Viajar com animais para a Europa – o processo

Sem dúvida alguma, a pergunta que mais respondi desde que me mudei pra França com os meus dois gatos foi como tinha sido o processo de viajar com animais para a Europa e se eu tinha feito tudo sozinha. Resolvi colocar aqui o passo a passo dessa jornada para ajudar quem está em busca de informação para fazer o mesmo.

Antes de mais nada, é um processo longo, leva em média seis meses. Em segundo lugar, não é um bicho de sete cabeças, mas você precisa se organizar com as datas e prazos. Por isso, recomendo fortemente que seja feita uma planilha com todas as etapas e as datas que elas devem ser executadas. Isso facilitou muito pra mim. Era só abrir e olhar quando eu precisava realizar alguma coisa.

As primeiras fases da preparação

Em primeiro lugar, seu animal precisa ter um microchip sub-cutâneo, isso é, embaixo da pele. Os meus gatos têm o BackHome da Virbac. Eu coloquei com um veterinário comum, só liguei antes para agendar. Peguei R$ 180,00 em cada um deles na época (setembro/2016).

Em seguida é preciso fazer a vacinação antirrábica. No meu caso, coloquei o microchip e vacinei no mesmo dia, mas não se esqueça: a vacina precisa ser aplicada, obrigatoriamente, depois do microchip ser implantado. O valor foi R$ 100,00 cada. Caso seu animal não tenha carteira de vacinação (era o caso dos meus), já peça para a veterinária providenciar uma. É preciso ter selinho dessa última vacina constando fabricante, lote e data de fabricação, data da vacina, validade, o carimbo e a assinatura do seu veterinário.

Agora vem a primeira espera. São 30 dias entre a aplicação da vacina e a retirada do soro para o exame de Sorologia Antirrábica. Por isso, a importância da planilha: é fundamental respeitar os prazos.

Passado os 30 dias, eu fiz a retirada do soro em um laboratório. Paguei R$10 por gato (foi bem baratinho mesmo!) e levei na mesma hora para o CCZ – Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo (São Paulo – SP). É importante ficar de olho na qualidade do soro entregue pelo veterinário. Um dos meus quase foi reprovado, mas no fim eles centrifugaram de novo e deu tudo certo. Aqui está uma imagem de como deve ser a amostra:

Amostras para sorologia de animais: um dos passos fundamentais antes da viagem

No momento (janeiro de 2018), no Brasil apenas o CCZ de São Paulo é autorizado a realizar esse exame, mas é sempre bom checar a informação aqui. O resultado levou 3 a 4 semanas para chegar e recebi em casa. O valor foi R$ 321,00 por animal. A parte boa dessa sorologia é que você nunca mais vai precisar fazer, é só manter a vacina antirrábica em dia.

Após a coleta do sangue vem a maior espera. São 90 dias entre a retirada da amostra e a solicitação do CZI. Não adianta ir lá com 89 dias; eles vão te mandar pra casa. E de novo: 90 dias a partir da retirada do soro e não do recebimento do resultado!

O CZI é o documento mais importante. É ele que permite que seu animal entre na União Europeia. Assim que receber o resultado do exame e estiver tudo ok, já agende sua data na VIGIAGRO do Aeroporto de Guarulhos. Mas, atenção: o documento tem validade de 10 dias. Então você precisa saber exatamente a data da sua viagem para fazer esse agendamento.

Já tem sua data para ir na VIGIAGRO? Ótimo. Agora é preciso agendar uma consulta no veterinário para fazer um check-up do seu pet e pegar um atestado de saúde. Mas, lembre-se: o atestado precisa ter no máximo 72h de emissão no dia que você for a VIGIAGRO. Eles não vão aceitar caso seja um período maior. Então faça as contas certinho pra não ter erro.

Aqui está a lista de documentos que você precisa ter no dia que for na VIGIAGRO – é preciso levar original e duas cópias. No dia agendado, seu animal não precisa ir junto, mas não esqueça de todos os documentos:

  • Comprovante de aplicação do microchip com o código (se tiver, leve os adesivos com o código, só pra garantir)
  • Carteira de Vacinação com o comprovante da vacina antirrábica em dia
  • Laudo da Sorologia Antirrábica com anticorpos acima de 0,5 UI/ml
  • Certificado de Saúde emitido pelo veterinário
  • Requerimento para Fiscalização de Animais de Companhia preenchido
  • Comprovante de embarque (Passagem, Comprovante de Compra etc)
  • Endereço que você vai ficar hospedado quando chegar no país

O texto já está maior do que eu esperava, logo volto com a parte II com algumas dicas, cuidados e contando como foi minha experiência de viajar sozinha com essas duas coisinhas!

Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Lígia Pereira. Siga a Lígia também no Instagram.

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem