Quando contei aos meus amigos e familiares que estava me mudando para a Itália a frase que mais ouvi foi: “Cuidado para não engordar comendo macarrão todo dia, hein”… E realmente, se tem uma coisa que vem à cabeça quando se fala Itália é comida: pizza, pasta, queijos, molho bolonhesa, carbonara, prociutto, pancetta… bom, vamos ao ponto porque já estou com fome.

Toda vez que eu viajo, procuro visitar, logo nos primeiros dias, o mercado mais próximo: não por questão de gula, mas para encontrar os produtos daquela região, observar as embalagens e os preços. Dessa vez não foi diferente, mesmo exausta por conta de um voo de treze horas, conheci os três mercados perto de casa – e que você vai encontrar em toda Itália: Prix e Simply, que vendem mais produtos italianos e o Lidl, que é um pouco mais “internacional” na variedade. Como manter a dispensa cheia é uma das melhores coisas da vida (pelo menos para mim e pro Gui), preparei uma pequena lista com itens importantes sobre os mercados italianos:

Leve sempre a sua sacolinha reutilizável, aqui as pessoas são muito mais adeptas a elas às sacolinhas plásticas comuns, uma vez que elas são cobradas à parte, e a unidade custa em torno de 0,10€ (baratinho né? Mas se pensar que uma garrafa de 2 litros de água custa 0,17€, vale mais a pena usar a ecobag)

Seja fiel! Muitas redes de supermercado dispõem de cartões fidelidade que, assim como no Brasil, acumulam pontos quando você faz compras e estes podem ser trocados por produtos, prêmios ou até milhas! Conheça o programa do seu mercado. Ah, e tem mais: quando compramos determinado produto, geralmente ganhamos um papelzinho de desconto para o mesmo produto na próxima compra!

Quando está próximo do prazo de validade de algum produto, os mercados daqui costumam colocar um adesivo indicando um desconto (normalmente de 30%) sobre o preço da etiqueta: incentivando a compra e evitando o desperdício! Bem legal, não é mesmo?

Carne vermelha (principalmente bovina) por aqui é geralmente mais cara que carne branca, então consumimos muito frango e peito de peru.
Os italianos são bastante orgulhosos de sua alimentação, então em quase todas as embalagens vem uma marcação de “100% italiano”. Experimente os produtos locais, muitas vezes são mais baratos e gostosos.

Se você acha que italiano só come macarrão… acertou! Na maioria dos mercados existe um corredor inteiro só de pasta e molho. Tem de todo tipo, para todos os gostos e bolsos.

Em alguns supermercados você pesa a sua própria verdura antes de chegar no “cassa” (caixa): é sugerido usar luvinhas plásticas e depois embalar em uma sacolinha, aí é só colocar na balança e informar o número que corresponde ao alimento e uma etiquetinha com o preço é impressa logo em seguida. A mesma coisa funciona para pães, em alguns supermercados a padaria é self-service e o procedimento é o mesmo que o das verduras: com a pequena diferença de que você informa também se o produto é doce (dolce) ou salgado (salato).

Na hora de pagar, não tem segredo: você pode usar “contanti” (dinheiro) ou “carta” (cartão). Ah, e se você optar pelo pagamento em dinheiro, abuse das moedas: se o produto custa 1,59€ o caixa vai te devolver o 1 centavo.

Ah, uma curiosidade: sabe o peperoni? Aquelas rodelinhas apimentadas? Então, aqui se chama “salamino affumicato”. Então se você for a uma “pizzeria” e pedir uma pizza de peperoni, ela virá cheia de pimentão. Geralmente a pizza de salamino se chama “diavola”.
Se você planeja vir a Itália, não deixe de fazer pelo menos um dia de “spesa” e experimente os produtos daqui!

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Melissa Costa. Acompanhe também o blog Fifty-Fifty.

Veja também:

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Melissa Costa

Melissa se mudou para a Itália e agora tem que "parlare italiano". Acredita que nesse processo 50% é planejamento e 50% diversão. Compartilha suas experiências no blog "Fifty-Fifty" e aqui no Já Fez as Malas.

Artigos Relacionados