Diário de bordo: meus oito meses vivendo em Israel

Já faz um tempo que não passo por aqui e conto como tem sido a minha vida em Israel. Mas, devido às mensagens que eu tenho recebido no Facebook e no Instagram de pessoas que leram meus textos aqui no Já Fez As Malas e que querem saber um pouco mais sobre o assunto, resolvi escrever um novo artigo para responder todas as perguntas de uma vez só e também contar um pouco mais sobre essa nova fase.

Adaptação em hebraico

Estou em Israel há quase oito meses e, quando paro pra pensar nesse tempo, não consigo acreditar que passou tão rápido! Fazem oito meses que eu não vejo a minha familia e meus amigos, não brinco com os meus cachorros, não como pastel, não tomo açaí com leite Ninho e todas as gordices possíveis que só existem no Brasil…isso e tantas outras coisas que eram tão usuais e que hoje eu simplesmente não posso fazer.

No começo foi difícil e, para ser sincera, continua sendo. Eu já perdi as contas de quantas vezes eu pensei em voltar.

O problema é que quando eu planejei vir pra cá, não pensei quais seriam as consequências desta mudança. Eu só queria estar com o meu namorado. Hoje as coisas estão melhores, mas ainda sofro com a adaptação. Falar em hebraico então, é algo que eu morro de vergonha só de pensar em dizer alguma frase.

E já que eu comecei a falar do hebraico, vou começar à responder algumas das perguntas que tanto me fazem: você conseguiu aprender hebraico? É possível falar hebraico? Eu consigo viver em Israel só falando inglês? Bom, esse assunto é bem delicado por motivos de: hebraico é um idioma MUITO DIFÍCIL! As letras são diferentes, os sons, as palavras. Se você não for judeu (como eu), provavelmente nunca ouviu nenhuma palavra em hebraico em toda a sua vida.

É óbvio que depois de cinco meses de curso de hebraico, em oito meses vivendo em Israel, eu sei muito mais do que sabia quando vim morar aqui. Já entendo algumas palavras quando alguém vem falar comigo, sei o som de cada uma das letras malucas do alfabeto hebraico, consigo ler as palavras escritas em placas e letreiros, mas não consigo manter um diálogo todo em hebraico por muito tempo ou assistir um filme (no entanto, não perco nenhum XFactor ou The Voice Israel hahaha), e, quando vou a um restaurante, ainda peço o cardápio em inglês. Aliás, se você fala inglês e mora em Tel Aviv, vai ser difícil querer falar em hebraico aqui, já que maioria das pessoas entendem/falam em inglês.

É possivel aprender hebraico? Com certeza! Acho que depois de alguns anos você chega em um nível de hebraico bacana. No meu caso, que não sou judia, tive que pagar pelo meu curso, que diga-se de passagem não é muito barato (um curso de 5 meses custa cerca de 7 mil reais). Depois que terminei o primeiro nível, não tinha mais paciência, tempo e dinheiro para continuar. Talvez no futuro eu invista mais nisso, mas, por hora, eu resolvi me dar férias.

E dá para viver em Israel só falando inglês? Se você mora em Tel Aviv eu acredito que não terá problemas, mas em cidades menores a probabilidade de encontrar english speakers será menor. Então, para essa pergunta, eu acho que a resposta é: tudo depende da cidade que você esta pensando em viver.

Linhas gerais sobre a vida em Israel

Sobre as outras questões que me fazem, tem uma que é de praxe: Como é viver em Israel? Pessoal, essa pergunta é muito confusa! Viver em Israel é ótimo, mas existem várias nuances a se considerar. A economia daqui é ótima, apesar do preço dos aluguéis serem exorbitantes. Os salários, no entanto, são sempre muito bons e estão a mil anos luz do Brasil.

Na questão da religião, todas são respeitadas. E o mais importante: ninguém vai te atirar pedras ou te ofender por usar um short curto ou decote, principalmente em Tel Aviv.

Fora que se você é judeu, começar a vida em Israel é muito mais fácil. O visto para viver e trabalhar é mais rápido, o governo te ajuda mensalmente com uma quantia em dinheiro por cerca de 6 meses, não é necessário pagar pelo curso de hebraico; entre outros benefícios, como comprar um carro pagando menos taxas. Esse é o momento em que eu lamentei por ser cristã! Mas, não se enganem, TUDO na vida tem seus prós e contras, seja viver em seu país de origem ou no exterior.

Não se esqueçam de me acompanhar pelo Instagram (@marisgalati). Sempre que vocês tiverem alguma dúvida sobre como é viver em Israel, tentem ser mais específicos, assim eu consigo ajudar a esclarecê-la com mais precisão. Um beijo e até a próxima! שלום!

Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Maristela Galati

Veja também:

Atenção: Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas? e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com