Seja qual for a parte do mundo em que estiver de passagem, a tarefa de chegar e sair dos aeroportos confunde e incomoda muitos turistas com dinheiro contado e tempo a ser otimizado.

Isso provavelmente acontecerá quando estiver em um aeroporto de Nova York e precisar chegar ao seu hotel – a via crucis com malas e souvenirs ainda se repete na volta para casa. Veja como se sair bem nessa jornada.

Como ir e voltar de um aeroporto de Nova York

Na falta de um, são três as opções em aeroporto de Nova York: John F. Kennedy, ou JFK, recebe voos domésticos e principalmente internacionais, sendo o principal destino de trajetos oriundos do Brasil; La Guardia, mais “tímido” e receptor somente de voos domésticos; e Newark, um intermediário entre ambos, e que mescla voos domésticos e internacionais.

Agora que você já conhece as opções de aterrissagem, resta saber como se locomover do aeroporto até o centro de Manhattan. Quais as opções? O que tem melhor custo-benefício? Quanto tempo demora? Descubra o que fazer ao pousar no FJK e no La Guardia. Para o aeroporto de Newark, as configurações e possibilidades são praticamente as mesmas das oferecidas no JFK.

Aeroporto Internacional John F. Kennedy

Localizado na região do Queens, o aeroporto JFK é sem dúvidas o destino principal dos voos chegados do Brasil, além de pontuar com o maior número de passageiros de Nova York e como um dos mais movimentados de todo o mundo.

Trem e Metrô

Mesmo sendo a opção relativamente mais complicada para se chegar ao centro de Nova York, muitos são os turistas que optam por pegar o AirTrain (um monotrilho que funciona 24 horas por dia e interliga o JFK ao transporte público de Nova York) em combinação com o metrô ou com o LIRR (Long Island Rail Road), seja pelo custo mais baixo ou mesmo pela agilidade do trajeto (no caso do trem). Ambas as opções são mais indicadas para quem está viajando com poucas e leves malas (aproveite e consulte aqui quais são as estações que possuem elevador). Veja como chegar ao centro e voltar do centro para o JFK por esses meios.

Metrô: Procure pelo AirTrain no seu terminal de desembarque, pegue-o e desça na estação Jamaica (caso esteja indo para Manhattan). Saia da estação e pague os US$ 5 referentes à viagem que realizou. Mais à frente, siga as orientações para chegar à estação de metrô. Ali você poderá optar por pagar o bilhete individualmente (US$ 3) ou comprar o MetroCard (US$ 1 pelo cartão + recarga de US$ 5,50 a US$ 80). Com o cartão, o custo da viagem sai por US$ 2,75.

O percurso até a região central tem duração total superior a uma hora, principalmente se a sua hospedagem estiver em uma área que precise fazer baldeação. Na volta, possivelmente você não encontrará lugar para se sentar e deverá ter ao menos US$ 5 no MetroCard para entrar no AirTrain e então chegar ao terminal JFK.

Em geral, as linhas mais utilizadas são a E para ir a Penn Station (Midtown), J e Z para Brooklyn e Lower Manhattan, ou ainda descer em Howard Beach Station e pegar o trem A com destino a Manhattan. Clique aqui para consultar o mapa do metrô e planejar a sua viagem com mais precisão.

Trem: o processo começa idêntico ao utilizado para pegar o metrô. Você sairá do terminal de desembarque, vai entrar no AirTrain e pagar os US$ 5 assim que sair dele, na estação Jamaica, siga as orientações que o levem para a LIRR. Em uma das máquinas antes das escadas, compre sua passagem para Penn Station e pague a seguinte tarifa: se estiver viajando entre 5h50 e 9h35, selecione “peak” e pague US$ 10,25 pelo bilhete em horário de pico; demais horários, selecione “off peak” e pague US$ 7,50.

Com duração de apenas 50 minutos, contando ainda o tempo entre trens, você chegará então à rua 33 Oeste, próxima à 7ª Avenida. Por lá, caso esteja longe do seu hotel, pode pegar um táxi ou continuar a viagem por metrô. Na volta, novamente você precisará ter US$ 5 de crédito no cartão, e ficar atento ao horário de “peak” do sentido contrário, que vai das 16h às 20h. Clique aqui para consultar o preçário de todas as zonas.

Ônibus

Se você está sem pressa e quer economizar no trajeto JFK – Manhattan, os ônibus executivos da NYC Airporter podem proporcionar essa viagem. No site da empresa é possível consultar todas as paragens e valores disponíveis, sendo o custo do aeroporto até o terminal rodoviário de Port Authority de US$ 18 (um trecho). O valor também é o mesmo para o trajeto contrário (do terminal ao aeroporto) ou US$ 34 se optar por comprar o bilhete de ida e volta logo de uma vez.

Os ônibus saem a cada 20 a 30 minutos, das 5h30 às 23h30 e o percurso tem duração média de 90 minutos. Dá pra pagar ainda mais barato fazendo a sua reserva pelo aplicativo da empresa, com desconto de 10% em sua primeira viagem.

Shuttle

Conhecidas como vans compartilhadas, os shuttles são a melhor opção para quem viaja sozinho ou em duas pessoas, no máximo. Isso por que sua reserva é dada individualmente, e não por valor cheio do trajeto.

Também disponíveis ao sair do aeroporto, as vans são disponibilizadas por duas empresas, sendo a Super Shuttle e a Go Airlink NYC e cobram valores entre US$ 20 a US$ 22 e te deixam na porta do seu hotel após uma viagem de, em média, uma hora. Após adquirir o seu bilhete, procure pela companhia contratada e apresente seu código de reserva; o sistema te colocará em uma van com mais 10 pessoas que irão para a mesma direção.

Para quem está fazendo o percurso contrário e precisa chegar até o aeroporto, as empresas também oferecem o serviço, que pode ser reservado com desconto se online. A van passará te pegar no hotel.

Táxi ou Uber

Certamente esse é meio mais cômodo de sair do aeroporto de Nova York e chegar à Manhattan sem se importar com o mar de gente dos transportes públicos. Também a alternativa mais cara, conseguir um amarelinho para te levar ao centro da cidade é fácil, e pode ser ainda mais vantajoso quando se viaja em grupos, já que o pagamento é único pelo trajeto, e não por passageiro. Lembre-se que táxis ilegais não são amarelos e costumam aguardar por passageiros logo na área de desembarque.

No caso dos táxis, a tarifa é fixa somente do JFK para Manhattan, no valor de US$ 52 mais taxa de US$ 4,50 se solicitado em horário de pico (das 16h às 20h de segunda à sexta). Os táxis podem comportar até quatro passageiros, sendo cinco somente em caso de minivans e a duração média do trajeto até o centro da cidade é de uma hora. Para consultar o preçário para outras regiões como Bronx, Brooklyn, Queens e Staten Island, clique aqui.

Valores como pedágios (em média US$ 8) e gorjetas (é bastante comum dar gorjetas entre US$ 7 a US$ 10) também podem ser incididos. Trajetos que não Manhattan incidem a tarifa do taxímetro, que pode ser calculada clicando aqui.

Com o Uber o trajeto mais econômico (UberPOOL) pode ser feito por, em média, US$ 35, com tempo médio de duração do percurso de uma hora.

Pessoas no aeroporto

Aeroporto de La Guardia

Seguido do JFK, o aeroporto de La Guardia também está localizado no Queens e opera principalmente voos domésticos, o pode tornar importante saber como chegar ao centro a partir dele; principalmente por este ser o aeroporto mais próximo da área central, se comparado aos demais. Caso você chegue internacionalmente para alguma outra parte dos Estados Unidos e precise ir à Nova York, veja o que fazer.

Táxi ou Uber

Considerando que a Times Square está a somente 14 km do aeroporto de La Guardia, optar pelo táxi pode ser uma alternativa confortável e econômica, principalmente se estiver em duas ou mais pessoas. Em média, o trajeto até a área central de Manhattan deverá custar cerca de US$ 25 a US$ 37, já com o valor da gorjeta. Lembrando que, ao contrário do aeroporto JFK, o La Guardia possui taxistas que trabalham à preços por taxímetro. Por isso, peça para que o táxi vá pela Queensborough Bridge, pois assim você também evita pagar pedágio.

De Uber, a corrida compartilhada entre duas pessoas (UberPOOL) tem valor de US$ 22 e tem previsão de chegada em 40 minutos.

Shuttle

Novamente, as vans desempenham um excelente custo-benefício, principalmente quando se está viajando sozinho nesse caso. As empresas Super Shuttle e a Go Airlink NYC também atuam por aqui, mas com valores diferenciados, sendo em média US$ 19 o custo por passageiro, com direito a uma bagagem de mão e uma mala grande – fique atento às limitações! A van te deixará no destino escolhido, e para fazer o trajeto contrário também basta efetuar a reserva online e esperar pelo shuttle em seu hotel na data e horário escolhidos.

O tempo do percurso pode variar muito, uma vez que você poderá ser o primeiro passageiro a desembarcar, ou dar o azar de ser o último.

Ônibus

Quando falamos em ônibus, aqui temos duas opções: os executivos da NYC Airporter, já citados anteriormente, e o transporte público convencional, que deverá deixá-lo em uma estação de metrô. Se quiser ir de NYC Airporter, o bilhete para um trajeto (ida OU volta) custa US$ 15; para ambos, US$ 28. O ônibus partem a cada 30 minutos e fazem paragens em Grand Central, Penn Station e Port Authority Bus Terminal.

Agora se pretende pegar o transporte público, o segredo é embarcar no ônibus M60, que desce a mais ou menos 15 minutos de caminhada depois da estação Astoria/Hoyts Ave. de metrô. Nela, pegue a linha Q ou N, que vão em direção à Manhattan. O custo total com o MetroCard será de US$ 2,75 + US$ 1 do cartão; sem o cartão e pagando o ônibus em moedas o total da viagem ficará em US$ 5,50. O percurso total será de, em média, uma hora, e para fazer o percurso contrário, basta seguir a mesma lógica reversa até o aeroporto (linhas Q ou N até Astoria/Hoyt Ave., ônibus M60 até La Guardia).

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]

Sobre o Autor

Heloisa Von Ah

Apaixonada por cinema, gatos e tecnologia, descobriu que viajar também é indispensável. Percebeu que o mundo é bem maior que uma cidade do interior paulista e após mais de um ano em Portugal, aguarda a próxima aventura.

Artigos Relacionados