Há 2 anos, resolvemos trocar o nosso carro por uma autocaravana. No começo, eu não tinha certeza se aquela era realmente uma boa troca, mas com o tempo, eu fui me apaixonando por essa nova maneira de viajar.

Me apaixonei pela liberdade! A liberdade de mudar de lugar quando ele não agrada, de decidir viajar de última hora, de conhecer os lugares que fogem do roteiro “normal”…

Porém, eu tenho que avisar! Não é um estilo de viagem para todo mundo. Tudo vai depender muito do tipo de veículo que você tem, mas está claro, que é um estilo de viagem que você tem que abrir mão de algumas comodidades.

Então, se você pensa em fazer esse tipo de viagem, melhor colocar algumas coisas na balança para que uma experiência que deveria ser ótima, não se transforme em um sacrifício.

Existem mil assuntos para abordar sobre viajar de autocaravana ou motorhome. Eu lembro até hoje da nossa primeira viagem… compramos várias coisas que não usamos até hoje e em diversos momentos estava claro que nós éramos totalmente novatos. Hoje em dia, as viagens funcionam de forma automática e já criamos diversos “truques” para tornar a vida mais simples. Já aprendemos muitas coisas.

Aqui, eu vou resumir algumas informações básicas para quem está pensando em viajar dessa forma. Seja alugando um, porque só quer fazer uma viagem ou para comprar o seu próprio veículo na Europa.

Tipo de veículo

Existem autocaravanas de todos os tamanhos por aqui. A minha é como um carro adaptado. Tem diversas vantagens, principalmente pelo fato de ser do tamanho de uma van e ter menos de 2 metros de altura.

Isso nos permite parar o carro dentro da nossa garagem do prédio e ter somente um veículo em casa. Para ter um veículo grande, é necessário ter um lugar bom para estacionar ou alugar um galpão.

O nosso carro, não tem banheiro, por exemplo. O que é um pouco incômodo em alguns momentos, mas como não chamamos tanto a atenção, podemos parar em quase todos os lugares e quase nunca entramos em campings.

Uma coisa que precisa ser avaliada é o seu roteiro. A Europa tem diversas cidades que as ruas são muito pequenas e estradas minúsculas. Tem lugares que os veículos grandes não conseguem passar. Essas férias, nós fomos para os Pirineus Franceses e tinham muitos lugares bem complicados de passar para quem tinha uma motorhome grande.

Por isso, não ache que “quanto mais grande melhor”. O ideal é escolher o veículo que tenha o tamanho certo para a sua necessidade e olha, eu te garanto que ele pode ser bem menor do que você imagina para ser confortável.

Segurança

Isso, obviamente, vai depender muito do lugar que você vai. Mas, de uma forma geral, a Europa é segura. A possibilidade de que aconteça algo sério, como um assalto a mão armada, é bem pequena.

Porém, a quantidade de furtos vem aumentando bastante. Isso quer dizer, que você tem que tomar certo cuidado com o lugar que deixa o veículo estacionado enquanto vai conhecer a cidade que está. Acredite, cidades grandes, mesmo com mais movimento, são as piores. Uma boa opção, é estacionamento pago e com câmera para passar o dia.

As autocaravanas, acabam chamando bastante atenção pela quantidade de coisas de valor que podemos levar dentro. Afinal, levamos a nossa “casa” junto.

Por isso, é muito importante também aproveitar para usar muito o próximo item da lista que eu vou contar.

Comunidade

As pessoas que viajam nesse estilo,« formam praticamente uma comunidade. Quando você chegar em algum lugar, pode ir dizendo “oi” para todos os seus “vizinhos”, que eles certamente vão te responder.

Você pode ter a certeza, que se precisar de alguma coisa, quase sempre vai ter alguém disposto a ajudar. Inclusive, para dar uma olhada nas suas coisas, se for dar uma volta (sem abusar, claro!).

Pode ser que você chegue naquele lugar lindo, longe de qualquer cidade e descubra que esqueceu de comprar o sal para cozinhar e precise de um pouco, por exemplo. Assim como, pode ser que no outro dia, você decida ir até a cidade e seu vizinho te peça para comprar um gás para ele.

Já aconteceu com a gente. Uns vizinhos desconhecidos deram 50 euros na nossa mão para ir comprar um gás. Assim, como um dia a gente queria cozinhar na fogueira e pedimos um pouco papel alumínio para um outro vizinho.

É uma troca de favores. As pessoas nesse meio esperam que as outras sejam honestas e se ajudem. Sabem que um dia ajudam alguém, porque no dia seguinte, podem ser elas que precisem de ajuda.

Todo mundo é honesto? Não, mas a gente confia que a maioria é e até hoje não tivemos nenhuma decepção.

Além disso, já fizemos boas amizades no caminho também. Já trocamos muitas cervejas, vinhos, jantar e conversa fora por aí. Não se preocupe se vocês não falam a mesma língua, até mímica vale quando o mais importante é se comunicar.

Lugares para dormir

Existem lugares mais e menos flexíveis para o tema da autocaravana. Uma das regras básicas para ter uma viagem tranquila é tentar de todas as formas não viajar em época de temporada alta. Nessa época, você estará mais suscetível a multa, lugares lotados e não vai ser muito agradável.

Alguns lugares aqui da Espanha, a gente nem pisa quando é alta temporada. É praticamente impossível relaxar e encontrar bons lugares.

Você sempre terá a opção de parar nos campings. Essa opção é a mais cômoda e fácil (e cara). Só cuidado que ao mesmo tempo em que os campings podem ajudar a gente, também já ouvimos muitas histórias de donos de campings que depredaram autocaravanas que estacionaram perto, mas não dentro do camping pela noite.

Os lugares autorizados para autocaravanas geralmente são bem sinalizados, mas nem sempre são bonitos. Já existem diversas aplicativos que te ajudam a encontrar um bom lugar para estacionar e dormir.

Coisas para levar em consideração:

  • Escolher lugares que vão dormir mais autocaravanas.
  • Que te passem confiança.
  • Que não seja ao lado de um rio e nem debaixo de penhasco com pedras grandes. (Pode ser perigoso em dia de chuva)
  • Veja se não existe sinal de: perigo de inundação, zona proibida para estacionar ou particular.

Investimento

Isso é muuuito relativo, mas basicamente você pode comprar a sua “casa rodante” pelos mais diversos preços. Os veículos menores, acabam sendo mais caros que os maiores, já que trazem grandes vantagens na hora de se locomover e estacionar em garagens.
Para quem quiser comprar um, pesquise muito! Saiba exatamente o que você quer. Peça a opinião de muita gente e fique atento: tem muita gente que muda a quilometragem desse tipo de carro antes de vender.

Para quem quiser só alugar, tenho que avisar que o preço do aluguel, muitas vezes, chega a ser o mesmo (ou mais) que de um hotel. Acaba valendo a pena em alguns casos:

  • Se você vai com mais gente ou tem a família grande e ao alugar uma autocaravana grande vai ficar mais barata que um hotel.
  • Se você disposto a comer muitas vezes na própria autocaravana, diminuindo os custos da viagem consideravelmente.
  • Se você quer experimentar esse estilo de vida e/ou quer provar antes de fazer uma compra.

Aproveite

Quando a gente começou a viajar com a motorhome, eu sempre saía com tudo planejado e a lista de lugares que a gente ia. Com o tempo, fui percebendo que essa não era a melhor maneira de aproveitar a viagem.

É importante sim, pelo menos ter uma ideia dos lugares principais que você conhecer, mas é também muito importante deixar alguns dias livres para o que surgir no caminho. Muitas vezes, você vai se apaixonar por um lugar e querer ficar mais tempo lá.

E, principalmente, diversas vezes, vai conhecer pessoas no caminho que vão te dar dicas ótimas de lugares para conhecer e ia ser muito triste não ter tempo para poder desfrutar desses conselhos.

Espero te ver um dia na estrada.

Abraços

Julia

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Julia Queiroz. Siga também o blog da Julia.

Veja também:

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Julia Queiroz

Formada em Desenho Industrial, Julia Queiroz viveu em São Paulo quase toda vida. Em 2013 fez intercambio na Austrália e acabou indo parar na Espanha, onde mora até hoje. Criou o projeto "Tempo de Migrar" e compartilha suas experiências também aqui no Já Fez as Malas.

Artigos Relacionados