A Espanha é um dos países mais procurados por brasileiros quando o assunto é morar fora. Mas será que vale a pena? Se você está interessado em saber como morar na Espanha, vamos explicar desde o visto de estudos ao de trabalho.

Para algumas pessoas, morar na Espanha é uma boa opção pela proximidade da língua, facilidade em aprender e o famoso jeitinho para se falar um “portunhol”. Para outros, a língua pode ser difícil. Mas o que importa aqui é que a Espanha, de modo geral, é um país alegre, divertido e acolhedor. Mas e quanto a crise? Veja o que achamos e se ainda vale a pena partir para o continente europeu.

Como morar na Espanha para trabalhar

A Espanha é um dos vários países em que os brasileiros não precisam de visto para entrar no país. No entanto, esta permissão é apenas para aqueles que chegam a turismo e ficam por um período máximo de 90 dias. A partir daí é preciso ter em mãos uma autorização de residência temporária (para quem vai ficar por mais de 90 dias a até cinco anos). É importante lembrar também que quem não tem cidadania espanhola ou não tem família morando na Espanha, precisa apresentar uma razão para morar na Espanha e solicitar a permissão ainda no Brasil, que pode ser estudar ou trabalhar, ou ambos.

Veja abaixo a lista de documentos necessários para trabalhar no país:

  • Formulário de Pedido de Visto preenchido e assinado original e cópia (veja aqui)
  • Foto 3×4 tipo passe
  • Passaporte válido – quatro meses – original e cópia das páginas de dados
  • Certificado de antecedentes criminais – expedido pela Polícia Federal Brasileira
  • Número de RG ou CPF (orginal e cópia)
  • Registro Nacional de Estrangeiros (RNE) – realizado pela Polícia Federal
  • Contrato de Trabalho carimbado pelo Escritório de Estrangeiros
  • Atestado médico – em anexo ao formulário (última página)
  • Seguro de Saúde para todo o período solicitado de visto
  • Comprovativo de meios de subsistência (imposto de renda ou extrato bancário)

O valor das taxas para solicitação do visto é de R$247. Em alguns casos pode ser solicitado a comprovação de proficiência na língua espanhola. Ao chegar na Espanha, o trabalhador deverá tratar de inscrever-se no Regime de Segurança Social correspondente e de solicitar o cartão de identidade de estrangeiros (TIE).

Para consultar mais informações acesse o site oficial da Embaixada Espanhola no Brasil e, para saber onde estão os Consulados, veja este link.

150 sites para procurar emprego fora do Brasil

Estudar na Espanha

Agora, se você quer morar na Espanha para estudar, pode solicitar o visto para essa atividade. Vale lembrar que todo e qualquer documento que seja necessário autenticar no Brasil (histórico escolar, por exemplo) deve ser feito no Ministério das Relações Exteriores do seu estado ou do mais próximo.

  • Formulário de Pedido de Visto preenchido e assinado original e cópia (veja aqui)
  • Foto 3×4 tipo passe
  • Passaporte válido – quatro meses – original e cópia das páginas de dados
  • Certificado de antecedentes criminais – expedido pela Polícia Federal Brasileira
  • Número de RG ou CPF (orginal e cópia)
  • Registro Nacional de Estrangeiros (RNE) – realizado pela Polícia Federal
  • Carta de Admissão ou Matrícula em um centro de estudos autorizados
  • Atestado médico – em anexo ao formulário (última página)
  • Seguro de Saúde para todo o período solicitado de visto
  • Comprovativo de meios de subsistência (imposto de renda ou extrato bancário)

O valor das taxas são as mesmas, de R$247 e o processo também deve ser feito no Brasil. Vale ressaltar que, se não for um curso de línguas (espanhol, no caso), pode ser solicitado a proficiência no idioma antes de ser aprovado o visto. Em alguns casos também pode ser solicitado o comprovativo de alojamento.

Caso a estadia como estudante passe dos seis meses, será preciso solicitar até um mês antes desse prazo o cartão de estudante estrangeiro junto do Serviço de Estrangeiros ou da Esquadra de Polícia correspondente, quando já estiver na Espanha.

O visto de estudante permite trabalhar?

Sim, desde que seja uma carga horária máxima de 20 horas semanais e, em caso de estágios, é preciso comprovar o vínculo com algumas instituições de ensino no país. Ou seja, mesmo que você tenha sido selecionado para realizar um estágio, precisa estar matriculado em uma instituição autorizada. O valor de um estágio pode variar entre 200€ e 500€ mensais.

Para mais dúvidas sobre vistos, consulte a página de Perguntas Frequentes do Consulado da Espanha.

Reagrupamento Familiar: casado com espanhol / cidadão europeu / filhos

Outra possibilidade de morar legalmente na Espanha é quando se é familiar de cidadão europeu residindo na Espanha. Para quem faz parte de um dos casos abaixos não é necessário visto. Ao chegar na Espanha, apenas devem solicitar a Carteira de residência de familiar de cidadão da União.

  • Cônjuge;
  • Companheiro com o qual mantiver uma união análoga à conjugal inscrita num registro público estabelecido com esse fim num Estado membro da União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega ou Suíça;
  • Companheiro com o qual mantiver uma união estável, devidamente comprovada (o tempo de convivência marital deverá ser de, como mínimo, um ano ininterrupto, salvo se tiverem descendência comum, em cujo caso bastará a comprovação da convivência estável, devidamente comprobada);
  • Descendentes diretos e os de seu cônjuge ou companheiro registrado, menores de 21 anos ou maiores de tal idade que viverem às suas expensas ou incapazes;
  • Ascendentes diretos e os de seu cônjuge ou companheiro registrado que viverem às suas expensas
  • Outros membros da família que estiverem a cargo do cidadão da União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega ou Suíça ou residam com ele ou que, por motivos graves de saúde ou de invalidez, for estritamente necessário que o cidadão da União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega ou Suíça faça-se cargo do seu cuidado pessoal.

Custo de vida na Espanha

O salário mínimo atual da Espanha está em 655.08€ por mês. Para fazermos uma média do custo de vida na Espanha, utilizaremos as informações do site Numbeo, através do comparativo entre as principais cidades: Madrid; Barcelona; Sevilha, Valência e Salamanca. Ressaltamos que os valores são referentes ao consumo mensal e, não considera gastos extras como lazer, compras de roupas e medicamentos (por exemplo). Veja os valores:

 Madrid – média salarial de 1.440€

  • Apartamento (um quarto): entre 520€ e 715€
  • Contas (água, luz, aquecimento e coleta de lixo): entre 100€ e 180€
  • Mercado: entre 70€ e 120€
  • Transporte: 54€

Total: entre 744€ e 1.069€

 Barcelona – média salarial de 1.584€

  • Apartamento (um quarto): 552€ e 708€
  • Contas (água, luz, aquecimento e coleta de lixo): entre 100€ e 170€
  • Mercado: entre 70€ e 120€
  • Transporte: 52€

Total: entre 774€ e 1.050€

 Sevilha – média salarial de 1.137€

  • Apartamento (um quarto): 400€ a 540€
  • Contas (água, luz, aquecimento e coleta de lixo): 100€ a 140€
  • Mercado: 130€ a 180€
  • Transporte: 35€

Total: entre 665€ e 895€

 Valência – média salarial de 1.439€

  • Apartamento (um quarto): entre 325€ e 437€
  • Contas (água, luz, aquecimento e coleta de lixo): entre 94€ e 125€
  • Mercado: 80€ e 100€
  • Transporte: 42€

Total: entre 541€ e 704€

 Salamanca – média salarial de 1.440€

  • Apartamento (um quarto): 277€ e 384€
  • Contas (água, luz, aquecimento e coleta de lixo): entre 140€ e 170€
  • Mercado: entre 70€ e 110€
  • Transporte: 22€

Total: entre 509€ e 686€

Nota-se aqui que a diferença entre a média salarial e os gastos não são tão diferentes. Porém, é sempre possível economizar, seja morando em casas partilhadas e alugando apenas um quarto ou, até mesmo nas despesas mensais como as de mercado e transporte.

Vale a pena morar na Espanha?

Daí vem a pergunta mais intrigante de todas, será que vale mesmo a pena morar na Espanha? Respondê-la também é bem difícil, pois tudo irá depender das condições em que você estará no país. O ideal é, antes de fazer as malas, planejar cada detalhe para não passar por apertos desnecessários

Para aqueles que vão trabalhar, a dica mais importante de todas é que a procura seja realizada no Brasil e, só depois dos detalhes acertados (inclusive o salário) é que se deve mudar para o país. Isso porque só assim, com os valores em mãos, você poderá decidir se vale a pena ou não morar na Espanha. Se o salário for justo em relação ao custo de vida, vale a pena considerar.

Para os estudantes, se o curso tiver uma bolsa de estudos disponível, melhor ainda. Porém, se não é este o caso, é preciso colocar as despesas na ponta do lápis para que a sua formação não seja interrompida. É preciso considerar a cotação da moeda estrangeira, neste caso do euro, e prever variações a mais como forma de segurança

Taxa de desemprego

No entanto, com certeza a nossa resposta é, quando bem pensado e calculado, ir morar na Espanha vale a pena. Isto não só pela experiência de poder viver em outro país, mas também pelo fato de morar em um país “amigável”, com melhores sistemas de infraestrutura e segurança, além é claro do aprendizado de uma nova língua e cultura. Já com relação à crise e que todo mundo quer saber, se ela afeta o dia a dia dos moradores espanhóis, a resposta é que sim. Mas nem por isso o país parou no tempo e, aos poucos, está se recuperando. Hoje em dia, a taxa de desemprego local ainda é alta, sendo ela de 25% para a população e cerca de 33% para os imigrantes.

Veja também:

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.