Com empregos qualificados facilitados para profissionais de determinadas áreas, o Canadá firma-se como uma das nações mais seguras e igualitárias do mundo – quer viver esse sonho? Veja a seguir qual é o custo de vida no Canadá e quanto é preciso ganhar para usufruir do bom e do melhor no país.

Custo de vida no Canadá

Quando falamos em custo de vida no Canadá temos que levar em consideração cada uma das províncias que integram o país – sendo ele ainda segmentado em uma metade sob colonização francesa e outra inglesa.

Basicamente, os custos para viver no Canadá, se comparados a demais países desenvolvidos como Estados Unidos ou Inglaterra são muito inferiores, sendo possível sustentar-se de maneira relativamente fácil, variando esse montante apenas no quesito moradia (mais cara entre províncias mais populosas) e no salário mínimo praticado pelo governo local.

A seguir, veja qual é o custo mensal aproximado que uma única pessoa possui nas cidades mais habitadas do Canadá. Os dados foram levantados a partir de dados do Governo Canadense e de suas respectivas províncias e também considerações fornecidas por moradores locais e visitantes ao Numbeo e portais imobiliários.

Toronto

Claramente a mais populosa cidade canadense, Toronto conta com aproximados 5.583.064 habitantes com base nos dados do Censo de 2011. Situada na província de Ontario, o salário mínimo por hora trabalhada está em CAD$ 11,25, sendo esse valor ajustado anualmente consoante ao aumento do custo de vida. Em adição, o salário mensal médio do cidadão de Toronto gira em torno dos CAD$ 3.366,59.

Aluguel: uma vez que estamos falando sobre a cidade mais populosa do país, o custo de vida no Canadá certamente é superior em Toronto. Na cidade, de acordo com o portal Toronto Rentals é possível encontrar apartamentos de um dormitório, equipados com cozinha e lavanderia, próximos a escolas e shoppings na localidade de Fairbank por CAD$ 1.060.

Já diante das contribuições ao Numbeo, essa configuração tem custo de CAD$ 1.155,73, oscilando entre CAD$ 910 e CAD$ 1.400 fora do centro da cidade, de acordo com as preferências e bairros onde o imóvel se encontra.

Contas: relativo às despesas básicas com água, luz, lixo e aquecimento, um cidadão de Toronto residente em moradia de aproximados 85m2 precisa arcar com valores médios de CAD$ 126,18, sendo o gasto mínimo computado o de CAD$ 75 e máximo em CAD$ 205,17 (segundo o Numbeo).

Internet e Telefone: para contas com internet banda larga e telefonia fixa e móvel, os gastos ficam em aproximados CAD$ 41 para internet, CAD$ 50 em TV a cabo e outros CAD$ 45 em telefonia. Para ligações móveis locais, paga-se CAD$ 0,31 o minuto.

Transporte: quando falamos em transporte público, a tarifa diária unitária para circular pela cidade se encontra em CAD$ 3,25; já os gastos com planos mensais de transporte saem por CAD$ 141,50 em média.

Alimentação: na cidade, com base em uma alimentação 2400 calorias diárias, um cidadão consegue passar 31 dias do mês gastando em média CAD$ 11,82 por dia –  totalizando um gasto mensal de CAD$ 366,42. Para cálculos mais precisos, consulte a calculadora de despesas com alimentação fornecida pelo governo de Toronto, clicando aqui.

Seguro: assim como algumas outras províncias canadenses, Ontario também isenta seus residentes de pagamento para ter acesso à saúde pública e medicamentos. Para isso, basta aplicar para emitir o seu cartão de saúde (despesas com cirurgia plástica não estão inclusas).

Extras: oscilando entre CAD$ 40 e CAD$ 70, o gasto médio para se matricular em uma academia na cidade está em CAD$ 54,28 – se para isso precisar comprar um tênis novo de corrida, prepare-se para arcar com preços em torno dos CAD$ 96,45. Por outro lado, se prefere gastar seu tempo com entretenimento, um ingresso para o cinema está em CAD$ 13.

Total: ao final dos valores apresentados acima, chegamos a um valor mensal de CAD$ 2.006,83 para se manter no país – sem muitos luxos. Lembrando que esse montante não inclui gastos com imprevistos com produtos ou serviços. Para tal, pode-se adicionar uma folga de CAD$ 250.

Montreal

Com o francês como idioma materno, os residentes de Montreal já passam dos 3.824.221 habitantes de acordo com o Censo de 2011. Situada na província de Quebec, o salário atual se encontra em CAD$ 10,75 a hora trabalhada, sendo a média mensal de ganhos os CAD$ 2.685,68.

Aluguel: De acordo com o portal RentalMontreal, vamos além com relação às demais cidades aqui listadas. Afinal, na cidade é possível alugar um apartamento de um dormitório completamente mobiliado (desde eletrodomésticos a estofados e até um pequeno escritório) por CAD$ 900. O imóvel se encontra a 10 minutos da estação de metrô Snowdon e 5 minutos do Hampstead Park.

Ainda que tenhamos boas ofertas anunciadas em portais imobiliários, de acordo com as contribuições ao Numbeo, um apartamento de um dormitório afastado do centro da cidade pode ser alugado por cerca de CAD$ 669,57 em termos mais simples como estúdios ou ausentes de mobília.

Contas: De acordo com o Numbeo, os gastos somados com água, luz, aquecimento e coleta de lixo gira em torno de CAD$ 98,30, sendo o mínimo de CAD$ 70 e máximo CAD$ 148,75 para apartamentos de 85m2.

Internet e Telefone: sobre internet, paga-se por planos entre CAD$ 45 e CAD$ 68, sendo a média da cidade os CAD$ 54,50. Quanto a telefonia móvel, há um custo médio de CAD$ 0,39 por minuto em ligações locais.

Transporte: com tarifa unitária em CAD$ 3,25, o cidadão que precisa do transporte público diariamente pode optar pelo passe mensal, custando CAD$ 82.

Alimentação: de custo mais elevado que as demais províncias, o valor recomendado para uma alimentação mensal – por indivíduo – é de CAD$ 432,63. O cálculo realizado pelo Numbeo considera uma dieta diária de 2400 calorias.

Seguro: quando à saúde, a província de Quebec também possui um sistema de abrangência público totalmente gratuito, bastando o residente ter em mãos o cartão-saúde relativo à seu registro. Lembrando que esse atendimento não abrange operações estéticas.

Extras: relativamente a questão de entretenimento os ingressos do cinema giram em torno dos CAD$ 11 e CAD$ 15, sendo a média cobrada os CAD$ 12. Para academias de ginástica, a média da mensalidade está em CAD$ 44,37.

Entretanto, além do alto custo dos serviços praticados no país (pense melhor sobre as químicas complexas nos cabelos), para comprar um modelito em calças jeans Levis separe a média de CAD$ 65,57; para sapatos sociais em couro, CAD$ 123,82 podem ser suficientes; vestidos de verão de lojas como Zara e H&M, espere por valores como CAD$ 43,69.

Total: Também entre os custos de vida mais elevados, somamos um total de CAD$ 1.868,88. É importante frisar que nos gastos extras o morador deve computar valores a mais mediante suas necessidades particulares.

Vancouver

Uma das cidades mais caras do país, Vancouver é conhecida pelo clima favorável – os invernos não menos rigorosos e não há neve – e pelas frequentes filmagens hollywoodianas no local.

Desde o último Censo, em 2011, Vancouver conta com 2.313.328 de habitantes e salário de CAD$ 10,45 por toda a extensão da província de British Columbia. O rendimento médio é de CAD$ 2.875,20.

Aluguel: Dentro da média para viver fora do centro da cidade, o custo mensal é de CAD$ 1.196,65 para apartamentos de um dormitório. Com pouco menos desse valor encontra-se por CAD$ 1 mil apartamentos semi mobiliados próximo a transportes públicos, shopping e escolas. Através do portal Kijiji.ca, esse valor abrange despesas com contas básicas junto ao aluguel.

Contas: de acordo com contribuições ao Numbeo, para uma moradia de 85 metros quadrados as despesas mensais podem chegar a CAD$ 115, sendo a média os CAD$ 71,44.

Internet e Telefone: sobre gastos com TV, internet e telefonia móvel os custos são de CAD$ 50, CAD$ 41 e CAD$ 45 ao mês. Referente ao montante com planos de celular, é importante frisar que os custos variam consideravelmente de acordo com a operadora selecionada.

Transporte: Caso pretenda usos esporádicos do transporte público, a tarifa se mantém entre CAD$ 2,75 e CAD$ 3,15. Por outro lado, o passe mensal em Vancouver pode variar de CAD$ 91 a CAD$ 124, dependendo da localidade.

Alimentação: Variando entre CAD$ 280 e CAD$ 520, o custo médio em alimentação para uma pessoa ronda os CAD$ 400 confortavelmente. Se optar por comer fora, um almoço em restaurante low cost sai em torno de CAD$ 15.

Seguro: a partir de 2017, residentes com rendimentos de até CAD$ 24 mil estão isentos de taxas para usufruir da saúde pública e medicamentos. Faixas a partir de CAD$ 24.001 passam a pagar valores consoantes aos ganhos. Consulte a tabela no portal da província de British Columbia.

Extras: considerando que serviços como manicure, cabeleireiro ou despesas com a casa como encanadores ou eletricistas são relativamente caros em todo o país, resta-nos levantar custos de entretenimento como cinema, entre CAD$ 12 e CAD$ 15 e bem-estar com a mensalidade média de CAD$ 45 em uma academia – não se esqueça de garantir seu tênis para corrida, por CAD$ 132, em média.

Total: Tendo em mente os valores mínimos para se manter no país, sem luxos ou extravagâncias, uma única pessoa precisará de CAD$ 1.888,44 para tal.

Ottawa

Capital do Canadá, Ottawa certamente está entre as mais populosas e caras cidades do país, contando com 1.236.324 de habitantes de acordo com o Census de 2011 e ganhos de CAD$ 11.25 por hora trabalhada. Na cidade, considerada a terceira mais limpa do mundo, o salário médio ronda os CAD$ 3.137,26 e são falados o inglês e o francês no local – e também em toda a província de Ontario.

Aluguel: Claramente de alto custo, para viver em Ottawa será preciso desembolsar no mínimo CAD$ 800 mensais mudar-se para um estúdio simples em Westboro, porém mobiliado e equipado. O imóvel está disponível no portal Kijiji.ca.

Por outro lado, de modo geral, os custos de um apartamento com um dormitório na cidade está em CAD$ 902,51.

Contas: entre contras básicas de água, luz, aquecimento e coleta de lixo, paga-se a média de CAD$ 138,61 ao mês, sendo um mínimo de CAD$ 77 e máximo de CAD$ 255.

Internet e Telefone: segundo dados do Numbeo, o minuto em ligações locais (sem contratação de planos, somente telefonia pré-paga) tem custo de CAD$ 0,25. Já a internet e telefonia fixa têm custo mensal de CAD$ 58,48 (podendo oscilar entre CAD$ 42,93 e CAD$ 75).

Transporte: dentro da cidade, o bilhete único por viagem custará ao cidadão CAD$ 3,55. Porém, se faz uso do transporte público diariamente, pode-se contratar um plano mensal por valores entre CAD$ 102 e CAD$ 110, dependendo da sua zona de moradia e trajeto percorrido.

Alimentação: considerando alimentação para 31 dias do mês, estima-se o gasto de CAD$ 348,59 (aproximados CAD$ 11,24 ao dia) em uma dieta de 2400 calorias envolvendo carnes, frutas, legumes, laticínios e outros produtos.

Seguro: assim como algumas outras províncias canadenses, Ontario também isenta seus residentes de pagamento para ter acesso à saúde pública e medicamentos. Para isso, basta aplicar para emitir o seu cartão de saúde (despesas com cirurgia plástica não estão inclusas).

Extras: levando em consideração o alto custo de serviços como manicure ou cabeleireiros no país, mulheres vaidosas precisam guardar uma quantia a mais que os homens ao considerar um custo de vida no Canadá tranquilo e prazeroso.

Em gastos com cinema, o entretenimento ronda os CAD$ 12. Para cuidar da saúde, a mensalidade de uma academia de musculação fica em média os CAD$ 52. Durante uma ida ao shopping, vestidos casuais em lojas como Zara e H&M poderão custar cerca de CAD$ 45; tênis de corrida em torno de CAD$ 98; e sapatos de couro sociais, CAD$ 123,62.

Total: Levando em consideração os melhores custos apresentados no levantamento, soma-se um total de CAD$ 1.790,30, o menor custo de vida no Canadá quando falamos das maiores cidades do país. O montante não considera gastos com minutos de telefonia móvel.

Calgary

Situada na província de Alberta, Calgary é um dos destinos prediletos dos imigrantes no país. Computando 1.214.839 de habitantes no Censo de 2011, veja os custos para passar um mês na cidade que tem como salário mínimo os CAD$ 11,20/hora.

Aluguel: com aproximados US$ 700 é possível alugar bons imóveis para viver na cidade. Sem contas incluídas, pode-se alugar uma casa na região de Parkhill-Stanley Park com cozinha equipada (geladeira, fogão e armários). A casa ainda fica próxima ao centro, reunindo shopping e fácil acesso a transportes públicos e pode ser encontrada no portal RentFaster.ca.

Entretanto, a média local de apartamentos de um dormitório fora do centro da cidade fica em CAD$ 1.052,15 ao mês.

Contas: de acordo com dados do Numbeo, as contas referentes a despesas com água, luz, gás e lixo para uma moradia com área de 85 m2 ficam em CAD$ 166,90 – sendo um mínimo de CAD$ 100 e máximo de CAD$ 250.

Internet e Telefone: entre gastos com internet e telefonia fixa/móvel, uma única pessoa tem gasto médio mensal de CAD$ 59,20 e CAD$ 76 em 200 minutos em chamadas móveis locais.

Transporte: sob o passe diário de CAD$ 3,15, cidadãos que trafegam diariamente pela cidade podem pagar a taxa de CAD$ 99 para transitarem livremente.

Alimentação: considerando um mês com 31 dias, a média de consumo em alimentação do cidadão de Calgary está em CAD$ 398,62, de acordo com levantamento realizado pelo Numbeo.

Seguro: financiado pelo governo desde 2009, o sistema de saúde público e fornecimento de medicamentos funciona a partir de diversos planos, mas além das alternativas de subsídio, o cidadão precisa pagar apenas uma taxa anual de CAD$ 50 para usufruir do básico desse benefício. Veja mais detalhes no site da província de Alberta.

Extras: entre extras como uma saída ao cinema por semana e a mensalidade de uma academia, por exemplo, gasta-se a média de CAD$ 115,60. Lembre-se ainda de reservar uma quantia aproximada de mais CAD$ 200 para arcar com emergências ou necessidades esporádicas ao longo do mês.

Total: considerando os menores custos, ou com melhor custo-benefício avaliados, uma única pessoa gasta em média CAD$ 1.815,22, mais os CAD$ 4,16 ao mês se diluirmos os CAD$ 50 relativos à saúde.

*Artigo publicado originalmente em novembro de 2016 e atualizado em 02/01/2018.

Gostou desse artigo? Compartilhe e acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito por e para brasileiros apaixonados por conhecer outras culturas, viagem, gastronomia e para quem sonha em morar fora.

Artigos Relacionados