Vai fazer au pair? É melhor ler isso antes

Quem está antenado nos programas de au pair porque tem interesse em fazer ou porque está realizando esse tipo de programa no momento se deparou recentemente com a denúncia da brasileira Camila Munds, entrevistada pela BBC Brasil, que contou a experiência nada agradável que teve enquanto morava com a família que trabalhava em Dublin.

Para quem não sabe o que é au pair, se trata de um jovem entre 18 e 30 anos que vai para outro país viver com uma família local por um determinado período. Durante a estadia, a au pair (aqui diz- se no feminino, pois é uma ocupação majoritariamente exercida por mulheres) deveria ser considerada parte da família. Sendo assim, faria jus à terminologia que vem do francês e significa “igual”. A troca funciona da seguinte forma: a au pair cuida das crianças da família e pode ter que realizar também algumas das tarefas da casa. Em troca, ela recebe alojamento, uma quantia em dinheiro e ao mesmo tempo pode aprender mais sobre o idioma e a cultura local. Pelo menos em teoria.

Por que morar fora vai acabar com sua vida 

No caso de Camila e de muitas outras outras au pairs nem tudo foi um mar de rosas. Camila relatou a BBC que se deparava com o marido da família tentando abrir a porta de seu quarto diariamente durante a noite. Além de uma situação sem cabimento, a brasileira informou também que ganhava cerca de 3,5 euros a hora (quando o salário mínimo da Irlanda é de 8,65 a hora) e também tinha de trabalhar aos finais de semana. Por fim, a comida que recebia não tinha a mesma qualidade da que a família consumia.

Camila é uma dentre muitas outras pessoas que acabam sendo exploradas em trabalhos como esse. Aceita-se na esperança de juntar e poupar dinheiro, especialmente em cidades como Dublin, onde os aluguéis são extremamente caros, e por vezes o combinado se desfaz com o tempo, a família impõe condições diferentes do que as que foram acordadas e por não verem outra opção ou por medo de ameças de denúncia à imigração, as meninas continuam. Não há contratos, não há legalização.

Vai de Au Pair? Preste atenção nisso!

O que queremos alertar aqui no Já Fez as Malas é que o au pair pode ser uma experiência espetacular e sim, nós incentivamos isso, mas com todo cuidado e atenção às legislações, deveres e direitos que a au pair deve ter. Na Irlanda, por exemplo, onde a prática ainda é extremamente difundida e pouco regulamentada, o que dá margem a abusos como esse, o relatório da Agência de Direitos Fundamentais da União Europeia indica que 75% dos casos de abusos envolvem brasileiras.

Para evitar que esse tipo de situação continue se repetindo, deixamos aqui alguns pontos importantes pra você que quer ser ou já é au pair pensar e tomar uma atitude, se for necessário.

[su_highlight background=”#f8db2d”]Para quem ainda vai[/su_highlight]

1- Investigue a família e agência de au pair antes

Pode ser que a família já seja conhecida por outras au pairs que poderão comentar como foi a vivência com a família, por isso, procure em grupos de discussão quem possa te ajudar. Já sobre as agências é totalmente possível encontrar informações sobre pessoas que já realizaram o programa por meio delas e é muito importante sondar a reputação das empresas antes de fechar qualquer pacote.

2- Conheça muito bem seus direitos e deveres

Apesar da pouca regulamentação em alguns países quanto à ocupação de au pair, existem leis e regulamentações que regem a mão de obra assalariada de forma geral. Informe-se antes de tudo sobre esse tipo de informação referente ao país em questão. Tenha sempre em mãos, até mesmo registrado no celular, as informações da autoridade com quem pode entrar em contato caso necessite. Na Irlanda, para tomar o mesmo exemplo, é pelo 1890 80 80 90 e pelo site www.workplacerelations.ie. Nos Estados Unidos, onde a prática é ainda mais frequente e as coisas ficam mais bem definidas, o número do State Department é 1-866-283-9090 e o e-mail [email protected].
Veja como tirar o visto para ser Au Pair nos Estados Unidos aqui.

3- Mantenha contato com sua família e amigos

Ninguém deve esperar que coisas ruins possam acontecer, mas todos devem se prevenir. Avise sua família e amigos do local onde irá morar, forneça o endereço, dados e contatos da família que te receberá. Pode ser útil para alguma emergência e caso você precise de algum auxílio, você terá quem possa te ajudar.

[su_highlight background=”#f8db2d”]Para quem está no momento na casa de uma família[/su_highlight]

1- Você está atingindo o objetivo que tinha no início de tudo?

Se você decidiu ser au pair é porque queria melhorar suas habilidades em algum idioma. Desde que começou tem tido algum progresso significativo ou está na casa dessa família apenas por não ver outra saída no momento? É importante refletir sobre isso, afinal é assim que se sabe se o programa de au pair está valendo a pena ou não.

2- Você está ganhando de acordo com suas funções e carga horária de trabalho?

Não é porque você é imigrante que seu trabalho vale menos! Se não pensou nisso antes de aceitar o trabalho, separe um tempo o quanto antes e reveja. Por mais difícil que pareça essa não é sua única opção. Mesmo que queira continuar sendo au pair, há muitas outras famílias que procuram pessoas para essa ocupação e que pagarão valores mais justos, além de muitas vezes poderem proporcionar um melhor ambiente.

3- Você se sente segura e respeitada nesta casa?

Não existe trabalho que desrespeite, explore e ameace que valha a pena, nem pelo dinheiro nem por nenhum tipo de benefício que se possa ter em troca. Lembre-se de que você está provavelmente longe da família e da maioria dos amigos neste país. Se você sentir em qualquer momento que pode ter sua integridade ameaçada, busque imediatamente ajuda das autoridades competentes, avise quem conhece e não permaneça no local. Nada vale mais do que a sua vida. 😉

 

[su_box title=”Au pair vale a pena?”]É importante deixar claro que o esta atividade pode sim ser fantástica e que felizmente os casos que não dão certos são menos do que os que dão. Tanto queremos falar do lado positivo que queremos saber sua história de au pair. Conte pra gente sua experiência e em que país está nos comentários. Se quiser nos enviar seu depoimento mais completo e fotos da sua estadia envie para [email protected] que iremos publicar assim que possível. [/su_box]

 

Veja também: 

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem