Já pensou em fazer as malas e ir morar na Argentina? O país vizinho tem diversos atrativos que fazem com que todos os anos muitos brasileiros dedicam morar, de forma temporária ou permanente, na terra dos nossos hermanos. Gostou da ideia? Então confira o que você precisa saber antes de se mudar para a Argentina.

Como morar na Argentina

Morar na Argentina é barato? Tudo depende do seu estilo de vida e da cidade onde você vai morar. Por isso, primeiro vamos pensar no custo de vida.

Custo de vida da Argentina

É verdade que o câmbio nos favorece, já que 1 peso argentino (baseado no câmbio de 22 de dezembro de 2015) custa R$0.30. Mas é preciso considerar que o custo de vida na Argentina varia da capital para o interior, e também é possível ter gastos diferentes de acordo com o seu padrão de vida.

Capital x Interior

É preciso ter algumas noções básicas, como:

  • O custo de vida de Buenos Aires é semelhante ao da cidade de São Paulo e Rio de Janeiro, de acordo com o site Expatistan, que faz comparações de custo de vida entre cidades do mundo todo. Veja a comparação aqui.
  • Se você se assustou com o custo de vida em Buenos Aires, fique calmo. A diferença de custos entre morar na capital e no interior da Argentina é muito grande. O custo de vida em Rosario, cidade do interior também muito procurada por brasileiros que decidem morar na Argentina, é mais barato do que o custo nas principais cidades do interior do Brasil. Viver em Rosário é 17% mais barato do que viver em Niterói, é 24% mais barato do que viver em Campinas, e 28% mais barato do que viver em Santos.

Relação entre custo de vida no Brasil x na Argentina

Na Argentina, os custos são diferentes dos praticados no Brasil, e a diferença não é só na moeda. Alguns artigos são muito mais caros por lá, como roupas, em que os preços podem chegar a até 96% mais alto do que os praticados aqui no Brasil. Enquanto isso, os transportes argentinos são mais baratos do que os brasileiros.

Confira a comparação entre o custo de vida entre os dois países, feita pelo site Numbeo.

  • Preços ao consumidor no Brasil são 41,17% menores do que na Argentina
  • Preço de aluguel no Brasil é 39,20% menor do que na Argentina
  • Preço de restaurantes no Brasil é 51,97% menor do que na Argentina
  • Preços de mantimentos (supermercado) no Brasil é 45,24% menor do que na Argentina
  • Poder de Compra dos brasileiros é 34,36% menor do que o dos argentinos
  • Preço dos transportes (incluindo transporte público, táxi e gasolina) no Brasil é 24% mais caro no Brasil do que na Argentina

Se você quiser conferir a comparação completa e detalhada sobre os custos de vida dos dois países, confira aqui.

Gastos médios

Aqui vale lembrar que tudo depende do estilo de vida. Mas considerando os valores médios gastos por brasileiros que vivem hoje em Buenos Aires em diferentes padrões econômicos, temos que:

Estudantes

A baixo custo: Faculdade pública, vivendo em residência universitária dividindo quarto, cozinhando em casa e utilizando transportes públicos  – gasto médio mensal: entre R$1350 e R$1500.

Modo econômico:  Dividindo apartamento com outros estudantes, alternando entre comer em casa e em restaurantes e podendo aproveitar a vida noturna da cidade esporadicamente, gasta – com faculdade pública: entre R$1750 e R$1900 – com faculdade particular: entre R$2300 e R$2500.

Modo conforto: Vivendo sozinho em apartamento de um quarto, podendo usufruir de bons restaurantes e da vida noturna de Buenos Aires, com consumo de gasolina/táxi. Em faculdade pública: entre R$2.850,00 e R$3.000, em faculdade particular: entre R$ 3.822,00 e R$4.000.

Solteiro (a)

A baixo custo: média de 6 mil pesos argentinos, que equivale a R$1.810.

Modo econômico: média de 8 mil pesos argentinos, que equivale a R$2.415.

Modo conforto: média entre 10 e 12 mil pesos argentinos, que equivale a diferença entre R$3.000 e R$3.600 mensais.

Família

Para a família, depende de quantos filhos são, se eles irão estudar em escolas nacionais ou privadas e se a família irá ter veículo próprio. Portanto, os custos variam muito. As famílias que moram em Buenos Aires, com 2 filhos e sem veículo próprio,  vivem em modo econômico com a média de 15 mil pesos argentinos por mês, o que equivale a R$4.525,00, sem qualquer tipo de regalias.

Visto para morar na Argentina

Para tirar o seu visto para morar na Argentina, independente de qual for o seu motivo de residência, você deve procurar o Consulado mais próximo de você.  Você pode conferir a lista de todos os consulados da Argentina espalhados pelo Brasil (com indicação de site, e-mail para contato, telefone e endereço) aqui.

Para morar na Argentina, você irá precisar tirar o visto ideal para o motivo de sua residência (trabalho, estudo, negócios, etc) .São 4 passos a serem seguidos para conseguir o seu visto.

1º passo – Organização dos documentos

Após verificar com o consulado mais próximos de você quais são os requisitos necessários para obter o visto, é hora de ter muita paciência para organizar direitinho todos os documentos. Dependendo do tipo de visto e também do consulado, os documentos podem mudar, mas os básicos e necessários a todo tipo de estrangeiro que quer morar na Argentina é:

  • Passaporte original com validade mínima de 02 (dois) anos.
  • 2 cópias autenticadas das três primeiras páginas do passaporte.
  • Certidão de nascimento original ou atualizada
  • 2 (duas) cópias autenticadas da certidão de nascimento.
  • Certidão de casamento original ou atualizada (uma via para cada cônjuge; a apresentação da certidão de casamento não exime a apresentação da certidão de nascimento).
  • 2 cópias autenticadas da certidão de casamento. Se você não é casado, não é necessário
  • 2 cópias autenticadas do documento de identidade (RG).
  • 2 vias do certificado de antecedentes penais emitido pela Polícia Federal Brasileira com firma reconhecida em cartório ou com a validação da internet quando solicitado pela internet no site dpf.gov.br
  • 04 fotos 4X4, de frente, sem data, sem óculos, ½ busto, fundo branco, colorida.

2º Passo – Legalização de Documentos no MRE

Após recolher todos os documentos, você precisa que o Ministério das Relações Exteriores legalize-os. Há escritórios do MRE em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis e Porto Alegre.  Antes de tudo, é preciso que você visite o site do Itamaraty  e preencha um formulário no qual você vai especificar quais documentos irá enviar ao MRE e qual a legalização deverá ser feita pelo acordo Brasil- Argentina. Feito isso, você une esse formulário a todos os documentos e envia para o MRE mais próximo de você pelo correio. O processo de legalização demora em média entre 15 e 20 dias.

 3º Passo – Marcação de Entrevista

Você deve agendar uma entrevista com o Consulado Geral da Argentina para conseguir o seu visto. Você faz isso pela internet mesmo, através do e-mail spvisas@mrecic.gov.ar, onde você solicita o agendamento fornecendo seus dados: nome, sobrenome número de passaporte, nacionalidade e qual o visto você vai solicitar para marcar. Indicamos que faça isso com antecedência, pois pode demorar para haver vagas para a entrevista.

Chegando o dia, compareça ao consulado. Com a marcação, eles irão fazer a entrevista, recolher impressões digitais, pedir a assinatura de documentos e recolher o pagamento da taxa de visto – que muda de acordo com o tipo de visto.

4º Passo –  Esperando seu visto

O visto, após todo o processo acima, sai no mesmo dia de visita ao consulado. Algumas pessoas dizem que esperaram apenas 30 minutos, outros tiveram que voltar mais tarde, cerca de 6h depois, e alguns até no dia seguinte. A média de espera depende da demanda do consulado, mas em geral, sai no mesmo dia sem muita demora.

Vale a pena morar na Argentina?

Por mais que essa pergunta seja subjetiva, podemos apontar o que os brasileiros mais gostam e menos gostam ao morar na Argentina. Veja o ponto de vista que muitos dos nossos conterrâneos publicaram em seus blogs pessoais e decida se para você vale a pena ou não fazer as malas e se mudar para lá.

Vantagens de morar na Argentina

Uma experiência marcante e definitiva para a sua vida

Qualquer pessoa que decida morar fora do seu país de origem vai viver uma experiência diferente e, na maioria dos casos, extraordinária. O aprendizado é grande, pois você precisa se adaptar a um novo ritmo de vida e uma nova cultura. Com isso, vem novos amigos e a quebra de muitos preconceitos que trazemos conosco. Portanto, se você quer uma mudança para a sua vida, morar na Argentina pode ser o que faltava.

Cultura e agito

A Argentina é um país com cultura rica, diversa e que nós brasileiros costumamos apreciar e nos adaptar com facilidade. Além disso, povo argentino tem costume de participar de eventos culturais, em celebrações tradicionais festivas que exaltam a identidade do país.

Estudo

É incrível  a quantidade de cursos baratos que Buenos Aires e outras cidades interioranas da Argentina oferecem. Os custos são baixos e a variedade é imensa. Quanto ao ensino regular: as universidades nacionais oferecem ensino superior gratuito e de qualidade, e as universidades privadas são mais em conta que as brasileiras.

Desvantagens de morar na Argentina

Complicada situação política e econômica

Com cenário político em conflito há anos e com a inflação nas alturas, fica difícil morar no país. A moeda está desvalorizada, o preço do aluguel e da comida dispararam e a instabilidade afasta investidores estrangeiros.

Dificuldade de integração

Os brasileiros que moraram na Argentina, em especial em Buenos Aires, disseram ter dificuldade em fazer amizade com os nativos.  É claro que existem exceções, mas o povo portenho tem hábito de se fechar em grupos de amigos argentinos e não se abrir a amizade com novas pessoas, incluindo estrangeiros. No interior, a situação parece ser mais branda, mas ainda se confirma: os brasileiros costumam fazer amizade com a (grande) comunidade de compatriotas que está lá.

Comida

A comida brasileira faz muita falta, independente de qual país você for morar.  É possível encontrar comida brasileira por lá, mas para quem está acostumado com o tempero brasileiro o arroz tem gosto de isopor, é raro encontrar feijão e o que se encontra é muito caro.

Estudar na Argentina

Muitos brasileiros fazem as malas e decidem estudar na Argentina. Os motivos são muitos, dentre eles os principais são:

  • É barato estudar na Argentina – com a moeda desvalorizada, as faculdades particulares e cursos profissionalizantes saem muito mais em conta. Além disso, o país conta com muitas universidades nacionais (públicas).
  • Universidades de qualidade – muitas universidades argentinas estão na lista das melhores da América Latina, com destaque para a UBA (Universidade de Buenos Aires)
  • Não tem vestibular na Argentina – não precisa prestar vestibular para ingressar nas universidades argentinas, nem mesmo nas públicas.
  • Reconhecimento nas áreas da arte e da medicina – com grandes referências nessas duas áreas, atraem estudantes de toda a América Latina

Saiba mais sobre estudar na Argentina aqui.

Trabalhar na Argentina

Conseguir emprego na Argentina infelizmente não está fácil. O país enfrenta uma longa crise financeira, aumento do custo de vida e também a retração do mercado de trabalho. Se você tenciona fazer trabalhos temporários, vai encontrar vagas, mas prepare-se para ganhar mal. Se você tem qualificação, pode conseguir boas vagas procurando emprego pela internet. Existem sites com vagas em todo o país, como o Bumeran e o Infojobs, por exemplo.  Lembre-se que é preciso ter espanhol em nível pelo menos intermediário e documentação regularizada que autoriza o estrangeiro a trabalhar no país. Se não tiver em situação legal, não recomendamos a procura por emprego.

 

Veja também:

Facebook      Nosso grupo      Twitter    Youtube

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.