Muita gente tem dúvida sobre como é o processo para fazer uma pós-graduação ou mestrado em Portugal. Pra ajudar quem tem esse interesse específico ou está apenas planejando realizar uma pós-graduação ou mestrado ainda sem saber bem o destino, esse post pode ajudar bastante, pois há coisas que se aplicam a muitos outros países.

Primeiro, aí vai uma lista de documentos que, no geral, você vai precisar reunir e enviar uma cópia digital na sua candidatura.

Listas de documentos para pós-graduação ou mestrado em Portugal

1- Diploma

Se você se formou recentemente e o diploma da graduação ainda não saiu, solicite um documento que comprove que você já cursou todas as disciplinas e já tem todos os créditos requeridos para estar formado (normalmente, essa declaração é entregue na colação de grau e vale até que o diploma fique pronto. Ela já serve para poder se candidatar numa pós ou mestrado).

É preciso também que sua graduação seja compatível com o número de créditos requeridos pela universidade a qual vai se candidatar a um curso do segundo ciclo (que engloba as pós-graduações e mestrados).

2- Histórico escolar com notas e créditos

É importante que seja o histórico com notas, pois pode ser que você tenha que fazer a conversão para o sistema de classificação de Portugal, que vai de 0 (nota mínima) a 20 (nota máxima).

😉 Por exemplo, uma nota 7 no Brasil vira um 14 em Portugal.

3- Europass

O Europass é um padrão de currículo europeu que serve tanto para fins acadêmicos como profissionais. Verifique se a faculdade onde deseja estudar tem esse requisito para a candidatura à pós-graduação ou mestrado em Portugal. Se tiver, faça o seu aqui (para quem vai procurar emprego em Portugal o Europass ainda é requisitado por algumas empresas, por isso, pode ser realmente útil).

4- Carta de motivação

Na carta de motivação é preciso ser convincente de que esse curso de pós-graduação ou mestrado será importante na sua vida acadêmica e também pessoal. Aqui é preciso expôr o que te motiva a fazer esse curso e até mesmo o que você trará de novo para o meio acadêmico (no caso de quem já tem uma pesquisa em mente, para os candidatos de mestrado).

5- Carta de recomendação

A carta de recomendação, geralmente, é opcional, mas toda ajuda pra que você consiga uma vaga na pós-graduação ou mestrado é válida, por isso, se tiver algum professor que possa te recomendar como bom aluno/pesquisador, será muito útil.  Se você precisar de ajuda para orientar o professor no que deve escrever na carta, veja o artigo sobre como deve ser uma carta de recomendação.

6- Passaporte

Já faça uma cópia digital do passporte ou outro documento de identificação que possam requerir na candidatura ao curso.

Veja a opinião de quem já foi: fazer mestrado em Portugal vale a pena?

Como é a entrevista para uma pós-graduação ou mestrado?

Após realizar a candidatura para um curso de pós-graduação ou mestrado e, sendo aprovado, provavelmente você será chamado para uma entrevista, numa segunda fase do processo seletivo. Isso não significa que você vai ter que pegar um avião até Portugal para realizá-la: já existe skype 🙂

A duração e os assuntos abordados na entrevista variam de curso para curso e se é pós-graduação ou mestrado. Mas, por exemplo, para o curso de Ciências da Comunicação, na Universidade do Porto, a conversa com o responsável pela seleção dos candidatos tem duração de 5 a 10 minutos e ali é preciso dizer porque você escolheu ir para Portugal, porque optou pelo curso em questão, qual a disciplina que mais tem interesse na grade curricular (para mostrar um real interesse no curso que se candidatou) e qual a importância do curso para a formação acadêmica e pessoal. Fica a dica de que as entrevistas não variam muito e os temas abordados rondam sempre essas temáticas.

O que mais é preciso?

Como é claro, os itens mencionados acima fazem parte da burocracia da candidatura a uma pós-graduação ou mestrado em Portugal e que se aplica a muitos outros países, com algumas variações. No entanto, é preciso estar atento aos prazos das candidaturas, à realização do pagamento das taxas que podem ser exigidas para a candidatura e outras especifidades de cada processo.

Já é preciso ter um projeto de pesquisa para o mestrado?

Normalmente não, se você estiver pensando em estudar na Europa. Isso porque os mestrados na Europa são continuações diretas da licenciatura, que costumam ter apenas 3 anos e o mestrado é uma complementação (ainda estamos preparando esse material, mas você já pode procurar por Processo de Bolonha para entender melhor as durações dos cursos). Logo, não há aquela obrigação de já ter o tema de pesquisa definido na hora da candidatura (pode haver excessões de faculdade para faculdade, mas é o que acontece na maioria dos casos).

Quando posso me inscrever?

Isso varia de curso para curso e do país em questão. Na Europa o ano letivo começa em setembro, logo, as candidaturas para pós-graduações e mestrados costumam abrir entre maio e julho, quando é o fim do segundo semestre letivo.

Veja também as melhores Universidades de Portugal e do Mundo

 

Esperamos ter ajudado 🙂 Se sim, continue navegando por outros conteúdos do site e compartilhe com amigos, familiares e quem possa ter o mesmo interesse que você.

 

Veja também:

 

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.
Comentários do Facebook

Sobre o Autor

Nataly Lima

Natural de São Paulo. Mestre em jornalismo. Tem coisas espalhadas entre Portugal, Croácia e Brasil, mas hoje ela viaja para todos os cantos com o Já Fez as Malas.