A fascinante capital italiana foi fundada, reza a lenda, por Rômulo e Remo, dois irmãos gêmeos que foram abandonados pela sua mãe na floresta na Era Antes de Cristo. E como sobreviveram? Foram encontrados e amamentados por uma loba. Daí em diante, muita história rolou. Mas o que realmente interessa é poder conhecer toda essa história durante uma viagem encantadora. Veja o que fazer em Roma em três dias na cidade.

O que fazer em Roma

Sugestões é que não faltam e com certeza já passou pela sua cabeça alguns dos locais mais emblemáticos da Europa, como o Coliseu, a Fontana di Trevi e é claro, a cidade-Estado do Vaticano. Mas, para não fazer confusão e perder muito tempo com tantos pontos turísticos para conhecer, abaixo segue uma sugestão de roteiro de três dias, passando por todas as “Eras” desta cidade.

Roteiro de 3 dias em Roma: principais pontos turísticos

Assim que você chegar à cidade, procure por um mapa, tanto da cidade, quanto do meio de transporte (metrô ou ônibus). Isto é essencial para não se perder e fazer um roteiro otimizado, já que você tem apenas 3 dias para conhecer Roma.

Metrô: são duas linhas principais, uma vermelha (A) e uma azul (B) que levam aos principais pontos turísticos da cidade. O custo de um bilhete turístico de 3 dias custa € 16,50 (em italiano, Biglietto per 3 giorni B.T.I).

Uma dica são aqueles mapas que possuem os principais monumentos em destaque (desenhados, assim como são). Fica mais fácil identificar, ir e vir. Lembre-se também do hostel/hotel para marcá-lo no mapa. E, o mais importante: faça o caminho com lógica para que, no fim do dia, esteja por perto. Acredite, estar muito longe do local de descanso pode virar um tormento.

1. Roma Antiga

o que fazer em roma (3)

– Coliseu

– Palatino

– Fórum Romano

– Parco Sevello

– Buraco de Roma

– Boca da Verdade

Este roteiro sobre o que fazer em Roma já começa em grande estilo: o Coliseu. Aproveite o dia e vá bem cedo, pois a fila que se forma na metade do dia é incrivelmente grande e, por lá, três horas passam voando. Sem considerar o fato de que, se for verão, você poderá sofrer com o calor da Itália. Portanto, não se esqueça do protetor solar!

Suba, desça, admire e explore cada cantinho dessa grande arena romana. É incrível imaginar como eram os grandes espetáculos. E não pense que é apenas ruínas que você irá ver. Há também um museu interno para conhecer toda a história desse monumento.

Nada mais, nada menos que um grande museu ao ar livre, localizado em uma das sete colinas de Roma. O Palatino é hoje, o que um dia foram os majestosos palácios imperiais romanos. As ruínas do Estádio do Palatino, do Templo das Virgens e de Saturno nos fazem ter uma ideia do quão grande era esse império. Foram nas encostas (norte e sul) desta colina que se construíram o Circo Máximo (antiga arena lúdica) e o Fórum Romano (uma grande praça que servia de mercado).

O interessante é poder aproveitar a vista da cidade. Portanto, suba o Morro Aventino (ao lado do Circo Máximo) e procure pela belíssima vista do Parco Sevello. É possível comtemplar lá de cima a Roma Antiga e a cúpula do Vaticano. Vale a pena investir nessa subida.

Outra vista que provoca curiosidade nas pessoas está localizado no famoso Buraco de Roma, na Basílica de Santa Sabina. É lá que se encontra uma interessante fechadura que provoca o mais antigo dos instintos: a espiada! Não se acanhe (com o ato e com o tamanho da fila que costuma se formar) e aprecie uma das mais privilegiadas vistas de Roma.

E para fechar o primeiro dia do roteiro sobre o que fazer em Roma, que tal testar se você anda ou não espalhando mentiras por aí? A Bocca della Verità, localizada no interior da Igreja de Santa Maria de Cosmedin. Para chegar até lá, busque no mapa a Piazza de la Verità. Dizem que a estátua é capaz de detectar mentiras. E então, vai testar se é verdade que, ao colocar a mão na boca desta estátua e contar uma história, ela irá (ou não) morder a sua mão?

2. O Vaticano

o que fazer em roma (3)

– Museu do Vaticano

– Basílica de São Pedro do Vaticano

– Castelo de São Ângelo

– Piazza del Popolo

Independente de você ser ou não religioso, o segundo dia de roteiro é de tirar o fôlego. Comece pelo Museu do Vaticano que, curiosamente, não funciona aos domingos e abre nas segundas-feiras a partir das 9 h (ao contrário da grande maioria dos museus da Europa). Isto pelo fato de que, religiosamente aos domingos, o Papa celebra Missa em uma das praças de Roma e é transmitido ao vivo no centro do Vaticano.

O ideal é que você estude um pouco (tanto sobre o que fazer em Roma, quanto no Vaticano), principalmente sobre as obras de arte e salas que deseja apreciar. O local é enorme e riquíssimo. São diversas coleções de arte, esculturas, pinturas e é claro, a Capela Sistina. Uma dica importantíssima: sempre que passar pelos corredores do museu, olhe ao seu redor, desde os detalhes do chão aos afrescos do teto.

Portanto, planeje-se, pois lá você poderá conhecer apenas a Capela Sisitna (cerca de uma hora para fazer o tour) ou um passeio mais completo (três horas) e apreciar a icônica rampa do Vaticano, pinturas como a Escola de Atenas de Rafael Sanzio, múmias egípcias e escultaras como a do Pensador, de Rodin. Já na Capena Sistina, não deixe de apreciar O Juízo Final, de Michelangelo (logo atrás do altar) e A Criação de Adão, bem ao centro, no teto da
capela.

Depois de encarar esse choque cultural e artístico é hora de apreciar a grandiosidade da Basílica do Vaticano. Antes de entrar na Basílica, aprecie tudo ao seu redor. São tantos detalhes (grandiosos) que fica fácil se perder. Repare também no obelisco do Vaticano e nas inscrições que há no chão, ao seu redor, da Rosa dos Ventos.

Ao entrar na Basílica é possível admirar o quão grandioso é representado a religião católica dentro deste local. Aproveite e conheça outra escultura famosa, de Michelangelo, a Pietà (Jesus Cristo ao colo da Virgem Maria).

Não pense que o passeio será tranquilo, pois o desafio começa na subida à Cúpula do Vaticano. Caso tenha condições de encarar os degraus, suba a pé. Caso contrário, há a opção de subir metade do trecho de elevador. São escadas tortuosas, apertadas e que, em determinado ponto, possui um semáforo (ou sinaleiro) para organizar o trânsito de pedestres subindo e descendo. Pode ser cansativo, mas a vista vale cada degrau. É de lá de cima que você poderá apreciar o formato do Vaticano (de chave) e toda a cidade de Roma.

Depois desta vista incrível chega a hora de caminhar pelas ruas da cidade e conhecer um pouco mais desse clima romântico e antigo que a cidade tem em sua áurea. Portanto, siga em direção ao Castelo de São Ângelo através da Via da Concilliazone. Outra dica que pode ser fundamental para um dia proveitoso: aprecie apenas o exterior do Castelo, é mais interessante.

De lá, a escolha é sua para chegar até a Piazza Del Popolo. Caminhar pela Via del Corso (uma das principais da cidade de Roma) ou pela Via Ferdinando de Saviola, às margens do rio. Independente da sua escolha, poderá apreciar belíssimas pontes e uma vista privilegiada do estilo romano.

A praça é famosa por ser o local da contagem regressiva da virada do ano da cidade de Roma. Além disso, há um grande obelisco egípcio que, dependendo do ângulo que se admira a vista, permite observar duas Igrejas idênticas (com ele ao centro, como fator divisor). Se estiver com tempo, tente encontrar os sete erros!

3. As Praças

o que fazer em roma (2)

– Piazza di Santa Maria Maggiore

– Piazza de Spagna

– Piazza di Trevi

– Piazza Navona

– Piazza di Pietra

– Piazza della Rotonda

Para o terceiro e último dia de turismo em Roma, a sugestão fica a cargo das praças da cidade. Parece pouco? Não se engane. O roteiro é belíssimo e irá surpreender. Lembre-se de planejar uma rota (início e fim) que seja de acordo com a localização do seu hostel/hotel. Os locais descritos abaixo, sempre aparecem na lista sobre o que fazer em Roma.

A primeira já será em grande estilo, na Piazza di Santa Maria Maggiore para conhecer aquela que é uma das quatro Basílicas Maiores, uma das sete Igrejas da Peregrinação e a maior Igreja Mariana de Roma: a Basílica de Santa Maria Maior. Para além dessas características, ela também é uma das mais lindas da cidade.

Já na Piazza de Spagna, que por si só já é bastante bonita, encontra-se as famosas escadarias da Trinità dei Monti ou Igreja da Santíssima Trindade dos Montes. Se vale ou não a pena subir? A resposta será que sim. A vista de Roma é sempre uma surpresa.

Se este também era uma dos momentos mais aguardados da viagem, prepare as moedinhas para lançar os desejos mais profundos. É na Piazza di Trevi que se encontra uma das mais belas fontes do mundo e que, recentemente foi inaugurada após um período de restauração: a Fontana di Trevi. Mas lembre-se, é preciso jogar a moeda estando de costas para a fonte, como forma de assegurar o seu retorno à Roma (vale a pena, não é mesmo?).

Seguindo para a Piazza Navona, colorida, alegre e movimentada, vale ressaltar que a mesma segue as formas similares dos antigos estádios romanos. Para além do seu formato, outros diversos monumentos e fontes podem ser observados, tais como: Fontana dei Quattro Fiumi; Fontana di Nettuno; Fontana del Moro, Igreja Sant’Agnese in Agone; Igreja Nostra Signora del Sacro Cuore; o Palácio Torres Massimo Lancellotti; o Palácio de Cupis e a propriedade Stabilimenti Spagnoli.

Já na Piazza di Petra poderá ser observado o Templo construído em homenagem ao imperador Adriano, o Templo de Adriano. Incrivelmente grande, torna-se óbvio o quanto eram exaltados os líderes desta época. E por último, para fechar com chave de outro o terceiro dia em Roma, uma visita à Piazza della Rotonda e o famoso Pantheon, Templo dos Deuses. O local também serve de túmulo de alguns artistas romanos reconhecidos. Vale muito a pena ser conhecido e observado, pois os detalhes são incríveis.

E então, o que achou das sugestões para conhecer Roma em apenas três dias? Com certeza você retornará com diversos relatos e fotografias para recordações. Mas antes de voltar para casa, assegure-se de apreciar um pouco da gastronomia italiana, va bene!

Veja também:

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito por e para brasileiros apaixonados por conhecer outras culturas, viagem, gastronomia e para quem sonha em morar fora.

Artigos Relacionados