Salário mínimo na Europa em 2019: confira os valores de todos os países

O continente europeu é considerado um grande concentrador de poder e é também onde estão alguns dos países mais ricos do mundo. Mas como será que é o salário mínimo na Europa?

Cada país, claro, tem autonomia para estipular o seu valor ou mesmo valor nenhum. Em algumas nações, por exemplo, o mínimo é restrito a determinados campos profissionais.

Valores do salário mínimo na Europa

O salário mínimo na Europa não é uma realidade absoluta, uma vez que vários países não adotaram um fixo. Em outros casos, ao invés de ser mensal como acontece no Brasil, o valor mínimo aplicável é por hora, no mesmo modelo dos Estados Unidos. Mesmo para aqueles que fazem parte da União Europeia não há uma uniformidade na maneira como são definidos os rendimentos: há países onde chega perto dos 2.000€ e outros em que mal passou dos 300€.

Confira abaixo os valores mais atualizados do salário mínimo na Europa e algumas informações importantes sobre os aumentos mais recentes em alguns países.

Albânia: O salário mínimo albanês pode ser considerado um dos mais baixos da Europa. Neste momento, o valor está situado em 26.000 leks, moeda local, o que, em euros, equivale a cerca de 210,70€.

Alemanha: Imagina viver em um local que tem um salário mínimo de 1.557€? Essa é a realidade do povo alemão. O valor foi, inclusive, reajustado recentemente. Antes, o rendimento básico válido para os trabalhadores era de 1.498€.

Andorra: Em 2019, o governo andorrano subiu o salário mínimo do país em pouco mais de 3%. Neste momento, o valor corresponde a 1.050€ mensais.

Armênia: O salário mínimo na Armênia sofreu muitas alterações ao longo dos últimos anos. Os sucessivos aumentos tentavam acompanhar o crescimento e as necessidades populacionais. Atualmente, o valor situa-se em 156.200 drams armênios.

Áustria: Na Áustria, assim como em outros países, o salário mínimo nacional não foi instituído oficialmente. Cada setor tem o seu rendimento mínimo específico, regulado por uma instituição própria. O salário médio mensal, no entanto, ronda os 1.900€, depois do desconto dos impostos.

Azerbaijão: No caso do Azerbeijão, o salário mínimo é de 143 manats azeri, moeda local. Em euros, esse valor seria, aproximadamente, 74,20€.

Bélgica: O rendimento belga está entre um dos salários mínimos mais altos na Europa, apesar de nem ter sofrido qualquer reajuste no último ano. O valor persiste em 1.562€.

Bielorrússia: Desde 2017, o salário mínimo da Bielorrússia mantém-se o mesmo: 265 rublos bielorrussos. Na cotação atual, o valor ronda os 130€.

Bósnia: Na lista dos salário mínimos mais baixos da Europa, a Bósnia tem o seu lugar cativo, graças a uma economia ainda em reconstrução. O valor do rendimento está situado nos 406 marcos conversíveis por mês.

Bulgária: O salário mínimo búlgaro tem sido reajustado anualmente e agora não foi diferente: passou de 510 para 560 levs búlgaros. Apesar disso, esse ainda é um dos menores valores entre os países que fazem parte da União Europeia.

Chipre: No Chipre, tal como na Áustria, não existe um salário mínimo definido pelo governo. O valor é regulado por entidades específicas de cada setor profissional.

Croácia: O salário mínimo croata foi reajustado recentemente e passou de3.439,80 kunas para 3.750 kunas. Em euros, esse valor corresponde a cerca de 504€.

Dinamarca: A Dinamarca também não tem um salário mínimo definido. Alguns acordos coletivos acabam por regular determinados valores. No entanto, por hora, em média ganha-se cerca de 112 coroas dinamarquesas.

Eslováquia: Na Eslováquia, o euro foi adotado como moeda oficial desde 2009, por isso o salário mínimo do país é expresso e pago nesta moeda. Em 2019, o valor subiu de 480€ para 520€.

Eslovênia: Também na zona do euro, a Eslovênia teve uma alteração recente no valor do seu salário mínio nacional. Ele passou de 842,80€ para 886,60€.

Espanha: O salário mínimo espanhol aumentou 22% entre 2018 e 2019, uma das subidas mais expressivas do continente. O valor saltou de 859€ para 1.050€.

Estônia: Outro país que também teve um aumento do salário mínimo em 2019 foi a Estônia. O valor passou de 500€ para 540€. Nos últimos anos, a subida anual de 40€ tem sido uma constante.

Finlândia: A Finlândia é mais um país da lista que não tem o seus salário mínimo definido nacionalmente. No entanto, no setor privado, o valor da remuneração média é de cerca de 3.500€.

França: Depois de uma forte mobilização social e movimentos organizados nos últimos meses de 2018 sobre o custo de vida no país e o aumento dos preços, o salário mínimo aumentou de 1.464€ para 1.521€.

Geórgia: A Geórgia é um país com um custo de vida bem baixo, mas com dados desanimadores como uma taxa de desemprego próxima dos 15%. Lá também não há um salário mínimo nacional estipulado.

Grécia: Depois da grave crise econômica dos últimos anos, a Grécia começa a reerguer-se e uma medida importante para a estabilidade foi o aumento do salário mínimo anunciado para 2019. O valor subiu de 684€ para 742€.

Hungria: Integrante da União Europeia, a Hungria não adotou o euro, por isso, o seu salário mínimo é pago na moeda corrente, florim húngaro. O valor passou de 138.000 para 149.000 florim húngaros.

Irlanda: O salário mínimo da Irlanda, atualizado no início de 2019, é atribuído por hora. Os trabalhadores, por lei, devem receber, pelo menos, 9,80€/hora, o que dá uma média de 1.614€ por mês para quem trabalha as 40 horas semanais.

Islândia: A Islândia também não tem um salário mínimo estabelecido legalmente, o que pode parecer um pouco retrógrado. No entanto, esse é um dos países que mais tenta promover a igualdade salarial, inclusive, entre gêneros. Os empregadores estão agora obrigados a comprovar que pagam os mesmos salários aos homens e às mulheres.

Itália: A Itália é outro país onde não há um valor fixo de salário mínimo definido pelo governo. No entanto, existem acordos que regulam o valor mínimo por hora de cada setor profissional. Esse valor também varia de acordo com a experiência do trabalhador e com a região.

Letônia: A Letônia atualizou o valor do seu salário mínimo em 2018, mas, em 2019, esse valor se manteve inalterado. Neste momento, o rendimento pago é de 430€.

Liechtenstein: No principado de Liechtenstein não existe um salário mínimo fixado por lei. No entanto, os salários, de uma forma geral, são elevados e o país tem uma das maiores rendas per capita do mundo. Por ano, um professor da rede pública de ensino, ganha, mais de 70.000€, por exemplo.

Lituânia: O salário mínimo na Lituânia foi ajustado recentemente e passou de 400€ para 430€. No entanto, o valor pode saltar para 550€ por conta de um crédito fiscal introduzido pelo governo.

Luxemburgo: O Luxemburgo leva facilmente o título de salário mínimo mais alto da Europa. Por mês, os trabalhadores ganham, pelo menos, 2.071€. O aumento passou a valer no início de 2019. Além disso, o governo vai reduzir a carga fiscal, o que significa salários menos penalizados e um valor líquido mais próximo do bruto.

Malta: Malta tem sido um destino muito procurado por intercambistas, mas, ao poucos, muitos tentam manter-se no país conseguindo um visto de trabalho. O salário mínimo maltês foi ajustado e passou de 748€ para 760€.

Moldávia: Na Moldávia, o salário mínimo atual é de 1.000 leus moldávios, valor que não é atualizado desde 2015. Em euros, isso corresponde a cerca de 48€.

Mônaco: Mônaco não é o que podemos dizer ser um país para pessoas com baixos rendimentos. O principado não tem um valor de salário mínimo mensal definido, mas conta com um salário médio de cerca de 4.600€ já com dedução de impostos.

Montenegro: O salário mínimo em Montenegro vale tanto para o setor público como para o setor privado e não tem sofrido aumento nos últimos tempos. Neste momento, o valor está nos 288,10€.

Noruega: A Noruega é mais um caso de país que não tem um salário mínimo estabelecido nacionalmente. No entanto, o salário médio no país é de 28.500 coroas norueguesas.

Países Baixos: O salário mínimo dos Países Baixos, também conhecidos como Holanda, passou recentemente de 1.594€ para 1.642€. O valor coloca o país no escalão daqueles com as remunerações mínimas mais altas entre os integrantes da União Europeia.

Polônia: O salário mínimo na Polônia tem sido atualizado praticamente todos os anos, uma política comum para acompanhar o crescimento da economia. Atualmente, o valor do rendimento mínimo nacional é de 2.250 zloty.

Portugal: O salário mínimo em Portugal, neste momento, é de 600€, depois de um aumento recente que entrou em vigor no início de 2019. O país conta com uma taxa de desemprego de cerca de 7%, sendo que a população jovem, até os 35 anos, é a mais afetada.

Reino Unido: O Reino Unido enfrenta um momento turbulento com a votação e as decisões para saber se sai da União Europeia com ou sem acordo. No entanto, o valor do salário mínimo já foi discutido e há um aumento agendado para 2019. De 1.464€, o valor passa para 1.535€, mas a medida só entra em vigor em abril.

República da Macedônia: Na República da Macedônia, o salário mínimo é o mesmo desde 2017. O valor está situado em 14.749 dinar macedônios.

República Tcheca: O salário mínimo da República Tcheca foi atualizado em 2019, como tem sido anualmente desde 2014. Atualmente, o valor situa-se em 13.350 coroas tchecas.

Romênia: Desde 2013, o salário mínimo romeno tem sofrido constantes atualizações para acompanhar a economia e o mercado de trabalho do país. O valor neste momento é de 2.080 leus romenos.

Rússia: O salário mínimo na Rússia foi revisto pela última vez no início de 2018 e o valor mantém-se até o momento. Até agora, o rendimento mínimo do trabalhador no país é de 10.605 rublos.

San Marino: Um dos menores países do mundo tem um salário mínimo bastante avantajado, ficando facilmente entre os mais elevados do continente. O valor em San Marino é de 1.502€ por mês.

Sérvia: O salário mínimo da Sérvia foi reajustado no início de 2019 e passou de 33.355,2 para 36.408,3 dinar sérvios, o que corresponde a pouco mais de 300€.

Suécia: Na Suécia não há um salário mínimo estabelecido nacionalmente. Os valores são negociados através de acordo direto com a empresa. Na negociação, pode ter também a participação do sindicato se o trabalhador for filiado a algum. No entanto, a média salarial geral do país é de cerca de 26.000 coroas suecas, já com desconto de impostos.

Suíça: Outro país que não tem salário mínimo estabelecido é a Suíça. Em 2017, houve uma tentativa de fixação do valor em cerca de 3.480 francos suíços por mês, mas a proposta foi rejeitada pela população.

Turquia: O salário mínimo na Europa, pelo menos na maioria dos países, é ajustado anualmente e a Turquia segue esta tendência. O valor passou recentemente de 2.029,50 para2.558,40 liras turcas.

Ucrânia: O salário mínimo ucraniano foi reajustado pela última vez em 2015. Neste momento, o valor é de1.378 grívnias.

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos