Morar na Bolívia vale a pena? Veja como trabalhar e estudar

A Bolívia é um país muito procurado por brasileiros que procuram um custo de vida e educação mais baratos. Muitos vão para lá para estudar medicina – pois o curso tem uma mensalidade menor e não exige vestibular. E o fato de o país fazer fronteira com quatro estados do Brasil e ainda estar dentro do Acordo sobre Residência para Nacionais dos Estados Partes do Mercosul, Bolívia e Chile facilita muito o processo de imigração e faz com que muita gente queira morar na Bolívia, um dos países onde há mais brasileiros residindo.

Como morar na Bolívia

Brasileiros que queiram morar na Bolívia têm direito uma permissão de residência válida por até dois anos graças ao Acordo sobre Residência para Nacionais dos Estados Partes do Mercosul, Bolívia e Chile. Caso a estadia não ultrapasse 90 dias, não é preciso pedir nenhum tipo de autorização.

Os documentos necessários para conseguir residir no país são os seguintes:

  • Passaporte válido e vigente ou carteira de identidade/ certidão de nacionalidade expedida pelo agente consular do país de origem
  • Certidão de nascimento e comprovação de estado civil do requerente
  • Certidão negativa de antecedentes criminais
  • Certificado médico (caso seja solicitado)

Após o período de estadia temporária na Bolívia, o estrangeiro pode solicitar uma autorização de residência permanente. O pedido deve ser feito 90 dias antes da data de vencimento do visto de residência temporária e o imigrante deve comprovar que possui meios lícitos de sobreviver no país. A migração para esse visto custa R$168,13.

Trabalhar na Bolívia

O acordo do Mercosul também permite que cidadãos residentes em um dos países participantes do bloco trabalhem na Bolívia, tendo os mesmos direitos a salário mínimo, condições de trabalho e benefícios. Estes são alguns dos documentos que podem ser solicitados para comprovar vínculo com o país:

  • Passaporte com vigência mínima de seis meses e cópia
  • Contrato de trabalho emitido pelo Ministério do Trabalho e cópia do NIT (Número de Identificação Tributária)
  • Certidão de antecedentes criminais
  • Comprovante de residência na Bolívia

Estudar na Bolívia

O estudante brasileiro pode solicitar o visto para estudar na Bolívia já no país. Para isso, é preciso entregar os seguintes documentos na Direção Geral de Migração da Bolívia. Os papéis já devem ter passado pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE) e pelo Consulado.

  • Passaporte com validade mínima de seis meses
  • Cópia do passaporte da parte principal com carimbo migratório de entrada na Bolívia
  • Cópia da carteira de identidade do estudante
  • Cópia do certificado de conclusão da universidade, instituto, escola ou certificado de segundo grau emitido no Brasil, traduzido para o espanhol e legalizado no MRE, pelo Consulado da Bolívia e pelo Ministério das Relações Exteriores da Bolívia
  • Certificado de antecedentes criminais
  • Comprovante de residência
  • Atestado médico
  • Certidão de vacina internacional contra febre amarela
  • Carta de aceitação da instituição de ensino boliviana
  • Comprovante de renda para o período de estadia
  • 1 foto 4×4 com fundo vermelho
  • Formulário de pedido de visto preenchido

Segundo o consulado boliviano, o visto e a legalização de documentos são gratuitos.

Custo de vida na Bolívia

O custo de vida na Bolívia é mais baixo que o do Brasil. Segundo o site Numbeo, viver ali é 6,16% mais barato, e o aluguel chega a ser 18,44% menor que nas cidades brasileiras. O salário mínimo no país é de 1.656 bolivianos – a moeda local.

Um apartamento de um dormitório no centro da cidade custa a partir de 1.400 bolivianos e as despesas domésticas podem chegar até 400 bolivianos. O transporte mensal custa 200 bolivianos.

Vale a pena?

O baixo custo de se viver na Bolívia pode valer a pena para quem busca estudos ou um trabalho. O país vive sobretudo da extração e exportação de produtos naturais e essas áreas podem ser mais promissoras para empregos.

Quem vai para lá buscando o diploma de medicina deve estar atento às regras para revalidar seu diploma na volta para o Brasil: o processo é muito burocrático e pode custar caro.

Curiosidades

A Bolívia leva o nome do homem responsável pela sua independência, Simón Bolívar, que também foi o primeiro presidente do país.

Existem três línguas oficiais faladas pelos bolivianos: o espanhol, aimará e o quichuá. Isso porque cerca de 55% da população é indígena e outros 15% é composta por mestiços. Os europeus representam 30% dos bolivianos.

O maior deserto de sal do mundo fica na Bolívia, na cidade de Uyuni, e tem 10.582 quilômetros quadrados.

Por falar em sal, a culinária do país varia conforme a região. Na área andina, por exemplo, a base dos pratos é o milho, queijo, carne suína, batatas e pimenta. Nas regiões centrais come-se muita batata, milho e carne bovina e, na região oriental, há maior quantidade de pratos com arroz, mandioca, queijos e derivados de aves.

 

Veja também:

Facebook      Nosso grupo      Twitter    Youtube

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30"]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/[/su_service]h6>
Envie dinheiro para o exterior em minutos
Obtenha a melhor taxa de câmbio com a TransferWise

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos