O lado bom e o ruim de viver em Tel Aviv

Segundo mês por aqui e as coisas já estão começando a se encaixar: aprender hebraico não me assusta mais, já estou familiarizada com a cidade (mas se não fosse o Google Maps eu não conseguiria pegar nenhum ônibus) e até me acostumei com o jeito das pessoas por aqui.

Acho que sabemos que estamos no lugar certo quando não nos vemos em nenhum outro lugar, e é assim que me sinto em Israel.

O país tem tantas coisas para oferecer, que depois de ler esse artigo você provavelmente vai pensar na possibilidade de viver aqui.

Segurança

Sim, me sinto totalmente segura em Tel Aviv! Eu ando pelas ruas sozinha e pego ônibus de madrugada. Não tenho medo nenhum, sei que ninguém vai tentar me abordar para me roubar ou qualquer outro tipo de medo que temos constantemente no Brasil. Aqui eu não olho pra trás desconfiada quando escuto alguém andando atrás de mim. E não é porque o policiamento aqui é constante, pois raramente vejo alguma viatura pelas ruas, e sim porque eu confio nas pessoas e sei que ninguém vai me fazer mal.

Trabalho

Israel é um pequeno país com grandes oportunidades de emprego. Eu nunca vi alguém reclamando pela falta de trabalho por aqui. Principalmente quando se é jovem, opção é o que não falta. Se algum dia você vier pra cá, vai se espantar com o tipo de pessoa que trabalha em bares e restaurantes como garçom/garçonete, barista, etc. São todos jovens entre 20 e 30 anos, de muito boa aparência e bem vestidos, e na maioria mulheres. Isto porque esse é um dos melhores empregos em Israel se você ainda não está pronto para ir pra faculdade (ou precisa pagar a faculdade) ou simplesmente quer um emprego com um salário legal. Aqui em Tel Aviv, por exemplo, uma garçonete pode ganhar entre 8 e 10 mil shekels por mês, entre salário e gorjetas. Trabalhos que no Brasil são considerados “ruins”, aqui são bastante disputados.

Alimentação

Alimentação saudável é o que eu mais vejo por aqui. Eu já mencionei pra vocês que eles comem salada até no café da manhã? Aqui raramente se vê fritura ou comidas gordurosas. Os doces aqui não são cheios de açúcar e chocolate como no Brasil. Ao contrário, eles não são muito adeptos a açúcar. Acho que posso contar nos dedos quantas pessoas obesas eu vi por aqui.

Aliás, Tel Aviv é uma cidade com gente bonita, bem vestida, jovem, é difícil não gostar de morar aqui.

Custo de vida

Mas tudo na vida tem o seu preço, não é mesmo? E aqui o preço é bem alto! Tel Aviv é uma das cidades mais caras para se viver (no mundo). O aluguel aqui é exorbitante (pode ser comparado aos valores de grandes capitais). Um apartamento razoável (razoavelmente pequeno) com um quarto, sala, cozinha e banheiro, em um bairro legal, te fará desembolsar em torno de 5 mil shekels por mês.
Fora que ir ao mercado aqui é um susto para quem está acostumado com os preços brasileiros.

É por isso que muita gente trabalha em Tel Aviv mas mora nas cidades próximas daqui (elas são praticamente conectadas à cidade), já que os aluguéis por lá são mais baratos.

Você provavelmente chegou à conclusão de que no final das contas, os salários generosos são apenas para suportar o alto custo de vida por aqui, e sim, acaba sendo isso mesmo, mas mesmo assim eu acho que é melhor desse jeito do que no Brasil, com um salário mínimo que não chega a mil reais.

Se você quiser saber mais sobre como é viver em Israel, me siga no Instagram (@marisgalati), por lá sempre tem fotos e vídeos nas histórias contando algo diferente que encontro por aqui. A gente continua o papo no mês que vem! Shalom!

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Maristela Galati

Veja também:

Atenção: Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas? e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem

Booking.com