Este post é extremamente pessoal, descreve o meu ponto de vista, mas é baseado no relato de muitas outras pessoas, inclusive blogueiros como eu, sobre o lado negativo de morar no exterior. Pode ser que o mesmo aconteça com você ou não, a vida tem dessas surpresas. Por favor, antes de destilar ódio no teclado, apenas faça uma crítica se ela for de forma educada e construtiva.

Morar no exterior, para a maioria das pessoas, implica viver uma série de grandes mudanças e viver em meio a muitos questionamentos sobre o lugar de onde viemos, nossos costumes e cultura em comparação com a nova realidade que enfrentamos. Para mim, resumidas em 5 tópicos, são essas algumas das coisas que você precisa lembrar antes da aventura de viver em outro país. No meu caso ninguém me avisou, mas eu estou te dizendo.

1- Ninguém me avisou quantos momentos não ia viver

Quando saímos do Brasil podemos ter uma noção de que iremos perder alguns eventos, como casamentos, batizados, aniversários. Mas não é só. Você vai perder aquela viagem muito desejada com seus amigos do peito. Vai perder o pôr do sol na praia com a família. Vai perder muitos almoços de domingo também. Não vai acompanhar de perto o crescimento dos bebês e crianças que têm a sua volta. E não vai estar lá no dia que seus velhos precisarem de você de uma hora para a outra. Não queria ser eu a avisar, mas preciso te dizer que você também pode perder os momentos de adeus, quando um ente querido deixa a vida que conhecemos. Essa, é sem dúvida, uma das maiores perdas e mais difíceis de viver estando no exterior.

2- Ninguém me avisou dos amigos que ia perder

Facebook, Skype e WhatsApp às vezes não são suficientes e por mais que se tente manter o contato, alguns amigos vão deixar de ser assim tão próximos. Vai faltar aquele contato do dia a dia, sabe? De ligar porque não tem nada pra fazer, de chamar pra ver um filme, dar uma volta, contar as novidades. O digital ajuda, mas pode ser que eles procurem outros amigos antes de você.

3- Ninguém me avisou de como a dúvida seria frequente

No texto mais lido até o momento neste site, o Por que morar fora vai acabar com sua vida, eu comentei de forma engraçada e num sentido irônico de como morar no exterior nos muda tanto, que “acaba” com a nossa vida de antes. E isso não é ruim, apenas nos tira (e muito) da nossa zona de conforto. Nos coloca pra pensar frequentemente nas nossas escolhas. Viver aqui ou lá? É melhor isso ou aquilo? O que eu quero mais? Ao morar fora nós criamos laços fortes com outras culturas e costumes, estilos de vida, e passamos a nos distanciar de outros que tínhamos. Morar no exterior é escolher uma coisa e abrir mão de muitas outras.

4- Ninguém me avisou que às vezes você pode se sentir (muito) sozinho

Pra mim existem dois dias específicos que me fazem me lembrar que não tenho minha família e amigos mais antigos por perto: aniversário e natal. Eu me lembro que minha mãe era quase sempre a primeira a desejar parabéns quando estava em casa. Ela sempre fazia um bolo lá do jeito dela e escrevia um bilhete. Agora só ganho uma inbox no Facebook. Morar no exterior me tira esse momento com ela e não só. Não tem o abraço do resto da família, dos amigos, aquele gostinho de estar em casa, sabe? Há outros momentos que a gente se sente sozinho também, em maior ou menor escala. É preciso saber lidar e até mesmo se tornar uma pessoa mais forte com isso. E dar valor ao que e a quem temos.

5- Ninguém me avisou que eu ia mudar tanto

É impressionante e não falo só fisicamente (quilos a mais, quilos a menos…). Morar no exterior, pelo menos pra mim, me proporcionou ver muitas coisas com outros olhos. Por lidar com muitas culturas e maneiras de ver o mundo de formas diferentes, eu já mudei bastante. Vou selecionando o que acho de bom em todo aprendizado e acrescento na minha forma de viver. É engraçado por que às vezes queria colocar numa mesa frente a frente a Nataly de hoje com a Nataly que existiria caso eu nunca tivesse vivido no exterior. Seria meu encontro do século.

Por fim, por experiência própria, acho que não só essas 5 coisas, mas muitas outras situações que vivemos no exterior nos moldam e temos que saber extrair a lição e o aprendizado de cada uma delas e nos tornarmos mais fortes. Toda e qualquer experiência só serve para isso. Morar no exterior é um grande sacrifício, como deu pra ver, mas pode ser também uma grande recompensa. E isso já é tema para um próximo post.

Aproveite para conhecer o meu canal no YouTube onde quero conversar com você sobre viagens – uma das recompensas de morar no exterior :-). 

Veja também:

Facebook   Nosso grupo   Twitter   LinkedIn Youtube

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.