Como é o currículo ao redor do mundo?

Muda o país, muda o currículo

O currículo é sua carta de apresentação. Lembra da premissa “a primeira impressão é a que fica”? Então, a sua primeira marca na empresa para qual vai se candidatar é o seu currículo. É ele que vai te “vender”, por isso, garantir que o documento esteja 100% perfeito é a primeira obrigação de quem vai procurar emprego no exterior.

Cada país tem culturas diferentes e o meio profissional também é assim. Seu currículo deve refletir as exigências e características do local. Abaixo apresentamos algumas particularidades dos currículos ao redor do mundo que podem servir como referência, lembrando apenas que cada região e empresa pode ter padrões específicos.

Estados Unidos

Pra começar, currículo nos Estados Unidos não é conhecido por “Curriculum Vitae”, mas sim por “Resume” (“Curriculum Vitae” nos Estados Unidos é, na verdade, um documento escrito por um professor ou pesquisador). Portanto, lembre-se disso na hora de nomear o arquivo e na descrição que irá escrever no corpo do e-mail, na hora da candidatura.

De forma diferente do que acontece no Brasil, não é comum colocar a idade no currículo nos Estados Unidos bem como informações pessoais. No currículo para uma vaga nos Estados Unidos vale ser mais geral nas descrições e tentar dizer tudo na primeira página (se possível fazer com que o currículo só tenha uma única página mesmo).

 A fotografia no currículo não é recomendada nos Estados Unidos.

Europa

Se você vai se candidatar a uma vaga para trabalho ou estudo na Europa, mais cedo ou mais tarde vai ter que conhecer o formato europeu de currículo, o Europass. Funciona como uma plataforma onde o usuário pode inserir todos os dados pessoais necessários, acadêmicos e profissionais e estes são organizados e apresentados de uma forma padrão, ou seja, não há espaço algum para a criatividade – no máximo nas palavras que vai usar nas descrições.

O interessante é que o Europass também indica seu grau de proficiência em idiomas e outras competências técnicas conforme o que você informa saber ou não. Por exemplo, o nível do inglês pode ser A1, A2, B1, etc.

Mesmo tendo o Europass é útil manter uma versão mais tradicional do currículo com informações sobre o percurso profissional, acadêmico e dados pessoais, como nacionalidade, data de nascimento e contatos. Isso porque algumas empresas já começam a deixar o Europass de lado por ser um formato muito rígido.

Quanto à fotografia no currículo, na Europa o costume varia de país para país, mas por exemplo, em Portugal, na Alemanha e na França é muito comum usar. Já no Reino Unido não é visto como apropriado.

América Latina

De forma semelhante ao mercado brasileiro, o resto da América Latina é mais aberto a informações mais pessoais. Mostrar o seu “bom relacionamento interpessoal” e “bom trabalho em equipe” não é visto como negativo, desde que na dose certa.

A fotografia no currículo na América Latina não é muito comum, por isso, pode ser ideal seguir as recomendações informadas por cada empresa na página da candidatura.

Austrália

Não é por ser um currículo em inglês que se deve usar um CV feito para uma vaga nos Estados Unidos também para uma vaga na Austrália. Pra começar, muitas palavras são escritas de forma diferente. Por exemplo, o “specialized” do inglês americano vira “specialised” tanto no Reino Unido como na Austrália.

Um bom currículo na Austrália é mais focado nas realizações gerais do candidato do que na descrição das rotinas diárias. Busque exemplificar como você pode agregar valor à empresa caso seja contratado. Seja objetivo e claro: use marcadores para separar as frases em tópicos.

Para contato coloque no currículo apenas seu nome, endereço, telefone e e-mail. Assim como nos Estados Unidos, não é comum colocar a idade ou data de nascimento no currículo na Austrália. Aqui vale informar um e-mail profissional. Nada daquele “[email protected]”.

 Na Austrália não é apropriado colocar foto no currículo.

Ásia e Oriente Médio

rirekishoNa Coreia do Sul, por exemplo, existe uma espécie de formato padrão de currículo, assim como na Europa. Segundo informado no site asiaoptions.com, este modelo seria usado por grande parte das empresas de lá (você pode fazer o download do cv padrão no site). O mesmo vale para o Japão, com o rerekisho, curículo japonês

Em geral, no lado oriente do mundo os currículos tomam formas mais detalhadas, com destaques às habilidades que destacam o candidato. No Oriente Médio, por exemplo, é comum ser exigido informações sobre status matrimonial e idade.

 É comum ter fotos no currículo em muitos países da Ásia.

África do Sul

Uma das particularidades do currículo na África do Sul é que, muitas vezes, informações mais pessoais como número de identidade e etnia podem ser requeridas logo no currículo.

Foque mais nas descrições das suas experiências mais recentes em vez das mais antigas.

Pra levar em consideração

Essas são algumas recomendações gerais que se seguidas podem ajudar a melhorar suas chances de contratação em outro país. No entanto, vale lembrar que um bom currículo deve ser o mais objetivo e coeso possível, estar em ordem cronológica (mais recente primeiro) e apresentar o que há de relevante na experiência profissional, acadêmica e, se convir, também da vida pessoal do candidato.

  • A palavra mágica é LinkedIn: se você não tem um perfil na rede social ou o seu não está 100% otimizado para conseguir chamar atenção dos recrutadores volte duas casas e vá ler esse artigo agora!
  • Lembre da carta de motivação: escreva de um a três parágrafos que digam o porquê da sua candidatura à vaga e a razão pela qual você seria o candidato ideal para o emprego.
  • Pense como o RH: imagine formas de fazer um recrutador prestar atenção no seu currículo desde o assunto do e-mail de candidatura até a última linha do seu CV. Começar o currículo com duas a três linhas que resumam qual sua profissão, sua experiência e objetivo pode ser meio caminho para isso.
  • Se for de uma área criativa, por que não um currículo em formato de vídeo? Esse vídeo pode te ajudar.

 


Leu tudo isso, mas ainda não sabe como fazer um currículo em inglês? Veja agora mesmo o Guia para CV em inglês, de um de nossos parceiros.


 

Fontes de referência usadas para esse artigo: Red Start Resume, Career Advice,  BBCAsiaoptions, Curriculum Vitae Pro, Michael Page

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn  Youtube

Veja também: 

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30"]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/[/su_service]h6>

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos