Como estudar na Nova Zelândia: cursos de inglês, graduação, mestrado e mais

Estudar na Nova Zelândia pode ser muito mais do que uma experiência no exterior. O país destaca-se mundialmente nos investimentos feitos na educação e tem excelência reconhecida na qualidade de ensino.

Um dos objetivos do sistema de ensino neozeolandês é que os estudantes, independente do ciclo de estudos que frequentaram, saiam aptos para entrar no mercado de trabalho de qualquer lugar do mundo. E, mesmo que orçamento para um curso seja limitado, o governo disponibiliza bolsas frequentemente.

Cursos de inglês

Uma boa parte dos brasileiros que vai estudar na Nova Zelândia opta por fazer intercâmbio e frequentar cursos de inglês. O país é tido como um dos destinos mais baratos para investir no aprendizado do idioma, sendo mais econômico que lugares como Estados Unidos e Inglaterra. Outra vantagem é que, para estadias de até 90 dias, os estudantes do Brasil não precisam de um visto específico, pois o país faz parte da lista dos Visa waiver countries.

É possível fazer todo o processo através de agências de intercâmbio ou por conta própria, contactando diretamente a escola que se quer frequentar. A ida através de agência pode sair um pouco mais cara por incluir taxas de serviço e afins, mas traz uma certa comodidade e suporte durante a experiência, que pode ser necessário especialmente em caso de problemas.

As cidades mais procuradas pelos intercambistas são Auckland, Wellington e Queenstown. As duas primeiras possuem um ar mais metropolitano, são bem maiores e também possuem mais opções de escolas de idiomas. Queenstown é a típica cidade de veraneio, oferece um clima mais descontraído e é a melhor opção para quem, além de aprender inglês, quer dedicar um tempo à prática de esportes radicais.

Fazer graduação e cursos técnicos na Nova Zelândia

Já se sabe que escolher estudar na Nova Zelândia signfica escolher um país que tem nota máxima no quesito excelência de ensino. Quando o assunto é frequentar uma universidade, o assunto é ainda mais sério, uma vez que todas as instituições de ensino superior neozeolandesas fazem parte do QS World University Ranking. A lista inclui todas as melhores universidades do mundo e apenas 3% das faculdades de todo o mundo fazem parte desta seleção.

Como o país é membro da Lisbon Qualification Recognition Convention, os graus conferidos pelos instituições neozeolandesas são reconhecidos em mais de 50 países, o que significa menos gastos e burocracias se a intenção for trabalhar em outro lugar. As áreas com mais destaque e procura são Engenharia, Agricultura, Tecnologia, Gestão e Design Digital.

Na Nova Zelândia é possível frequentar uma universidade, ITP’s (Institutos de Tecnologia e Politécnicos) e ainda PTE’s (Estabelecimentos de Treinamento Privado), que costumam ter programas vocacionais voltados para áreas específicas como Gastronomia. A agência de educação do governo da Nova Zelândia tem uma ferramenta que ajuda os estudantes a localizar o programa que vai de encontro aos seus interesses.

A seleção é de responsabilidade da instituição escolhida. Cada uma tem o seu modelo de ingresso, mas a prova de fluência no inglês é um requisito de todas, até porque os programas são ministrados nesse idioma. No Brasil existem agentes credenciados, ligados ao ministério da educação neozeolandês, que podem ajudar a perceber melhor os critérios de seleção e qual o melhor caminho para escolher um curso.

Apenas depois da aprovação na instituição escolhida, em posse de um documento que a comprove, é que se pode dar entrada no visto de estudante. Nesta fase, também é possível conhecer as formas de financiamento oferecidas pelas própria instituição ou pelo governo do país. Uma graduação na Universidade de Auckland, por exemplo, pode ir de NZD 30 mil a NZD 50 mil.

Pós-graduação, mestrado e MBA

Os mestrados na Nova Zelândia têm entre 1 e 2 anos de duração e podem ser extremamente orientados para o campo da pesquisa (research masters) ou mais focados na prática (taught masters), com objetivo de entrada imediata no mercado de trabalho. Após o fim do mestrado, os estudantes são elegíveis para um período de até três anos trabalhando no país.

Vale lembrar que os mestrados estão disponíveis tanto nas universidades como nos institutos politécnicos. E, para quem ainda não tem fluência no idioma, é possível fazer um curso na própria instituição antes do início oficial das aulas.

As pós-graduações, normalmente, duram de 6 meses a 1 ano e estão disponíveis tanto nas universidades, como nos institutos politécnicos e estabelecimentos de treinamento privado. Existem cursos que vão desde pós em Medicina Tradicional Chinesa até outros muito mais focados em conhecimentos tecnológicos. Os preços dos programas variam entre NZD 25 mil e NZD 45 mil.

Os MBA’s são encontrados, na maior parte das vezes, nas universidades, com uma duração que varia de 12 a 18 meses. Dependendo da universidade e do programa, é possível encontrar valores de até NZD 10 mil. É importante lembrar as mensalidades pagas por estudantes internacionais é diferentes das pagas por nacionais.

Visto para estudar na Nova Zelândia

Como já foi dito anteriormente, os estudantes que objetivem fazer apenas cursos curtos, de até 90 dias, neste momento, não precisam ter um visto específico. No entanto, a partir de 1º de outubro de 2019, algumas mudanças serão colocadas em vigor. Antes da data da viagem, será preciso solicitar através da internet uma uma ETA (Eletronic Travel Authority) e pagar uma taxa chamada IVL (International Visitor Conservation and Tourism Levy). O custo dessa operação ficará entre NZD 47 e NZD 54.

Já se a duração do curso for maior, será preciso solicitar um visto de estudante. Nessa categoria, existem vários que atendem a critérios específicos. O tipo mais abrangente é o Fee Paying Student Visa, que refere-se a todos os estudantes estrangeiros pagantes de mensalidades em instituições de ensino, sejam elas de ensino básico, superior ou técnico. O processo pode ser feito inteiramente online e o visto é concedido pelo tempo que o período de estudos durar, sendo que o máximo é de 4 anos.

Uma das vantagens de estudar na Nova Zelândia é que é possível trabalhar também. Durante o período de aulas, pode-se exercer uma atividade remunerada por até 20 horas/semana. Já nas férias, o trabalho pode ser de até 40 horas semanais.

Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos