Vila Real mais que cultural

Muitos quando falam em Portugal já logo pensam em Lisboa e no Porto, entre tantas outras cidades atraentes, religiosas e turísticas que o país possui. O norte de Portugal é conhecido por suas vinhas e vinhos famosos e é quase impossível não se render à beleza do Douro e fazer aquela visitinha básica para conhecer uma vinícola de perto. Porém, a região também está recheada de história e cultura.

Depois de quase quatro meses morando em Vila Real, entre os trabalhos de mestrado e os dias de inverno, fui desbravar o que a cidade oferecia, culturalmente, para todas as pessoas que estão em solo vila-realense e…acabei surpreendida!

Teatro de Vila Real

Atraída pelo ballet O Quebra Nozes, acabei conhecendo as dependências do teatro. Falou em ballet russo, fui correndo para comprar os meus ingressos e por pouco fico sem, pois estava com lotação quase esgotada. O preço foi bem acessível 15 €.

Frente do Teatro de Vila Real

A ocupação do Grande Auditório é para 500 pessoas, do Pequeno Auditório para 145 – as poltronas são confortáveis, e do Auditório Exterior para 700 pessoas. Também possui o Café-Concerto (com esplanada), a Galeria-Bar e duas salas de ensaios. Com arquitetura moderna, tem amplo espaço para exposição – tanto que um dos museus é o do Som e da Imagem, que fica nas dependências do estabelecimento, em frente à bilheteria.

Além das peças teatrais, é divulgada a programação cultural trimestral com todos os eventos sobre exposições, danças, filme-concertos (cinema com orquestra ao vivo), música (regional, contemporânea, clássica). Todas as semanas acontecem atrações bem legais. O guia está espalhado em vários pontos comerciais de Vila Real e também no site é possível acompanhar tudo.

Gostei tanto que acabei aderindo o cartão do teatro. Preenchi uma ficha, paguei 10 €, recebi um provisório até que o definitivo esteja pronto para poder buscar. O cartão te dá até 50% de desconto nos ingressos e dá para duas pessoas, ou seja, paga um e leva dois.

Horário de funcionamento: domingo e segunda-feira das 14:00 às 20:00 h, de terça a quinta-feira das 14:00 às 00:00 h, sexta-feira e sábado das 14:00 às 02:00 h.

Informações e reservas: [email protected] ou, pelo telefone, 259 3200 00, das 14:00 às 22:00 h (domingo, segunda e feriado: das 14:00 às 20:00 h)

Museu do Som e da Imagem

A entrada neste museu, assim como em todos os outros de Vila Real, é gratuita. Há uma exposição permanente que conta a história do primeiro Teatro de Vila Real (1846), do Teatro-Circo (1892), do Teatro Avenida (1930), a história da fotografia e cinema com um acervo rico em peças antigas doadas por várias instituições e colecionadores. Está distribuída por 7 salas, sendo que algumas delas são interativas, ou seja, pode-se “ver com as mãos”. Como o museu fica dentro do Teatro, é possível apreciar as obras expostas enquanto aguarda o espetáculo começar.

Imagem da exposição no Museu da Imagem e do Som

O horário de funcionamento é de segunda à domingo das 14:00 às 00:00. O endereço do teatro e do museu é na Alameda de Grasse, Vila Real, Portugal. Para saber mais sobre o Museu do Som e da Imagem, pode acessar o blog e o site de ambos.

Acervo do Museu da Imagem e do Som de Vila Real

Museu da Vila Velha

Arquitetura moderna no ponto mais antigo de Vila Real, exatamente onde nasceu a cidade. Logo na entrada é impossível não reparar na janela de vidro que possui uma vista linda, a qual permite ver o cemitério de São Dinis e parte de Vila Velha. A vista que se tem hoje é a mesma que a Realeza tinha através dos muros do castelo. Essa é uma exposição permanente sobre a histórias da fundação medieval de Vila Real e sobre a arqueologia de Vila Velha.

Museu da Vila Velha

O interior do museu é distribuído em dois pisos que definem o tipo de exposição: no inferior ficam as exposições temporárias – com vários temas; no superior é para média duração e que, principalmente, tenham vínculo com arqueologia.

Interior do Museu da Vila Velha

Quem estiver no centro de Vila Real, que é um centro histórico com arquitetura antiga, pode ir caminhando para o museu. Quem for de carro, deve prestar atenção nos estacionamentos pagos na rua, com parquímetro. Mais fácil deixar o veículo em um local gratuito e ir caminhando, pois o centro é pequeno, cheio de ruazinhas fofas e cafés tradicionais. Vale o passeio!

O horário de funcionamento é de segunda à domingo das 09:30 às 12:30 h e das 14:00 às 17:00 h. O museu está  situado à Rua de Trás-os-Muros, Vila Real, Portugal. Para saber mais sobre o Museu de Vila Velha, pode acessar o site ou ligar para (351) 259 308 178.

Museu da Arqueologia e Numismática de Vila Real

Esse museu está voltado para a cultura regional, com o objetivo de fazer tanto os turistas quanto os vila-realenses olharem com mais carinho para o património histórico, reconhecendo a própria identidade e valor cultural.

Museu de Arqueologia e Numismática de Vila Real

O piso térreo é dedicado a exposições temporárias. O 1º piso é mais voltado para a arqueologia regional – com maquetes hiper detalhistas, contando a história dos povos que aqui viviam.

No último piso, está a coleção de moedas, todas cronologicamente catalogadas entre o século V a.C. e o século VIII d.C. Quem gosta vai ficar impressionado com todas as moedas expostas….É de cair o queixo!

Moedas cronologicamente catalogadas

Quem for de carro, deve prestar atenção nos estacionamentos pagos na rua com parquímetro. No fim de semana, no entanto, não é cobrado. O museu está em uma rua bem movimentada, duas mãos, difícil estacionar.

O horário de funcionamento é de segunda à domingo das 09:30 às 12:30 h e das 14:00 às 17:00 h. Está situado à Rua do Rossio, Vila Real, Portugal. Para saber mais sobre o Museu de Vila Velha, pode acessar o site ou telefonar para (351) 259 320 340.

Casa de Mateus

Esse lugar é maravilhoso! Para visitar, é preciso marcar com antecedência e pagar, pois são visitas guiadas com muitas informações históricas e culturais. A visitação dura em torno de uma hora e 80% do tour por dentro do palácio está aberto aos turistas. Os outros 20% são ocupados pela família.

Fachada da Casa de Mateus

De arquitetura barroca, foi construída entre os anos de 1739 e 1743. A planta racional e o rigor da métrica mostram que, se o palácio for dividido ao meio, verá que um lado é idêntico ao outro (característica do período barroco), como se fosse parte siamesa da outra. Impressionante!

O barroco estilo italiano não está somente na arquitetura. É possível ver também nas esculturas, peças em ouro e os anjos em toda a decoração e tantos outros objetos do interior da casa. Alguns cômodos que mais me chamaram a atenção foram:

  • Sala de Entrada – notam-se os três brasões que representam os Botelho, Melo e Albuquerque, ou seja, os Morgados da Casa de Mateus.
  • Na Sala da Louça Azul encontram-se imagens da família representadas em gravuras, tinta óleo e aquarela e fotografias da época. Os móveis são do final do século XIX, com relevos em ouro. Os aparelhos de chá e jantar são em porcelana chinesa.
  • A Sala de Jantar possui armários embutidos rústicos em madeira, com frisos tremidos. Mas o que é bem interessante é que um desses armários possui uma passagem secreta para outro cômodo da casa. A prataria em rococó inglês do século XVIII e XIX é linda!
  • A Sala de Arte Sacra e Paramentos é incrível! As obras de arte sacra definem a religiosidade da família, bem como as santas relíquias vindas de Roma e os relicários em prata. Os paramentos e alfaias utilizados por várias gerações e datas solenes estão expostos como se tivessem sido confeccionadas mês passado, ou seja, em perfeito estado e não quase há três séculos!
  • A Biblioteca é muito imponente. Possui mais de seis mil livros antigos, catalogados, com conteúdo religioso, jurídico, histórico e, nada mais e nada menos que, a primeira edição ilustrada de “Os Lusíadas”, de Camões. É possível admirar as chapas originais em cobre, desenhadas uma a uma e com riqueza de detalhes, as provas tipográficas e outros documentos referentes à essa edição de 1817.

Seguindo a linha do racional e o rigor da métrica, os jardins formam desenhos perfeitos e idênticos. Acredito que visitar o jardim da Casa de Mateus em plena primavera deve ser a coisa mais formosa. Apesar de ter ido em pleno inverno, com muita geada, ainda fiquei impressionada.

Jardim da Casa de Mateus

É possível assistir um vídeo (francês, com legenda em inglês) sobre o jardim, com vistas aéreas e mais “takes” com ângulos diferentes. Vale a pena!

A Fundação Casa de Mateus possui um programa chamado “A Cultura em Diálogo” que proporciona fomentar a cultura literária, artística, musical através de cursos, workshops, seminários e exposições. A agenda da FCM está disponível no site.

Durante a visitação é proibido tirar fotos na parte interna da Casa (a própria guia orientou que se buscasse na internet que encontraria fácil), mas nas dependências externas fiquei à vontade com os cliques.

Infelizmente a degustação de vinhos do Porto não estava disponível porque, como é baixa temporada, seria um desperdício. Cada garrafa aberta deve ser consumida em até 48 horas e, se passar disso, tem que ser jogada fora. Pelo menos eu degustei os vinhos de mesa – branco, rosé e tinto. O Porto comprei e dei de presente para o marido que estava em pleno sábado no mestrado de enologia.

A Casa de Mateus oferece duas modalidades de visita:

  1. Visita guiada pelo interior da casa, capela e visita livre aos jardins – 12 €. Entrada franca para crianças até seis anos.
  2. Visita livre aos jardins – 8,50 €. Entrada franca para crianças até seis anos.

Extras:

Estacionamento nas dependências do Palácio – 8,50 €. Pode parar o carro na rua do lado de fora. Visita guiada à adega – 1 €. Prova de vinhos do porto – 5 €. Prova de vinhos DOP Douro – 4 €.

Horário de funcionamento:

das 09:00 às 19:00 h – de abril a 15 de outubro;

das 09:00 às 17:30 h – mês de novembro e março;

das 09:00 às 17:00 h – de 28 de novembro a fevereiro;

25 de dezembro é fechada ao público. O Palácio, está situado ao código postal 5000-291, Vila Real, Portugal. Para saber mais sobre a Casa de Mateus, pode acessar o site da mesma ou ligar para (351) 259 323 121.

Espero que eu tenha conseguido passar um pouquinho da parte cultural que Vila Real oferece. Conforme eu for conhecendo mais coisas, vou trazendo em primeira mão.

Até mais!

Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Roberta OrtolanSiga também blog da Roberta.

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png”]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem