Foi-se o tempo onde crianças e jovens passavam muitos anos de suas vidas dentro de uma sala de aula para aprender um idioma – e jamais chegavam à fluência. Atualmente, com uma menor burocracia e parcerias bilaterais, estudar inglês nos Estados Unidos se tornou mais fácil.

Conversação 24/7, imersão total na cultura e um curso prazo de tempo, veja como conquistar a tão sonhada da fluência através desse procedimento no exterior.

Preço médio para estudar inglês nos EUA

Não somente uma conquista pessoal, mas um largo passo para a vida profissional, estudar inglês nos Estados Unidos pode ser possível em diversas modalidades, durações, direcionamentos e claro, custos.

Entre as opções que o aluno poderá escolher estão os cursos de inglês para negócios; preparatórios para os exames IELS, Cambrigde ou TOEFL; cursos de longa duração; e alternativas mais flexíveis, de acordo com a sua disponibilidade.

Com tais informações, veja a seguir algumas opções em pacotes e cursos que podem ser a chance de dar uma reviravolta em sua vida.

English Language Institute

Localizada na cidade de San Francisco, veja alguns detalhes de pacote para fazer seu curso de inglês nesta escola, cotados através da agência Descubra o Mundo Intercâmbio.

Tipo de Curso: Smart
Carga Horária: 15 horas semanais
Duração: 4 semanas
Material Didático: R$ 138 para o primeiro nível
Acomodação: R$ 828 + R$ 517,50 de taxa em quarto estudantil triplo sem refeição.
Escola: R$ 3.070,50 + R$ 276 de taxa de matrícula.
Taxa da agência: R$ 499
Seguro: R$ 431,25

Total: R$ 5.760,25

Sprachcaffe Language Plus

Cotada para a cidade de Los Angeles através do site oficial, a escola oferece uma série de possibilidades ao aluno. A seguir, listamos as características para um curso Standart sob a taxa de conversão de câmbio em R$ 3,42 no dia 4 de Novembro de 2016.

Tipo de Curso: Standart
Carga Horária: 20 horas semanais
Duração: 4 semanas
Material Didático: R$ 171
Acomodação: R$ 1.915,20 + R$ 342 de taxa em quarto individual com meia pensão incluída.
Escola: R$ 1.846,80 + R$ 513 de taxa de matrícula.
Taxa da agência:
Seguro:

Total: R$ 4.788,00

Kaplan International Colleges

Com vaga para a cidade de Miami através da agência Central de Intercâmbio, a escola Kaplan oferece um custo mais elevado, mas com qualidade consoante. A seguir, listamos as características para um curso Elementar.

Tipo de Curso: Geral
Carga Horária: 27 aulas semanais com 45 minutos cada
Duração: 4 semanas
Material Didático: –
Acomodação: R$ 3.233,6 em quarto duplo em casa de família, banheiro compartilhado, com meia pensão incluída.
Escola: R$ 4.437,60 + R$ 550,40 de taxa de matrícula.
Taxa da agência: R$ 309,60
Seguro:

Total: R$ 8.531,20

Zoni Language Center

Situada em Nova York, a escola se enquadra na categoria “low-cost” de acordo com a agência Descubra o Mundo Intercâmbio. Veja os custos.

Tipo de Curso: Budget
Carga Horária: 15 aulas semanais
Duração: 4 semanas
Material Didático: R$ 86 por módulo
Acomodação: R$ 5.589,00 em quarto individual em casa de família, com meia pensão incluída + taxa de R$ 345.
Escola: R$ 3.781,20 + R$ 345,00 de taxa de matrícula.
Taxa da agência: R$ 499,60
Seguro: R$ 495,93

Total: R$ 10.559,20

Demais custos

Além dos custos estimados listados acima, o estudante precisa ter ciência de que essas não serão suas únicas preocupações e gastos, considerando principalmente que os pacotes não incluem passagens aéreas e muitas vezes não oferecem a possibilidade de contratar seguro viagem, tratar de burocracias como visto ou providenciar três refeições diárias. Já no local de destino, considere gastos com seu próprio lazer e reservas emergenciais.

Lembrando ainda que brasileiros com visto válido de turista podem ainda aplicar para estudar inglês nos Estados Unidos gratuitamente através dos programas English as Second Language (ESL) e English for Speakers of Other Languages (ESOL).

As aulas são divididas entre níveis básicos, intermediários e avançados onde o aprendizado acontece perante dinâmicas em grupo e exercícios individuais. Para ingressar, será necessário realizar uma prova de nivelamento e pagar uma taxa entre US$ 10 e US$ 30 para começar.

Os cursos são ofertados por Comunnity Colleges e algumas igrejas locais que podem ser consultados diretamente no site oficial da cidade ou condado onde pretende ficar. A inscrição só poderá ser feita pessoalmente e turistas poderão estudar somente o máximo de 18 horas semanais.

Pode estudar e trabalhar?

Além de todas as modalidades já apresentadas, existem programas que permitem ao interessado em estudar inglês nos Estados Unidos também a trabalhar. Entretanto, essa possibilidade é concedida somente a cursos universitários ou estágios profissionais.

Atualmente no país a única maneira de entrar legalmente e começar a trabalhar é através do programa Work and Travel ou Work Experience, dependendo da agência que fornece essa oportunidade. Nessa modalidade, o indivíduo viaja com a única finalidade de trabalhar durante um período temporário e ser remunerado por isso.

Work and Travel

Geralmente os programas de Work and Travel exigem ainda que o candidato esteja matriculado em um curso superior e possua níveis de inglês entre intermediário a avançado, podendo este trabalhar entre períodos de 3 a 4 meses ou durante as férias.

Por regra, estudantes com os vistos F-1 e J-1 são permitidos em algumas ocasiões a exercer algumas funções dentro do campus e até mesmo trabalhar em determinada carga horária, geralmente em tarefa relacionada à sua área de formação acadêmica.

Por outro lado, estudantes com o visto M-1 não poderão trabalhar sob nenhuma circunstância, apenas aplicando a um Work Permit alegando dificuldades financeiras.

Durante um curso de idiomas, o mais próximo de trabalho que o aluno poderá chegar é uma espécie de estágio que algumas escolas oferecem ao final do curso de inglês para negócios, através de aulas práticas em empresas conveniadas à instituição. Informe-se junto à agência de intercâmbio ou escola onde pretende se matricular.

Que tipo de visto pedir

Durante o processo para estudar inglês nos Estados Unidos o aluno deverá solicitar junto à escola um formulário I-20, para visto F-1, ou DS-2019 para aplicar ao visto J-1. Em geral, nesses casos costuma-se solicitar o formulário para aplicação ao visto F-1, caracterizando quem deseja ingressar uma universidade ou curso de inglês em escola ou faculdade credenciada.

Sobre os dois demais vistos de estudante, o J-1 é direcionado aos candidatos que participarão de intercâmbio cultural ou educacional; já o M-1 fica restrito aos que se matricularam em quaisquer programas não acadêmicos ou de cunho profissionalizante (como no caso do Work and Travel).

Gostou desse post? Compartilhe e acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

Facebook      Nosso grupo      Twitter    Youtube

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito para brasileiros que querem cruzar fronteiras e superar os próprios limites. Para quem é apaixonado por conhecer outras culturas, viajar e sonha em morar fora para estudar, trabalhar, ou simplesmente pela experiência de vida.

Artigos Relacionados