Pontos turísticos da China: veja o que visitar por lá

Você sabia que, de acordo com a World Tourism Organization, a China é o quarto país mais visitado do mundo? O país fica atrás apenas da França, Estados Unidos e Espanha. Para que você possa se situar melhor, vamos há alguns dados gerais antes de ficar deslumbrado com tanta beleza dos pontos turísticos da China.

A República Popular da China, ou simplesmente China, é o maior país da Ásia Oriental, um dos cinco maiores do mundo (em área total, sendo 9,6 milhões de Km²) e também o mais populoso do mundo. São aproximadamente 1,393 bilhões de pessoas e que representam 19,24% da população mundial vivendo sob um regime socialista. A capital do país é Pequim, mas a cidade mais populosa é Xangai. A língua oficial, uma das mais complicadas para aprendizado, é o Mandarim Chinês.

Os mais incríveis pontos turísticos da China

Vamos enumerar 11 pontos turísticos mais belos, tradicionais e importantes da China. Confira a lista e, mais abaixo, um pouco sobre cada uma destas maravilhas:

1. A Grande Muralha da China
2. O Mausoléu de Mao Tse Tung e a Cidade Proibida em Pequim
3. O Templo do Buda de Jade em Xangai
4. O Buda da montanha de Leshan
5. O Templo do Céu em Pequim
6. Os Jardins de Yuyuan em Xangai
7. Os Ding Ding de Hong Kong
8. O Exército Terracota em Xian
9. As Estátuas das grutas de Longnen em Henan
10. Os pandas gigantes e macacos dourados de Jiuzhai
11. A Floresta de Pedra da Cordilheira Changbaishan

Como é óbvio, estes não são os únicos atrativos do país e, caso você escolha alguma cidade (ou várias) para conhecer os pontos turísticos da China, vai encontrar pelo caminho diversos outros locais interessantes como ruas comerciais, templos, museus, parques, praças e monumentos.

A Grande Muralha da China

pontos-turisticos-da-china-muralha

Achou estranho ela não ter sido citada no tópico anterior? Esta é uma curiosidade da China à parte e que merece destaque. A Grande Muralha da China, maior obra arquitetónica do mundo – inclusive a única possível de ser avistada da Lua a olho nú. De acordo com a China’s State Administration of Cultural Relics e suas medições modernas, determinou-se que são 21,196 quilômetros de muralha. Trata-se de uma das 7 maravilhas do mundo, que foi construída durante várias dinastias chinesas em meados do ano de 221 (no calendário ocidental).

Infelizmente, mesmo com o incentivo à preservação do monumento, acredita-se que cerca de 30% da sua estrutura já desapareceu, parte devido ao tempo e parte devido ao roubo de tijolos do local. Alguns trechos, inclusive, possuem a passagem completamente destruída.

Como a Muralha começa no leste em Shanhaiguan na província de Hebei e termina em Jiayuguan, na província de Gansu, a oeste é preciso escolher uma seção para visitas. A parte mais preservada e intacta (considerada pelos turistas como a parte mais bela de todos) é a oriental de Simatai, que também é uma das mais complicadas de subida. A mais fácil e turística (cheia de vendedores e viajantes) é a Badaling é ideal para a maioria dos turistas em virtude da sua acessibilidade.

Para chegar até o local você pode ir através de excursões comuns; agendamento de pacotes personalizados com agências locais (apenas para você ou seu grupo); trem ou outro meio de transporte como carro alugado ou táxi. Tudo vai depender da região em que deseja visitar e o local que você partirá.

O Mausoléu de Mao Tse Tung e a Cidade Proibida em Pequim

Anteriormente conhecido como o Palácio Imperial da China, da Dinastia Ming à Qing e hoje como Cidade Proibída, este já foi a residência do Imperador. O título é devido à permissão que poucos tinham para estar no local. Apenas o Imperador, sua família e empregados especiais que detinham autorização.

O complexo, Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, possui mais de 900 edifícios e representa a arquitetura palaciana tradicional do país. Atualmente o local é um Palácio Museu de aproximadamente 720 metros quadrados. Dentro da Cidade Proibida (que é toda muralhada) é possível conhecer os Jardins Imperiais, os Parques de Jingshan e Beihai e o Mausoléu de Mao Tse Tung.

Caso queira, é possível visitar o local onde está enterrado o corpo (embalsamado) do fundador da República Popular da China, falecido em 1976. O custo para entrar no local varia entre ¥ 40 e ¥ 60 (Yuan Renminbi). A entrada do Mausoléu é gratuita.

O Templo do Buda de Jade em Xangai

Este é um dos principais pontos turísticos do país e o mais famoso da cidade de Xangai. Construído em 1882, trata-se de um local sagrado para os seguidores da religião budista. A visita ao local é interessantíssima não somente pela beleza do local e a grandiosidade dos monumentos. Mas também pela observação da cultura local durante rituais religiosos.

As atrações do local fica por conta das estátuas esculpidas em Jade Branca. Uma delas representa o Buda entrando no estado de Nirvana e a segunda, que mede cerca de dois metros, é o buda sentado, encrustado de pedras preciosas. O local está em funcionamento (como templo) e abriga alguns monges. O preço para poder entrar e ver os Budas é de ¥ 30.

O Buda da montanha de Leshan

pontos-turisticos-da-china (lesahn)

O Grande Buda de Leshan é o maior do mundo, com 71 metros de altura e 28 metros de largura. Esculpido nas pedras das montanhas Leshan e Emeishan, durante a dinastia Tang, o Buda precisou de 90 anos para ficar pronto. O local é considerado como um dos principais pontos turísticos da China, devido a sua representatividade e história da religião budista. Além disto, o monumento é considerado Patrimônio Mundial da Unesco desde 1996. O ditado local diz que A montanha é um Buda e o Buda é uma montanha.

Outros atrativos são os parques e suas florestas, templos e esculturas que ficam nos arredores da estátua. O templo no alto da montanha oferece uma vista incrível da região. O preço para visitar a atração é de ¥ 90.

O Templo do Céu em Pequim

pontos-turisticos-da-china Temple

Conhecer o país é conhecer pontos turísticos da China que são realmente grandiosos. Como é o caso deste templo, que por sinal é maior que a Cidade Proibida e possui mais de 60 mil árvores de espécies diferentes. A nossa recomendação é que você leve um mapa do local para não se perder e poder ver algumas das diversas atrações do local.

Durante as dinastias Ming e Qing, o templo era o local de realização da Heaven Worship Ceremony (ou Cerimônia de Culto ao Céu). É considerado pelos chineses a maior e mais representativa obra-prima do país, entre os edifícios de sacrifício. Os pontos turísticos mais representativos do local são:

• Circular Mound Altar
• Imperial Vault of Heaven
• Danbi Bridge
• Altar of Prayer for Good Harvests
• Palace of Abstinence
• Divine Music Administration
• Heaven Worship Culture

O preço de visita vai depender das atrações que você deseja visitar. O ticket combinado, por exemplo (mais caro), inclui a taxa de entrada (¥ 10), Hall of Prayer for Good e Circular Mound Altar & Echo Wallm custa ¥ 35.

Os Jardins de Yuyuan em Xangai

Localizado na parte velha de Xangai esse é um dos pontos turísticos da China que estamos acostumados a deslumbrar em filmes, devido as pequenas casinhas no entorno do jardim, com arquitetura típica do país. Também pertencente à dinastia Ming, o jardim foi construído em 1577, por um oficial do governo, para os pais do Imperador poderem desfrutar de um local agradável e gratificante (significado do nome do jardim).

Apesar de não ser um dos maiores do país (vinte mil metros quadrados), o local abriga pavilhões, salões e jardins ornamentais, além de lagoas e claustros de características únicas do país. O destaque do local vai para a Exquisite Jade Rock uma pedra de Jade bem estranha, com 3,3 metros e 72 buracos. O preço de visita do local é de ¥ 40.

Os Ding Ding de Hong Kong

Este não é um ponto turístico da China propriamente dito, pois trata-se de um dos sistemas de transportes da cidade de Hong Kong. A questão aqui é que essa mistura de carro elétrico com ônibus, muito estreito chama atenção pelo seu formato diferenciado. A passagem custa cerca de $ 2,30 (dólares de Hong Kong) ou aproximadamente ¥ 0,85.

O Exército Terracota em Xian

A cidade de Xian, também conhecida como Called Chang’na (cidade eterna) é um dos berços da civilização chinesa antiga. A cidade abriga o terminal oriental da Rota da Seda e os famosos Guerreiros de Terracota, pertencentes à Dinastia Qin. São mais de 3 mil anos de história e 1.100 anos como a capital das dinastias antigas. Ou seja, por aí já dá para se ter uma noção do quão bonito e importante é este local, como um dos principais pontos turísticos da China.

O Exército de Terracota é uma das escavações mais importantes do século XX (ainda em curso). A história conta que, o Imperador Qin Shi Huang, ao assumir o trono aos 13 anos (no ano de 246 a.C.), começou a trabalhar no seu mausoléu, que demorou cerca de 11 anos para ficar pronto.

O espetáculo do local são as mais de 7 mil estátuas de guerreiros, cavalos e carruagens em tamanho real, em posição de batalha em cerca de 16.300 metros quadrados. Acredita-se que esta é a representação da guarda imperial e, para o mausoléu, representam ser os guardiões do túmulo do imperador. Para visitar o local é preciso desembolsar ¥ 150 e, caso queira um guia, mais ¥ 100.

As Estátuas das grutas de Longnen em Henan

Localizada ao sul da cidade de Luoyang, entre os Montes Xiang e Longmen estão as grutas que abrigam cerca de 1.352 cavernas, mais de 97 mil estátuas e 3.680 tábuas de pedra. Estima-se que o local tenha sido construído durante a Dinastia Tang, que durou de 618 a 907. O local funciona também como uma espécie de museu que abriga ainda materiais históricos sobre arte, música, religião, caligrafia, medicina, traje e arquitetura da época.

Uma das figuras mais representativas do local é a do Vairocana Buddha, um Buda sentado de pernas cruzadas sob o trono da Flor de Lótus. São 17,14 metros de altura e cerca de 1,9 metros de comprimento. É possível visitar algumas cavernas, salas e até mesmo templo, de nome Fengxian. O custo para visitar o local e East and West Hills, Xiangshan Temple e o Bai Garden é de ¥ 120.

Os pandas gigantes e macacos dourados de Jiuzhai

pontos-turisticos-da-china pandas

Chengdu (capital da província de Sichuan), conhecida como Estado Celestial, é a terra dos pandas gigantes e macacos dourados. Uma das atrações da cidade é poder fazer uma visita ao Jiuzhai Valley National Park.

O local é considerado sagrado e compreende diversos lagos azuis, cachoeiras, florestas, montanhas (cobertas de neve), além de pequenas aldeias de povos tibetanos e Qiang. Um dos pontos mais belos do local é o Haizi Lake e a cachoeira Panda Lake Waterfall que no inverno ica completamente cristalizada (congelada).

Já na praia de Pearl Beach, junto ao Arrow Bamboo Lake é que se encontra a maior concentração de bambu da região, alimento favorito dos Pandas. O local também abriga mais de 2 mil espécies de plantas protegidas e outras 400 mais comuns e 212 tipos de algas, 170 espécies de animais vertebrados, 141 aves e outras 17 espécies de animais raros, como os Pandas Gigantes e os Macacos Dourados. Informações para visitas aqui.

A Floresta de Pedra da Cordilheira Changbaishan

Localizada na província de Jilin e divisa com a Coréia do Sul, este é um destino para os aventureiros. A época mais bonita para visitar o local é durante o inverno. E suas atrações principais são a Floresta de Pedra e o Tianchi ou Lago Celestial.

Esta floresta é uma formação geológica caracterizada pela corrosão das rochas (de pedra calcária). Por estarem corroídas, dão a impressão de que brotam da terra, assim como as árvores. Acredita-se que a Floresta de Pedra já era conhecida desde a Dinastia Ming e considerada como a Primeira Maravilha do Mundo.

O Lago Celestial do qual falamos foi formado na cratera da montanha e alimenta os rios Songhua, Tumen e Yalu. Ao longo da montanha também há uma cachoeira, a Changbai Watterfalls de água quente (proveniente de uma composição química do interior da rocha) e cores brilhantes. É permitido um mergulho nestas águas termais.

A taxa para entrar no local é de ¥ 125, acrescido de ¥ 85 para o ônibus turístico e outros 80 para subir de ônibus no principal pico da montanha.

Festas populares da China

Talvez você não saiba, mas o Ano-Novo Chinês é baseado na combinação de movimentos lunares e solares. Isto faz com que ele aconteça em épocas diferentes. A data é marcada a partir da primeira Lua Nova do ano em questão e mais 15 dias até a Lua Cheia. A tradição conta que é neste período que se celebra e agradece o reencontro com os ancestrais e deuses da família, por serem os responsáveis pela fortuna e glória da família.

Neste ano de 2016 ele acontecerá no dia 9 de fevereiro e será o ano do Macaco (existe toda uma lenda em torno desses animais do zodíaco chinês). A festa é repleta de atividades culturais e muita dança. E uma das partes mais bonitas de assistir é o desfile de dragão.

Outras festas tradicionais da China

Festa da Primavera: uma das mais tradicionais do ano, para celebrar o fim do rigoroso inverno;

Festa das Lanternas: acontece no dia 15 do primeiro mês do calendário lunar, no qual as famílias acendem lanternas de seda nos portões e nas ruas para celebrar a reunião familiar;

Festa da Pureza e Serenidade: é a celebração de oferenda aos antepassados e renovação dos túmulos dos mesmos;

Festa Duanwu: em homenagem ao poeta patriota Qu Yuan, que viveu no Reino de Chu, durante o Período dos Reinos Combatentes;

Festa do Meio Outono: celebrado no dia 15 do oitavo mês no qual os chineses fazem oferendas à divindade da lua, através de bolos refinados;

Festa Chongyang: no dia 9 do nono mês, os chineses fazem uma celebração para dupla sorte – o número nove representa yang e portanto, dois noves é dupla sorte.

Curiosidades da China

Se um dia for a China, com certeza irá estranhar dezenas de hábitos da população que, para nós ocidentalizados, é muito estranho. A começar pela “educação” aos olhos do outro e as nossas “normas” de educação e higiene. Fazer xixi ou cocô na rua (o segundo, mais comum entre as crianças, mas não inexistente aos adultos), não é tão absurdo quanto se parece. Cuspir na rua (toda hora) é saudável, de acordo com a medicina local. Soltar um pum na frente das pessoas ou arrotar depois de almoçar, não é estranho. O segundo, inclusive, é um elogio ao preparo da comida.

Com relação ao cuspe no chão, os hábitos estão mudando, de forma obrigatória. Como o país é, cada vez mais visitado por turistas, o governo instituiu uma lei que pode multar aqueles que saem pelas ruas cuspindo no chão. Uma forma de causar menos estranhamento frente à cultura e turistas ocidentalizados. São diversas curiosidades da China que não podemos imaginar uma rotina desta forma.

 

Veja também:

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem

Booking.com