Roteiro da Croácia: uma viagem de Zagreb a Dubrovnik em 9 dias

As tão desejadas férias chegaram em setembro e com elas eu embarquei em direção a um paraíso europeu ainda pouco explorado pelos brasileiros. Depois de pesquisar sobre o que fazer na Croácia numa primeira publicação que escrevi aqui, hoje posso falar da minha experiência de turismo na Croácia.

Roteiro da Croácia

Apresento abaixo algumas dicas de pontos turísticos ou simplesmente maravilhosos que você precisa visitar.

Dia 1 e 2 (Zagreb, Rijeka, Opatija)

turismo-na-croacia-Zagreb

Cheguei em Zagreb já muito tarde, então fui direto para o Taban Hostel, onde tinha uma noite reservada. A acomodação fica no meio da na Ulica (rua) Ivana Tkalčića, cheia de restaurantes, bares e até café brasileiro eu vi por lá.

O dia mal amanheceu e segui em direção à parte central de Zagreb. Aos domingos acontece uma espécie de feira, por onde passei e registrei algumas das frutas e sementes típicas do país. Eu e as pessoas que me acompanhavam seguimos para uma espécie de padaria, só que grab and go, já que não havia lugar para sentar.

Mais uma volta pelos pontos turísticos de Zagreb, como a torre Lotršćak, que mostra a divisão da parte alta e baixa da cidade, a Catedral, o Teatro Nacional da Croácia, a igreja de São Marcos, entre outros. Os quadriculados avermelhados estão estampados em diversos edifícios do país e também a gravata, que pra quem não sabe é uma criação croata.

turismo-na-croacia-opatija

Seguindo em direção à Opatija, foi hora de dar uma volta a pé e observar os encantos da pequena cidade, já muito mais ensolarada que a capital. Ali perto, na cidade de Rijeka, pude conhecer o castelo Trsat. Pequeno, mas um charme.

Dia 3 – (Ístria: Pula, Rovinj)

turismo-na-croacia-Pula

Na Ístria, uma das regiões nas quais a Croácia é dividida, encontra-se um dos coliseus existentes no mundo. É em Pula que são realizados muitos dos principais shows no país. Ali já comecei a notar as grandes semelhanças entre a Croácia e a Itália, que passam também pela gastronomia mediterrânea. Muitas pedras nas ruas, uma cidade muito clara e um chão pra lá de escorregadio (não preciso nem dizer que caí, não é?).

Seguimos então em direção a outras cidades próximas de carro. Em cada canto na Croácia encontra-se pequenas e grandes marinas, um mar tão calmo que parece rio e a água é extremamente azul. Na hora do pôr do sol estava em Rovinj, cidade romântica e assim como as outras, dispõe de muitas calçadas à beira mar, igrejas para visitar e muitas escadas.

Dia 4 – (Plitvice Lakes)

turismo-na-croacia-plitivice-lakes
Um dos dias mais aguardados por mim começou com chuva. Mas isso não me impediu de seguir em direção a um dos muitos parques nacionais da Croácia, o Plitvice Lakes (demorei horas para conseguir pronunciar direito, bem como todo o resto). Apesar do friozinho e da grande névoa que fazia no dia, passear em meio àquelas águas foi incrível e o cenário visto do alto é de tirar o fôlego. Um must go que recomendo e voltaria com certeza, quem sabe numa época mais quente. Fica a ressalva de que estar com roupas e calçados próprios para a caminhada é imprescindível. O local possui muitas trilhas pelas quais se anda em meio a madeiras e terra. Como estava chovendo, havia muita lama e foi preciso ter mais cuidado ao andar.

 O valor do ingresso de adulto na época era de 110 kunas (moeda local, cerca de R$60). Estudantes pagam 80 kunas e as crianças até 7 anos entram de graça. Os valores mudam de acordo com o mês do ano, por isso cheque antes de ir.

Dia 5 e 6 – (Zadar, Krka National Park, Šibenik)

turismo-na-croacia-zadar

Zadar foi uma das minhas bases na Croácia. Ali fiquei em um apartamento pequeno alugado e partia de carro para outras cidades próximas. Pela manhã segui em direção a mais um parque nacional, mas desta vez com um dia muito mais agradável. O Krka National Park é repleto de quedas d’água, assim como o Plitvice Lakes, mas possui um cenário completamente diferente e os caminhos são mais fáceis de andar, sendo ideal para famílias com crianças. Ao contrário do outro parque, neste é possível nadar em determinados locais. Local e dia perfeito para um piquenique.

De volta à Zadar, ali conheci uma intervenção artística que transformou uma calçada em um órgão e festival de luzes. Conforme a água invade o interior da calçada são emitidos diferentes sons nas calçadas que possuem buracos estratégicos, como o da foto. Já a luz do sol é absorvida ali próximo e à noite um painel de luzes gigante é iluminado com a energia armazenada durante o dia.

Šibenik, conheci apenas de passagem. Cito, pois vale fazer um parada caso esteja sem pressa. Se não siga para a próxima cidade, pois vai ver muitas cidades semelhantes.

 O bilhete do Krka National Park era 90 kunas (cerca de R$50) para os adultos, 70 para os estudantes e de graça para crianças até os 7 anos. Os preços também variam conforme a época da visita.

Dia 7 – (Trogir, Split)

turismo-na-croacia-trogir

Antes de mais, preciso dizer que achei um desaforo ir a turismo na Croácia e não entrar no mar. Já era início de outono, mas eu tinha que tentar. Assim que abriu o sol, após conhecer Trogir, mais uma cidade pequenininha, com uma marina e um longo passeio para se caminhar à beira mar. Foi aí que peguei minha canga, protetor solar e parti para uma prainha que encontrei no meio do caminho em Ciovo. Nunca entrei num mar tão calmo, limpinho e que em menos de três passos a água já passa do umbigo.

Saindo da praia (com cara e cabelo de praia, diga-se de passagem), fui em direção à acomodação do dia, o único em que fiquei em hotel durante a viagem, com direito a Spa Center e tudo, o Radisson Blu Resort. Aproveitei à noite para jantar fora em Split, mas como as coisas fecham por volta das 23 h, não consegui ver muitas coisas. No outro dia, saí para dar uma volta pela cidade e logo que vi uma espécie de feira e aproveitei para comprar as lembrancinhas: almofadinhas de lavanda, toalha de banho da Croácia e por aí vai.

De Split, além das praias e ilhas (como a famosa Hvar, por qual não passei na viagem), posso destacar o Palácio Diocleciano, onde se concentra uma vasta gama de restaurantes e lojas da cidade, a Catedral de sv. Dujam e a Narodni – A Praça do Povo.

Dia 8 e 9 – (Dubrovnik)

turismo-na-croacia-dubrovnik

Foram precisas mais de três horas para sair do último destino em direção a Dubrovnik, sul da Croácia. O alerta para quem viaja de carro pela Croácia e vem do norte é que será preciso passar por uma cidadezinha chamada Neum, na Bósnia Herzegovina. Será preciso apresentar o passaporte na entrada e saída do local para ser carimbado, mas tendo tudo em mãos não há nenhum estresse.

Falando de Dubrovnik, quem assiste a Game of Thrones com certeza irá se familiarizar com o cenário. Muralhas, mar azul, ruas e escadarias de pedra. Ali foram filmadas algumas cenas da série, como o momento em que Cersei Lannister desce as escadas ao ser xingada de todas as formas, na 5ª temporada de GOT.

Nos dois dias na cidade e finais do meu roteiro de férias, conheci o que Dubrovnik tem de melhor. Andei por todas as muralhas, observei os barcos, comi os quitutes tradicionais da região, regada a muito peixe e vinho, típico da comida mediterrânea.

Ir a turismo na Croácia é uma viagem inesquecível e que convida a próximas jornadas, com direito a passeios de lancha, visita às ilhas mais paradisíacas do país e muito sol, se Deus quiser.

Assista também aos meus vídeos por lá!

 

 

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30"]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/[/su_service]h6>

Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos