O que dá para fazer na Europa com o euro rondando os R$ 5

“O euro está caro” é certamente uma das constatações mais frequentes dos viajantes nos últimos tempos. De fato, a instabilidade política e econômica do Brasil tem contribuído para que o real fique desvalorizado diante da outra moeda. A cotação já chegou a ultrapassar os R$ 5 por vários dias seguidos e segue assustadoramente próxima desse valor.

E já que ninguém quer deixar de viajar e nem está nadando em dinheiro (pelo menos não a maioria das pessoas), a palavra de ordem é economizar. Listamos uma série de programas possíveis para sobreviver ao exorbitante valor do euro sem abdicar do European way of life.

Comprar um vinho barato no supermercado e tomar admirando a Torre Eiffel

Em Portugal, é possível encontrar bons rótulos por menos de 2€ e a França segue o mesmo caminho. Depois, é só disputar um espaço na grama e aproveitar.

 

Tomar cerveja a 0,50€ no Cais do Sodré, em Lisboa, enquanto aproveita o pôr do sol

Se não for lá, existem ainda outros lugares da capital portuguesa para curtir e beber cerveja barata.

 

Visitar o Museu Do Louvre sem pagar nada por isso

É possível conhecer um dos museus mais famosos do mundo de graça. Quem tem até 18 anos, proveniente de qualquer país, e jovens de até 25 anos que residam na União Europeia desfrutam dessa possibilidade o ano inteiro. O público em geral tem entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês, de outubro a março.

 

Conhecer as cores e os sabores catalães no Mercat de La Boquería em Barcelona

Difícil vai ser sair de lá sem querer experimentar alguma coisa. O mercado fica nas Ramblas, uma das ruas mais famosas da cidade, e é uma verdadeira explosão gastronômica. Vale lembrar apenas de não tocar em nada do que está exposto sem a autorização dos vendedores porque é eles consideram extremamente ofensivo.

 

Saber mais sobre a história de Veneza em um free walking tour

Com o euro nas alturas, mais vale fugir dos passeios de gôndola pelos canais. No entanto, dá para desbravar Veneza à pé. Os grupos são liderados por guias locais que falam sobre pontos e curiosidades da cidade. No fim, cada um paga o valor que pode. A prática é comum também em vários outros locais pela Europa.

 

Fazer um piquenique no St. James’s Park em Londres

Ou qualquer outro, na verdade. O que não falta na cidade são parques. O St. James’s é um dos mais conhecidos por ter vista para alguns pontos turísticos muito conhecidos como a London Eye e Palácio de Buckingham.

 

Assistir a um concerto de música clássica na hora do almoço em Berlim

Concertos de música clássica normalmente rimam com ingressos nada baratos. No entanto, uma iniciativa da Orquestra Filarmônica de Berlim dá, desde 2007, ao público a oportunidade de ouvi-la gratuitamente todas as terças às 13h. Os espetáculos acontecem na sede da Filarmônica e a sala comporta 1.500 pessoas de pé.

 

Surpreender-se com a troca de guarda do Parlamento de Atenas

Para economizar na Grécia, vale esquecer um pouco Mykonos, Santorini e companhia. A boa notícia é que Atenas tem muito a oferecer. A troca da guarda em frente ao Monumento do Soldado Desconhecido, é tudo menos um evento monótono. Os guardas usam roupas especiais e fazem coreografias minimamente animadas. Aos domingos, o acontecimento é ainda mais elaborado.

 

Tirar uma foto clássica no Temple Bar em Dublin

Sim, o local pode ser um verdadeiro convite à perdição com tantos pubs, restaurantes e lojas alternativas. Mas há ainda centros culturais com entrada gratuita como o National Photographic Archive.

 

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos