Quanto custa viajar para a Tailândia? Veja ideias de roteiro

Nos últimos anos, houve um exponencial crescimento em pacotes de turismo e pessoas interessadas em viajar para a Tailândia. Seria pela valorização do Real em relação ao Baht (moeda local)? Ou pelo grande número de celebridades que adotou o país como destino exótico e paradisíaco?

Seja qual for o motivo, a realidade é que a Tailândia está sendo gradativamente redescoberta por turistas que não querem mais do mesmo, e que buscam por experiências incríveis, independente de estar viajando de mochilão ou com cacife para hotéis de luxo. Cultura riquíssima, gastronomia invejável e paisagens de tirar o fôlego: veja quanto custa viajar para a Tailândia e quais os principais destinos para acrescentar ao roteiro.

  • Câmbio: R$ 1 = 10,98 THB (Baht) em 1º de Abril de 2017
  • Casas de câmbio tailandesas aceitam: euro e dólar

Quanto custa viajar para a Tailândia?

Antes de mais nada, um dos primeiros e mais substanciais custos que você terá ao viajar para a Tailândia certamente está nas passagens aéreas. É de se esperar, já que o país fica praticamente do outro lado do mundo, mas mesmo assim dá para se planejar e conseguir preços acessíveis dependendo da data da viagem.

Em geral, o clima é úmido e quente o ano inteiro, mas é importante lembrar que o país sofre com o chamado regime de Monções, deixando-o sob chuva intensa e com cidades vítimas de alagamento. Isso costuma acontecer entre os meses de Julho e Outubro; então fique atento a tarifas com preços muito baixos para estes períodos.

Se quer viajar na alta temporada, os meses de Novembro a Fevereiro são onde melhor se aproveita o país, mas de Março a Junho também não deixam tanto a desejar. De todo modo, seja durante o período de Monções ou em alta temporada, as passagens aéreas costumam ficar entre R$ 3 e R$ 8 mil, partindo de São Paulo com destino a Bangkok. Os valores são altos, mas a diferença entre eles de acordo com os meses é ainda maior.

De acordo com dados do ViajaNet, se procurar pelas passagens com partidas entre quintas e sextas-feiras, você pode encontrar valores até 13% inferiores aos demais dias da semana.

Passagens compradas? Agora é hora de conhecer algumas ideias de roteiro pelo país e começar já a colocar na ponta do lápis o quanto você pode – ou não – gastar em cada destino. Lembrando que, ainda no Brasil, as passagens mais baratas chegam e partem do aeroporto Suvarnabhumi Internacional (Bangkok), mas para chegar em outros pontos como ilhas e praias, será preciso pegar um segundo avião interno até Phuket ou Krabi (prefira a segunda opção).

O custo desse “traslado” fica em torno de 4.134 THB por pessoa, mais aproximados 400 THB por mala de até 25kg. Defina seu roteiro e compre com antecedência. Veja algumas ideias roteiro abaixo e planeje-se sobre quanto tempo deseja passar em cada localidade.

Bangkok

Considerando que esta é a capital e que você terá seu trajeto de chegada e partida por ali, Bangkok é parada obrigatória quando viajar para a Tailândia. Caótica, sim, mas ali há muito a ser visto.

Se este for o seu local de hospedagem, é importante saber que o país é muito rico em hotéis, albergues e pousadas, onde é possível pagar barato e ainda usufruir de certo luxo e benefícios nas acomodações.

Muse Bangkok Langsuan

A exemplo, enquanto um cinco estrelas pode custar em torno de R$ 1.000 a diária com as mesmas configurações em grandes capitais pelo mundo, Bangkok oferece, em localização privilegiada, quarto com vista para a cidade, cama extragrande, café da manhã incluso, academia, piscina ao ar livre, dentre outras regalias, por R$ 563 no imponente Muse Bangkok Langsuan. E não precisa assustar, pois já existem excelentes opções de hospedagem a partir de R$ 30/dia.

Já acomodado entre templos, gastronomia exótica e o icônico mercado flutuante, de dois a três dias serão suficientes para sentir a essência tailandesa em Bangkok. Entretanto, abuse dos barcos e tuk tuks para otimizar seu tempo nos congestionamentos, lembrando sempre de negociar os valores antes de entrar no veículo.

Tudo pronto? Então que tal começar pelo Wat Phra Kaew, também conhecido como o Templo do Buda Esmeralda? Reconhecido como o templo mais importante da Tailândia, a entrada tem custo de 500 THB por pessoa, mas pode-se ainda contratar pacotes de turismo – o que geralmente envolvem outros templos – a partir de 1.100 THB.

Segunda parada obrigatória: Wat Pho. Casa do suntuoso Buda Reclinado, também é ali que funciona a escola de massagem da Tailândia, ou seja, um ótimo pretexto para ir e relaxar. A entrada custa 100 THB por pessoa e as massagens têm custo a partir de 260 THB. Consulte o precário através do site oficial do templo.

Damnoen Saduak

Já no Damnoen Saduak (Mercado flutuante) você poderá contratar o barqueiro já no mercado ou fazer a sua reserva através da internet, clicando aqui. Os preços variam entre 859 THB e 1.100 THB por pessoa no site, mas podem ser reduzidos e negociados se contratados pessoalmente.

Passeou por tudo o que queria? Então dê uma esticadinha também na Khao San Road, praticamente uma 25 de Março tailandesa. Ali você encontra de tudo, desde locais para se hospedar, até bares, barracas de rua e as casas de massagem, oferecendo até mesmom as famosas fish massages, onde peixinhos se encarregam de massagear seus pés.

Ko Phi-Phi

Uma das ilhas mais badaladas da Tailândia, Ko Phi-Phi é parada obrigatória, principalmente se a intenção for visitar a paradisíaca Maya Bay (local onde o filme “A Praia” foi produzido). Para entrar na ilha, é necessário pagar uma taxa de 20 THB ainda no píer, só então você poderá seguir para o hotel reservado ou explorar a localidade.

Em Ko Phi-Phi, reserve de um a dois dias para relaxar e curtir o turismo local mas, com um dia de antecedência para sua viagem à Maya Bay, procure contratar um barqueiro particular para leva-lo até lá. Em geral, os passeios têm duração de 5 a 7 horas e custam 1.500 THB para quatro pessoas (crianças não pagam).

Maya Bay

O conselho pelos barcos particulares fica devido à aglomeração de turistas que optam por barcos de excursão e speed boats. Nesse caso, os barcos não particulares ficam em outro lado da ilha, com praia delimitada e multidões. Pagando um pouco a mais, você fica do lado particular, sem delimitação e com mais tranquilidade.

Assim que pisar em Maya Bay, terá de desembolsar uma taxa ambiental no valor de 400 THB por pessoa (novamente, criança não paga).

Também em Ko-Phi-Phi, você poderá contratar outro barco para visitar Mosquito e Bamboo Island, onde a passagem privativa fica em torno de 2.000 THB para quatro pessoas e o tempo de viagem é de uma hora até o destino final.

Railay Beach

Seja para quem quer badalar ou simplesmente não fazer nada, Railay Beach é mais um pedaço o paraíso na terra. Se você tem uma pegada mais aventura, é bom saber que esse é um destino que possui 4 praias diferentes em seus arredores, bem como trilhas, cavernas, lagoas e view points. Agora, se só quer conhecer alguns pontos específicos e bebericar com os pés na areia, também não há problemas.

Com uma grande diversidade em resorts à beira mar, a região é ideal para famílias que viajam com crianças ou casais em Lua de Mel. Se vai com um perfil econômico, melhor ainda, pois é ali que a Walking Street faz a alegria dos turistas que desejam comer, comprar e contratar pacotes turísticos pagando bem menos que nas demais localidades.

Railay Beach

Agora, para casais mais jovens e grupos de amigos, a praia Ton Sai não faz feio. Com paredões ideais para escalada e um caminho que o leva à Diamond Cave (150 THB por pessoa), vale a esticadinha para conferir. Lembrando que as escaladas guiadas podem custar aproximadamente 1.500 THB por pessoa.

Ainda sobrou um tempinho? Então prepare a câmera e vá para a praia Phra Nang conferir algo, no mínimo, inusitado. Além deste ser o local onde muitos consideram ter a mais bela praia da região, olhe para a esquerda, e verá uma caverna cercada de mistérios.

A lenda conta duas versões para este local: a primeira, que ali morreu uma princesa indiana, vítima de um naufrágio; a segunda já diz que a esposa de um pescador havia ficado perdida no mar, e por isso a caverna seria um templo em homenagem à ela. O fato é que, independentemente da versão correta, moradores e pescadores locais pedem por fertilidade e prosperidade nesta caverna, levando como oferendas, imagens no formato de pênis.

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem

Booking.com