Como fazer intercâmbio pela faculdade

Se você ainda está cursando uma graduação ou pós-graduação em uma universidade brasileira, saiba como fazer intercâmbio e até mesmo conseguir bolsas de estudo no exterior.

Isso porque existem diversas opções oferecidas que vão desde programas do governo até convênios com organizações internacionais que bancam os estudos e a moradia de alunos por períodos que variam de meses a anos.

Quer aproveitar essa grande oportunidade? Então, continue lendo este artigo para saber:

  • Quais passos seguir para fazer um intercâmbio
  • Opções de intercâmbio para estudantes universitários
  • Sobre o Programa Ciência sem Fronteiras
  • As instituições que oferecem bolsas de estudos para universitários

Lista com bolsas de estudos para estudar no exterior

Agora, se sua chance de ir para fora como estudante já venceu, você também pode cotar programas de intercâmbio de estudo ou até trabalho por diversas agências. Clique neste link para conferir a lista do Já Fez as Malas com as melhores agências de intercâmbio.

Como fazer intercâmbio pela faculdade

O primeiro passo para conseguir um intercâmbio pela faculdade é se informar sobre quais organizações possuem convênio com sua instituição de ensino. Muitos convênios são fechados pela área dos cursos oferecidos na universidade. Essa pesquisa pode ser feita no próprio site da universidade, pelo diretório acadêmico de sua graduação ou entrando em contato com a secretaria do local.

Para fazer o intercâmbio, o estudante basicamente passará pelas seguintes etapas:

  • Se inscrever no programa de bolsa de estudos ou de intercâmbio
  • Providenciar toda documentação solicitada (incluindo passaporte, caso ainda não tenha).
  • Alcançar a nota mínima nos testes de proficiência no idioma do país de destino, caso necessário (exemplos: TOEFL, para inglês, e DELE, para o espanhol)
  • Solicitar visto para o país de destino
  • Fechar custos de acomodação e do curso (caso não seja bolsa de estudos)
  • Fazer um seguro saúde (obrigatório para tirar visto em muitos países)
  • Reservar a passagem aérea de ida e volta

Opções de intercâmbio para quem faz faculdade

Independentemente do convênio que sua universidade tiver, existem alternativas que podem servir para praticamente qualquer estudante universitário brasileiro. São elas:

  • Estágios de verão por agência
  • Programas de trabalho e estudo por agência
  • Programa Ciência sem Fronteiras
  • Programas de bolsas de estudo concedidas por instituições, empresas e fundações

Além das opções acima, existem iniciativas específicas das próprias universidades. A SINTER (Secretaria de Relações Internacionais) da Universidade Federal de Santa Catarina, por exemplo, possui convênio com diversas instituições de ensino em todos os continentes.

Outro exemplo é o Programa Humanas sem Fronteiras, promovido pela VRERI (Vice-Reitoria Executiva de Relações Internacionais) da Unicamp, que leva alunos matriculados em cursos da área de humanas para o exterior com bolsas no valor de até R$12.500.

A USP também tem diversas opções para enviar alunos para fora do país, como o Programa de Bolsas de Intercâmbio para Alunos de Graduação, o qual chegou a oferecer 1.100 bolsas de estudos por meio das modalidades “Bolsa de Mérito Acadêmico” e “Bolsas de Empreendedorismo”.

Conhecendo o Programa Ciência sem Fronteiras

Independentemente de sua área de estudo, você provavelmente conheceu ou tem algum colega que já foi para fora do Brasil pelo Programa Ciência sem Fronteiras.

O projeto criado em parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Ministério da Educação busca promover a troca de conhecimentos na área de ciência, tecnologia e inovação por meio da mobilidade internacional de centenas de milhares de universitários brasileiros. Os gastos com esse investimento são fomentados pelas instituições CNPq e Capes e as Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

Confira abaixo os tipos de cursos abrangidos pelo Programa Ciência sem Fronteiras:

• Engenharias e demais áreas tecnológicas;
• Ciências Exatas e da Terra;
• Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
• Computação e Tecnologias da Informação;
• Tecnologia Aeroespacial;
• Fármacos;
• Produção Agrícola Sustentável;
• Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
• Energias Renováveis;
• Tecnologia Mineral;
• Biotecnologia;
• Nanotecnologia e Novos Materiais;
• Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
• Biodiversidade e Bioprospecção;
• Ciências do Mar;
• Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
• Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
• Formação de Tecnólogos.

Um importante destaque para esse projeto é que alunos de graduação e até de pós-doutorado podem conseguir essa bolsa. Os valores concedidos para cara nível de ensino podem ser conferidos neste link.

Para conseguir uma vaga no Ciência sem Fronteiras, o estudante precisa primeiro consultar se a universidade brasileira onde ele estuda aderiu ao programa. Para as bolsas de doutorado sanduíche e doutorado é preciso que o candidato já tenha sido admitido na instituição de ensino estrangeira.

Depois, é preciso aguardar a abertura dos processos de convocação que podem ser consultados nesta página.

Bolsas de Estudos

Fizemos um post especial com algumas das principais bolsas de estudo no exterior. Caso nenhuma das opções seja adequada para você, vale a pena dar uma olhada nos outros artigos que fazem parte dessa série sobre intercâmbios. Clique nos links abaixo para conferir:

Facebook   Nosso grupo   Twitter Youtube

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem