Quanto custa viajar para ver a Aurora Boreal?

A Aurora Boreal é um dos fenômenos mais belos e intrigantes da natureza. Esse verdadeiro espetáculo de luzes no céu só acontece em determinados locais do mundo, em épocas específicas.

Uma viagem com o objetivo de testemunhar a Aurora Boreal precisa ser planejada, mas também deve contar com alguma flexibilidade, pois o fenômeno é imprevisível. É difícil precisar se vai ocorrer exatamente naquele dia/período e se será visível quando acontecer.

O que é a Aurora Boreal e onde acontece

Que a Aurora Boreal é um festival de cores, todo mundo sabe. No entanto, a verdadeira explicação do evento é desconhecida mesmo por aqueles que pretendem viajar para vê-lo. Explicada de uma forma simples, e ao mesmo tempo científica, a aurora é resultado da colisão do vento solar com o campo magnético da Terra. Desse choque, resulta uma série de reações físicas e químicas, especialmente nos pólos Norte e Sul.

A Aurora Boreal é a que acontece no hemisfério Norte e a Aurora Austral é a que acontece no hemisfério Sul. Quanto mais próximo dos pólos, maior a incidência do fenômeno. Por isso, a Norte, os melhores locais para visualizá-la estão entre os 66 e os 69 graus de latitude. A melhor época é de setembro a março, meses de outono e inverno nessa parte do globo.

Islândia, Escócia, Noruega, Finlândia, Suécia e Canadá são alguns dos países brindados com a beleza desse acontecimento que pinta o céu de tons esverdeados, alaranjados, avermelhados e arroxeados. No entanto, mesmo em qualquer um desses destinos, é preciso ir para locais específicos, longe de grandes pontos emissores de luzes artificiais.

Vale estar preparado para a frustração também e apelar para a sorte pois, como já foi dito, as auroras boreais são bastante imprevisíveis. No site Planetary k-Index é possível conferir o indíce geomagnético do planeta. Valores superiores a 2 indicam maiores chances de conseguir presenciar o fenômeno estando no local certo na hora certa. Importante lembrar que chuva e neve também comprometem a visualização do mesmo.

50 destinos baratos para mochilar

Quanto custa ir ver a Aurora Boreal

Para quem está obstinado em ver de perto a Aurora Boreal e agora já sabe o que esperar, quando e onde acontecem, o melhor é começar a fazer os planos e as contas. Uma vez que é preciso ter alguma flexibilidade e que nem todos os destinos são facilmente acessíveis, esse certamente não é a viagem mais econômica para se fazer. No entanto, com algum planejamento, é possível poupar.

Para ajudar nessa missão, o Já Fez as Malas? organizou uma lista com 3 dos melhores lugares do mundo para conseguir presenciar o fenômeno e os principais custos envolvidos na viagem. Para fazer as cotações, foram usados como base voos saindo de São Paulo, estadias em janeiro de 2019 e o câmbio do real em relação às moedas locais citadas ao longo do texto foi feito no dia 31 de outubro de 2018.

Abisko (Suécia)

Abisko é uma pequena localidade na Suécia que conta com pouco mais de 140 habitantes. No geral, tem excelentes condições metereológicas e um céu limpo, o que  faz o local ser considerado o melhor do mundo para se observar a aurora boreal. Chegar lá, no entanto, é uma verdadeira jornada.

A primeira parte da viagem é chegar a Estocolmo, capital sueca, uma vez que não existem voos internacionais direto para Abisko. De acordo com o buscador de viagens Kayak, voar de São Paulo para Estocolmo em janeiro sai por a partir de R$ 3.499. De Estocolmo para Abisko existem diferentes alternativas, sendo a mais rápida seguir de avião até Kiruna e depois de trem até o destino final. No site Rome2Rio, essa opção leva cerca de 5 horas e pode custar de R$ 486 a R$ 1.431. A forma mais barata de fazer o trajeto, no entanto, é encarar 17 horas de trem pagando a partir de R$ 400 pelo bilhete.

A pequena localidade não tem muitas opções de alojamento, mas é possível encontrar algo em conta. No site Abisko.net há acomodações em hostel, quarto compartilhado, por a partir de R$ 110 a diária. No Booking os preços são um pouco mais elevados, sendo que a opção mais barata não sai por menos de R$ 437 por dia.

A caça da Aurora Boreal pode ser feita de forma independente quanto em passeios organizados, com a vantagem de poder contar com guias que sabem os melhores lugares para ver o fenômeno. A Mistery Miellejokk Tour, por exemplo, inclui até acomodação em cabanas aquecidas enquanto se espera pelo evento. O pacote, que inclui também roupas e bebidas quentes e snacks custa R$ 391 (895 SEK) por pessoa.

Estudo revela que viajar pode ser segredo para uma vida mais longa

Tromsø (Noruega)

E que tal ir ver a Aurora Boreal mesmo no Círculo Polar Ártico? É lá que está localizada a simpática Tromsø. Conhecida como Paris do Norte, encanta pela belíssima arquitetura e pela rica história local. Além de ver a Aurora Boreal, dá para observar as baleias e conhecer melhor o povo Sami.

Partindo de São Paulo, o trajeto será sempre longo. No entanto, é possível encontrar voos com “apenas” 1 escala por R$ 4.938. O aeroporto fica um pouco afastado do centro da cidade, mas há ônibus que fazem o percurso por a partir de R$ 26 (60 NOK). De táxi, o mesmo percurso normalmente não sai por menos de R$ 90 (203 NOK).

No Booking as acomodações para Tromsø em janeiro, um bom mês para a obervação da Aurora Boreal, partem dos R$ 287 a diária.

Para conseguir testemunhar a Aurora Boreal, pode-se alugar um carro e arriscar-se pelas estradas locais, uma opção não muito indicada para quem não tem experiência em dirigir na neve. Além do mais, a caça pode ser infrutífera quando não e consegue chegar aos locais certos. Um investimentos em tours pode ter um melhor custo-benefício neste caso. A Tromsø Safari tem várias opções de passeios, incluindo ficar com um grupo em uma espécie de base com direito a jantar, lanches e aquecimento garantido. A comodidade custa cerca de R$ 433 (986 NOK) por pessoa.

Fairbanks (Alasca)

Vale também perseguir a Aurora Boreal do “outro lado do planeta”, no Alasca. Fairbanks é um local conhecido pela alta taxa de incidência das Luzes do Norte. Tal como a outras cidades anteriormente, é bastante pacata, com poucos habitantes e excelente para quem quer fugir do ambiente urbano. O lado bom é esse.  O ruim é que, sendo remota, exige mais em termos de logística de deslocamento.

A longa jornada aérea de São Paulo até Fairbanks leva mais de 20 horas e não sai por menos de R$ 4.430, de acordo com a simulação feita para janeiro. Uma dica para chegar já na caçada pela Aurora Boreal é tentar um voo que esteja previsto para chegar ao destino à noite. Mas por que? Porque existem chances reais de conseguir ver o fenômeno do avião, acima das nuvens, especialmente entre 22h e 00h.

A hospedagem em Fairbanks pode ser tanto no centro como nas zonas mais afastadas, o que significa uma chance de presenciar uma Aurora sem sequer sair do alojamento. É possível encontrar uma cama em dormitório por a partir de R$ 103 por noite.

A cidade conta com uma série de tours organizados, tal como nas outras, para caçar ou esperar pela Aurora Boreal. Os mais baratos oferecem um espaço em uma espécie de base estrategicamente montada para ser observar o evento, os preços vão de R$ 96 a R$ 314 (US$ 25 a US$ 85). Outros podem incluir verdadeira caçadas e até workshops de fotografia, como é o caso do organizado pelos The Aurora Chasers, que custa cerca de R$ 1.093 (US$ 295) por pessoa.

Há sempre a opção de caçar a Aurora por conta própria alugando um carro e seguindo as previsões de tempestades geomagnéticas. Pode sair mais barato, mas não é recomendado quando as condições meteorológicas estiverem adversas.

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos