5 lugares baratos para estudar inglês no exterior

Estudar inglês no exterior é uma forma eficiente de mergulhar no idioma e acelerar o aprendizado. O preço, no entanto, acaba afastando muita gente dessa possibilidade. Felizmente, existem destinos em que é possível fazer um curso intensivo de qualidade sem necessariamente pagar uma quantia avultada por isso.

Estudar inglês fora do Brasil: 5 destinos baratos

Quem pretende estudar inglês no exterior pensa logo nos dois destinos mais prováveis: Estados Unidos e Inglaterra. Além de mais procurados para o efeito, os países também são os mais caros. A boa notícia é que dá para recorrer a outros lugares para aprender o idioma e ter experiências únicas mesmo quando o orçamento não tem grande margem para manobra.

Pensando naqueles que estão planejando estudar inglês no exterior em breve e que não podem fazer um investimento tão alto, o Já Fez As Malas organizou uma lista com 5 destinos alternativos e mais baratos. Além do preço médio dos cursos, obtido em pesquisas através do site da agência de intercâmbios Descubra o Mundo, levamos em consideração também o custo de vida nesses locais e benesses como, por exemplo, a possibilidade dos estudantes trabalharem.

África do Sul

A nossa lista começa com o destino menos óbvio de todos para estudar inglês no exterior. A capital da África do Sul, Cidade do Cabo, é a que tem mais oferta de escolas e tem sido muito procurada pelos intercambistas nos últimos anos. Com um estilo de vida cosmopolita, não deixa nada a desejar. Tem excelentes restaurantes, bares, passeios e toda uma diversidade natural à disposição.

Uma das grandes vantagens ao escolher a África do Sul é fugir do dólar e suas oscilações. A moeda local, o rand, está desvalorizado em relação ao real e isso conta pontos a favor do bolso dos brasileiros. Além disso, o custo de vida geral é bastante baixo. Na Cidade do Cabo são necessários, em média, R$ 1.590 todas as despesas mensais. Os cursos saem por a partir de R$ 818.

Austrália

Depois dos Estados Unidos, a Austrália é o destino mais apontado quando o assunto é estudar inglês no exterior. O país dos cangurus sai ganhando, no entanto, quando o assunto é custo de vida, uma vez que na Terra do Tio Sam é tudo muito mais caro. O clima descontraído do país e as suas belíssimas praias são alguns dos principais atrativos para os estudantes de todo o mundo, especialmente os brasileiros.

Na Austrália, é possível trabalhar por meio período com visto de estudante desde que o curso tenha uma duração maior que 14 semanas. Essa pode ser uma boa opção para ajudar a suportar os custos da viagem. Em Gold Coast, por exemplo, é possível encontrar cursos por a partir de R$ 477 por semana.

Canadá

E para quem não quer desistir da América do Norte, o Canadá é sempre uma boa opção. O país conta com excelentes escolas, cidades bastante multiculturais e com uma infraestrutura bem metropolitana. Ainda com duas vantagens importantes quando comparado com os Estados Unidos: para brasileiros, o processo de obtenção do visto é relativamente descomplicado e a moeda local, o dólar canadense, costuma ser mais estável e ter uma cotação mais favorável que o dólar.

Há alguns anos, era possível trabalhar no Canadá enquanto se frequentava um curso de idiomas. No entanto, essa possibilidade não existe mais. Agora, apenas os alunos de pós-graduações estão habilitados a receberem uma work permit para 20 horas de trabalho semanais.

Quem estiver disposto a investir nessa temporada de estudos no Canadá, pode encontrar cursos disponíveis por a partir de R$ 320 por semana em Vancouver. De acordo com a Descubra o Mundo, o custo de vida na cidade ronda os R$ 2.722.

Malta

Malta está se tornando um destino cada vez mais procurado por quem quer estudar inglês. Isso porque a ilha é belíssima, conta com um sem fim de riquezas naturais e, apesar de estar localizada na Europa, possui um custo de vida consideravelmente baixo para os padrões europeus. E como se não bastassem todos esses pontos positivos, a língua é uma das oficiais do país e existem por lá escolas de grande qualidade.

Os cursos podem ser encontrados por a partir de R$ 424 por semana em cidades como Valletta. Saint Julians é a mais conhecida e onde os cursos custam um pouco mais caro, custando a partir de R$ 669.

Nova Zelândia

Fechando a nossa lista de lugares baratos para estudar inglês, está a majestosa Nova Zelândia. É o local perfeito para quem quer um contato constante com a natureza, mas sem perder um pouco da vida urbana também. Os brasileiros podem entrar no país sem visto e permanecerem por até 90 dias nessa condição. Quem vai fazer cursos curtos, pode se beneficiar disso, economizando tempo de burocracia e dinheiro com documentação.

Quem pretende trabalhar para conseguir suportar os custos da estadia, tem autorização para fazê-lo, desde que o curso tenha uma duração de mais de 14 semanas. Neste caso, é necessário solicitar o visto de estudante. A carga horária máxima é de 20 horas de trabalho semanais.

Uma semana de curso intensivo em Auckland custa a partir de R$ 655. O valor altera-se de acordo com a escola e a modalidade de aulas.

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:

Atenção: Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas? e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem

Booking.com