Seja como porta de entrada para uma vida no exterior ou a busca por um aprendizado de renome, fazer faculdade nos Estados Unidos é um sonho cada vez mais possível para os brasileiros com o objetivo de crescimento pessoal e profissional fora do país. Conheça a seleção de custos aproximados, metodologia de candidatura e outras informações relevantes para esse processo.

Preços das faculdades nos Estados Unidos em 2018

Para dar o primeiro passo rumo a uma faculdade nos Estados Unidos, o interessado precisa conhecer as opções de instituições de ensino ofertantes do curso pretendido e principalmente, os custos envolvidos – considerando que as melhores escolas são as particulares.

A seguir, fizemos um breve levantamento dos valores, métodos de pagamento e benefícios que eventualmente um estudante pode ter em universidades como Harvard, MIT e Stanford.

Harvard

Como falar em faculdades nos Estados Unidos sem citar Harvard? Fundada em 1636 e com 47 prêmios Nobel em seu histórico, cerca de 70% dos estudantes na instituição possuem alguma forma de bolsa de estudos.

Integralmente, o custo anual para estudar em Harvard está em US$ 44.990 mais US$ 3.959 em taxas e de US$ 800 a US$ 1.200 em livros. Veja o custo total anual, incluindo ainda moradia e transporte, no site oficial da instituição.

No processo seletivo, Harvard emprega uma política de need-blind, não levando em consideração a renda do estudante para a aprovação. Os que podem pagar, arcam com os cursos; já os que comprovem incapacidade para tal, podem obter até 100% em bolsa de estudos.

Através do Radcliffe Institute, por exemplo, estudantes aprovados serão financiados em US$ 31.000 por ano para custear despesas com estudos e sustento pessoal enquanto trabalham em projetos específicos. Diretamente através de Harvard existem diversos programas de bolsas para novos alunos, abertas inclusive para estudantes estrangeiros – clique aqui para ver.

MIT

Pouco mais de duzentos anos depois, o MIT foi fundado em 1981 e conta atualmente com 80 prêmios Nobel e 95 cursos de graduação. Para o ano de 2017, o custo total de 9 meses de curso (relativo a um ano letivo) foi de US$ 48.452, podendo variar de acordo com o curso. Mais informações sobre as taxas e anualidade podem ser consultadas no site da instituição.

Além do financiamento estudantil disponível a candidatos nativos, a grande maioria dos universitários do MIT estão ali a partir de algum sistema de bolsa de estudos. Para isso, é preciso enviar um Financial Aid Form, solicitando uma análise de sua condição financeira (considerando o rendimento também dos seus pais ou dependente) após a aprovação do candidato na universidade.

Stanford

Também pontuando entre as melhores dos Estados Unidos, Stanford foi fundada em 1885, contando com 21 prêmios Nobel levando o nome da Universidade. Para o ano de 2018, o custo anual está em US$ 16.329 para os cursos de graduação. MBAs e Escolas de Graduação e Direito estão entre US$ 18.743 e US$ 22.956, lembrando que os valores citados não incluem taxas administrativas ou material – veja mais valores no site oficial.

Apresentando uma política need-based, o valor médio que a instituição oferece como bolsa de estudos aos candidatos estrangeiros está em US$ 30 mil.

Os cursos mais caros e baratos

Não somente de curso para curso, nem entre instituições de ensino, mas o custo de uma faculdade nos Estados Unidos também pode variar entre estudantes nativos e internacionais – sendo os direcionados a estrangeiros muito mais caros.

Em média, para estudantes de outros países, o custo anual de uma faculdade particular fica entre US$ 15 mil e US$ 30 mil; já as públicas ficam entre US$ 10 mil e US$ 20 mil ao ano. Por fim, as chamadas faculdades comunitárias são ainda mais financeiramente viáveis. Na Community College of Philadelphia  o sistema é por créditos/hora, por exemplo, e os valores partem dos US$ 159 por crédito/hora.

Geralmente, o custo anual é muito semelhante entre cursos, de forma que apenas as taxas variam de acordo com a escolha. Entretanto, alguns cursos como Direito, Medicina, Medicina Veterinária e Odontologia podem sair mais caro ao bolso do estudante, pois a formação não acontece como no Brasil.

Para esses cursos, será preciso frequentar quatro anos de graduação em área semelhante ao interesse final. Ao término do curso, ingressará em uma pós-graduação na escola selecionada como a Law School (Direito) ou as da área da Saúde. Nesses casos, o custo anual pode chegar a US$ 60 mil e as bolsas são extremamente restritas, principalmente a estudantes estrangeiros.

Como é a candidatura

Ainda que pleitear uma vaga em uma faculdade nos Estados Unidos pareça uma tarefa simples através das bolsas governamentais e programas direcionados a estudantes de outros países, o preparo é rigoroso e certamente, não é para qualquer um.

Bem diferente do que é praticado no Brasil, o processo de admissão para uma faculdade nos Estados Unidos leva muito mais em consideração o perfil do candidato, bem como seu desempenho acadêmico. Portanto, se estiver disposto a entrar nesse processo, garanta um resultado exemplar em seu histórico do Ensino Médio, o inglês fluente e um engajamento com atividades extracurriculares. Até mesmo o “jeito” do candidato muitas vezes conta pontos para conquistar o apreço da universidade.

É importante também ficar atento às particularidades que cada universidade possui em seu sistema de candidatura. O MIT, por exemplo, não funciona a partir do Common Ap – um sistema online padronizado de aplicação -, mas aceita as candidaturas somente através do MyMIT. Já a Universidade de Darthmouth pede uma carta de recomendação de um amigo, além de professores.

Após a submissão do formulário de candidatura com todas as suas informações acadêmicas até o momento, será necessário comprovar a conclusão de testes equivalente ao ENEM, como o SAT, ACT ou SAT II. Em adição, exames comprobatórios acerca do idioma são fundamentais como o TOEFL e o IELTS.

Redações “autobiográficas” e cartas de recomendação serão a oportunidade de mostrar à universidade quem o candidato é além de suas notas e conquistas acadêmicas. No último passo, o candidato será chamado para uma entrevista com um ex-aluno da instituição, geralmente para reforçar tudo o que já foi dito nos passos anteriores. E então? Está pronto para começar?

Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito por e para brasileiros apaixonados por conhecer outras culturas, viagem, gastronomia e para quem sonha em morar fora.

Artigos Relacionados