistas, há mais de 80 escolas com programas de idiomas que cominam estudos e lazer/esportes durante o período.

Uma coisa é certa: a Nova Zelândia é um país dotado de incríveis belezas naturais, tanto é que cerca de 30% do seu território é coberto por vastas florestas naturais. Além disso, poluição é uma coisa praticamente inexistente por lá, enquanto outros lugares do mundo lutam para reduzir as suas taxas.

E sabe como os neozeolandeses são carinhosamente chamados? Kiwis.

Vale a pena morar na Nova Zelândia?

A decisão de mudar de país é sempre muito pessoal e aquilo que pode ser perfeito e acessível para uma pessoa, para a outra já pode não ser. Morar na Nova Zelândia é viver em um país amigo do meio ambiente, com excelente qualidade de vida, praticamente sem corrupção e seguro. As qualidade são muitas e absolutamente indiscutíveis. No entanto, todo esse conjunto de características positivas tem um preço e esse preço é elevado, monetariamente falando.

Apesar de ser um país caro, salário mínimo pago aos trabalhadores é satisfatório, o que pode compensar para quem vai trabalhar. Além disso, os estudantes podem trabalhar também e receber bolsas, o que torna tudo muito mais financeiramente sustentável.

A Nova Zelândia vale sempre a pena quando se tem um plano e uma estrutura financeira para arcar com os custos da adaptação ao país. Tendo a certeza que há forma de conseguir se manter por lá legalmente, é uma ótima opção de destino tanto para quem vai sozinho como para quem vai com a família.

Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Envie dinheiro para o exterior com a melhor taxa de câmbio!
Abra uma conta grátis na TransferWise

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos