10 destinos fantásticos para quem quer viajar sozinha em 2017

Medo. Infelizmente, essa ainda é palavra massiva dita por cada mulher questionada sobre viajar sozinha. Assaltos, abusos, chacotas e tantos outros fatores fazem, até os dias atuais, com que mulheres desistam do sonho de viajarem desacompanhadas, para o destino que lhes der na “telha”.

Ainda que a passos sofridos, muitas são as desbravadoras que rompem barreiras e passam a mostrar que sim, é possível viajar sozinha e passar por cima de preconceitos, medos e retaliações. Afinal, lugar de mulher é onde ela quiser!

Quer viajar sozinha? Conheça os melhores destinos

Algumas morrem de vontade, outras acham uma ideia incabível, e uma porcentagem crescente comprou as passagens, colocou uma mochila nas costas, e caiu no mundo. Quer viajar sozinha? Conheça alguns destinos fantásticos para começar a se aventurar, com segurança e experiências únicas de vida.

1.Islândia

Islândia

Foto: Moyan Brenn | Flickr

Embora dificilmente um destino comum – devido ao frio que perdura praticamente o ano todo -, a Islândia pontua com paisagens exuberantes, o que inclui a magia da Aurora Boreal, cachoeiras e até mesmo spas geotérmicos para um dia de rainha.

Pesquisas indicam que o país não tem registros recentes de quaisquer problemas habituais enfrentados por mulheres em outras partes do mundo, como assédio ou agressão sexual. A única questão para quem quer viajar sozinha e tiver um espírito de aventura é mesmo relativa ao clima.

Ventos fortes, neve, frio e gêiseres que podem ocasionar queimaduras são um dos poucos problemas que uma mulher precisa se precaver ao chegar no país, mas nada que um guia local não possa te orientar. Sobre outros assuntos, a Islândia mostra uma forte presença feminista e leis admiráveis, onde a taxa de criminalidade é muito baixa. Em 2013, o país também foi eleito o mais amigável do mundo para turistas.

2. Dinamarca

Dinamarca

Foto: magnetismus | Flickr

Muito além dos cookies de manteiga, a Dinamarca reúne jardins, parques aquáticos e restaurantes só para aquecer o seu turismo local. Outras atrações estão em opções históricas como o Castelo de Kronborg, a cidade velha de Aarthus e muita diversão em compras e entretenimento. Se visitar o país no verão – entre julho e agosto -, as praias da costa são ideais para mergulhar e apreciar.

Agora que já introduzimos um pouco do que se pode fazer no país, é importante frisar que, além de tudo, a Dinamarca é extremamente segura, não somente para mulheres. Entre suas conquistas, tornou-se uma líder em igualdade de gênero, de modo a praticamente extinguir discriminações ou assédios sexuais.

Aparentemente, o único problema que você deve se preocupar é relativo aos índices de alcoolismo, principalmente provenientes da capital. Apenas fique atenta para evitar chateações, mas não há nada que seja preciso temer nesses casos.

Pelo Índice Global da Paz, o país pontuou em segundo lugar e, em 2013, forneceu subsídios para o combate à violência de gênero no Sudão e Somália.

3. Nova Zelândia

Nova Zelândia

Paisagens paradisíacas, esportes radicais e um gostinho da Terra Média, para os aficionados pelas obras de Tolkien. Sem dúvidas, a Nova Zelândia tem espírito de aventura e, em benefício das mulheres que se destinam para lá, o país pontua em 3º lugar no Índice Global da Paz e 20º no Índice de Segurança em Viagem e Turismo.

No país, dificilmente você encontrará ameaças que não acidentes de carro ou afogamentos, em termos de mortes. Notícias sobre agressões sexuais são raras, mas existem, ainda que poucos sejam os relatos sobre esse tipo de crime contra mulheres turistas, quer em termos de assalto ou assédio.

Se busca por mais segurança, a Nova Zelândia ainda oferece acomodações específicas para atender à mulheres que viajam sozinhas ou em grupo.

4. Áustria

Áustria

Esquiar nos Alpes? Check! Castelos históricos? Check! Óperas de Viena e Salzburg? Por que não? Ainda que seu clima frio iniba um tanto o turismo, o país oferece oportunidades de cultura e entretenimento durante todos os dias do ano.

Classificado em 4º lugar no Índice Global da Paz e 7º no quesito Segurança em Viagem e Turismo, o país não pontua com relevância em notícias acerca da criminalidade ou violência de gênero. Então vá tranquila e não deixe de provar os melhores cafés do mundo, nem as deliciosas tortas de Viena.

5. Suíça

Suíça

Tão encantador quanto o nosso número quatro, a Suíça também oferece frias opções em esqui nos Alpes, bem como centros históricos, cultura e gastronomia que envolve chocolates e cafés encorpados.

Se o orçamento permitir, não deixe de visitar Lake Geneva, uma região compartilhada entre França e Suíça e aproveite o melhor de cada estação, bem como sabores em cruzeiros culinários e eventos diversos. Em adição, a fama de Terra da Água permite aos cidadãos e turistas do país se vangloriarem da limpeza de suas águas, possibilitando até mesmo que se beba com segurança as águas de alguns lagos.

No Índice Global da Paz, a Suíça está em 5º lugar, e ranking para Segurança em Viagem e Turismo, alcança o impressionante 2º lugar.

6. Holanda

Keukenhof Park, na Holanda

Museus, muita arte e natureza que esbanja vida através de uma imensidão de jardins floridos. Seja a pé, em bicicletas gratuitas ou transportes diversos, a Holanda presenteia cada uma das turistas no país com muito respeito e segurança, a fim de tornar a experiência inesquecível.

Portanto, se você tem paixão pela vida no campo, artistas como Van Gogh e reservas naturais, coloque a mochila nas costas e prefira a primavera para visitar o país – sem se esquecer de dar um pulo nos Jardins de Keukenhof.

Por fim, a Holanda é o número 5 no Índice Global da Paz, e quando falamos em segurança e competitividade em viagem e turismo, sua posição foi o 6º lugar.

7. Finlândia

Finlândia

Foto: Timo Newton-Syms | Flickr

Novamente em um país extremamente frio, a Finlândia é destino ideal para os amantes da neve e de espetáculos da natureza como o sol da meia-noite e da Aurora Boreal, bem como ilhas e mais de 200 mil lagos. E se você aprecia a vida de uma bela floresta, não pode deixar de conhecer o Lemmenjoki National Park, o maior parque arborizado de toda a Europa.

Em questões de segurança e tranquilidade para a mulher que deseja viajar sozinha, a Finlândia ganhou o primeiro lugar nesse quesito, responsáveis pelo melhor sistema de proteção ao turista. No Índice Global da Paz, o país ficou com o sétimo lugar.

8. Canadá

Canadá

Foto: tdlucas5000 | Flickr

Dentre tantos países poucos comuns como destinos de viagem, surge o Canadá como um excelente roteiro para quem busca por segurança e respeito às mulheres que pretendem viajar sozinhas. Com opções para viajantes dos mais diversos perfis, as cosmopolitas, as aventureiras e as que só desejam passar bons momentos no campo encontrarão seu lugar nesse imenso país. Cataratas do Niágara? Você não pode ir embora sem antes conhecer esse cartão postal.

Ainda sobre a sua imensidão, mesmo com toda a extensão desse território, o Canadá ainda consegue ser o país mais seguro para mulheres viajantes dentre todas as nações das Américas. Geralmente, os relatos de morte são ocasionados por acidentes de trânsito ou afogamentos ocasionais, o que torna o país bastante seguro no quesito criminalidade.

Para as mulheres, foram observados alguns incidentes de assédio ou violência contra cuidadoras e as chamadas “noivas por correspondência”. Entretanto, com as turistas não se observam casos relevantes de insegurança. No ranking de segurança e competitividade para viagem e turismo, o país recebeu o 18º lugar.

9. Suécia

Suécia

A Suécia é um dos maiores países da Europa, mas ainda assim, possui uma população que não condiz com seu tamanho. Tamanho contraste permitiu a esta localidade manter cenários praticamente inexplorados, onde a natureza jamais recebeu interferência humana.

Mas não somente de natureza é feito esse pacato país, mas também de uma impecável arquitetura medieval, principalmente quando falamos em Estocolmo. A cidade, por sua vez, concentra um preservado centro histórico que remonta ao século 13, bem como o Vasa Museum.

Classificado como número 9 no Índice Global da Paz e para doze para o índice de Competitividade em Viagens e Turismo, crimes com violência ocorrem no país, mas definitivamente sem frequência. É mais aconselhável que você se preocupe com batedores de carteira, o que também não acontece frequentemente.

As regras de segurança estipuladas pelo governo, quando o assunto é o bem-estar da mulher consistem em cuidados básicos, como ser precavida na condução em condições de neve e gelo. Outro agravante nas estradas é o fato de que alces costumam vagar por lá ao amanhecer e anoitecer, o que pode aumentar as chances de acidentes.

10. Bélgica

Bélgica

Para as mulheres maravilhadas por história e, principalmente, pela arquitetura medieval, a Bélgica é colírio capaz de te transportar para a Idade Média. Castelos preservados, museus e edifícios que remontam a uma verdadeira viagem no tempo, tudo perfeitamente alocado em um país seguro e diversificado.

Quando falamos em Bruxelas, as opções aumentam, uma vez que além da bagagem cultural, esta é considerada a capital do “cool”, devido a quantidade de bares descolados, arte, arquitetura moderna e muita moda. Já em Bruges, lojas de chocolate, cervejarias e um centro tombado como Patrimônio Mundial da UNESCO possibilitam diversão e um passeio inesquecível pelos canais.

Outra sugestão para você que vai viajar sozinha para a Bélgica é dar um pulo em Bastogne, cenário onde a Batalha do Bulge (ou Ofensiva das Ardenas) foi travada e é um lugar memorável para visitar, tanto para ver o campo de batalha quanto visitar as 4.000 árvores plantadas em seus bosques em memória ao conflito.

Em um todo, a Bélgica é classificada como 10º no Índice Global da Paz, e também atinge o décimo lugar no quesito competitividade em viagem e turismo.

A lista não parou por aí, e incluiu uma série de “menções honrosas” como a Noruega, Cingapura, entre outras nações pelo globo. Para consultar o levantamento na íntegra, acesse o International Women’s Travel Center e escolha o seu próximo destino com a certeza de segurança e generosidade a cada carimbo no passaporte.

Por outro lado, se quiser saber onde mulheres ainda correm altos riscos e não é aconselhável viajar sozinha, o mesmo portal realizou um levantamento, em inglês, com os 10 piores países para mulheres turistas (com o Brasil entre eles), constando ainda as localidades onde apenas mulheres jornalistas ou voluntárias devem ir, acompanhadas de sua equipe.

Dicas valiosas para mulheres viajantes

É de praxe. Sempre que você comprar um pacote de viagem ou consultar hospedagens e atrações em um determinado país, as recomendações são as mil maravilhas. Entretanto, se você procurar pelas cartilhas de turismo do próprio país, poderá encontrar informações importantes sobre o que fazer, ou não.

Por exemplo, no site do Governo Canadense cidadãos recebem orientações para se prevenirem contra arrastões, sequestros e até mesmo estupros envolvendo o uso de sedativos quando vierem para o Brasil.

Portanto, não só para mulheres, mas para qualquer pessoa que queira viajar sozinha, é imprescindível informar-se sobre a cultura local e se existem restrições quanto à entrada e comportamentos específicos no país. Em países do Oriente Médio, por exemplo, para nós, mulheres, a premissa é incabível, mas sim, é preciso saber “se comportar” nestes locais.

Para eles, o nosso comportamento amigável habitual pode ser interpretado com outras conotações, e podem lhe causar problemas. Nunca aceite mais do que um copo de chá e, em hipótese alguma, bebidas alcoólicas. Esqueça a sensualidade! Lembre-se de sempre cobrir os joelhos, com saias na altura da panturrilha ou calças largas, que não marquem seu corpo. Seus ombros e parte superior de seus braços também devem estar cobertas por mangas.

A regra, por fim, é a mesma em todos os países onde as mulheres sofrem algum tipo de repressão: comporte-se com inteligência e observe atentamente as atitudes das mulheres locais para que não se sobressaia entre elas ou chame atenção indesejada. A melhor forma de lutar não é se arriscando, mas com informação e preparo.

Se você nunca “caiu no mundo” por medo ou falta de contato com outras mulheres que já estão felizes da vida na estrada, existem diversos grupos de apoio e orientação abertos ao incentivo seguro a essas aventuras. Um bom exemplo está no grupo do Facebook, Couchsurfing das Mina, onde somente mulheres e pessoas transexuais são aceitas, e todxs se ajudam com dicas, disponibilizam hospedagens ou mesmo oferecem suas companhias em diversas partes do mundo.

Outras dicas e orientações para turistas de primeira viagem solo, o International Women’s Travel Center também oferece um guia com todos os passos para uma viagem inesquecível.

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30"]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/[/su_service]h6>

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos