O custo de vida na Itália é mediano se comparado a outros países da Europa: é mais caro que países do leste europeu, Espanha e Portugal, porém mais barato que França, Inglaterra ou países nórdicos.

Os salários no país variam de 1.000€ (profissionais menos capacitados) a 2.500€ (profissionais mais capacitados) e a pouca diferença de renda entre a população garante certa equidade, evitando abismos sociais como os que notamos no Brasil. Mesmo assim, os salários ainda são dos mais baixos pagos na União Europeia.

Separamos, a seguir, algumas informações sobre custos específicos nas principais cidades italianas para que você possa ter noção dos gastos para morar na Itália, sobre alugar casa no país e mais.

As estimativas de preços foram feitas de acordo com os dados informado em dois sites que comparam custos de vida de cidades do mundo: Numbeo e Expatisan. Já a população de cada cidade foi informada de acordo com uma pesquisa feita pela empresa americana Demographia. Lembramos que os gastos reais podem variar muito de acordo com o estilo de vida de cada pessoa, por ser mais ou menos consumista, comer sempre fora ou preferir cozinhar, morar sozinho ou com a família, no centro ou afastado, dividir quarto ou casa etc.

No entanto, esses valores podem servir como uma base inicial para a pesquisa de quem está plenejando essa mudança.

Custo de vida na Itália nas principais cidades

Roma, a capital da Itália e berço da civilização ocidental, junto com Milão, o centro mundial da moda e design, e Nápoles, importante cidade histórica e artística, são as cidades mais povoadas e procuradas do país.

Roma

Com uma população estimada de 3.930.000 habitantes, Roma fica em segundo lugar em densidade demográfica. Sobre os gatos na cidade, temos:

Aluguel: alugar apartamento no centro da cidade, na zona mais valorizada pode variar de 900€ (1 quarto) a 2000€ (3 quartos). Fora da área central, os preços caem consideravelmente (em média, 600€ para os apartamentos de 1 quarto e 1200€ para os de 3 dormitórios).

Contas: a média mensal de gastos com contas de água, luz e gás é de 130€.

Internet e telefone: para ter internet em casa, você gastará em média 30€, e muitos planos incluem também o chip para celular com internet 3G ou 4G.

Transporte público: a passagem do metrô, que pode ser combinada com ônibus e pode ser usada quantas vezes forem necessárias durante 75 minutos, custa 1,50€.

Alimentação: uma refeição para uma pessoa em um restaurante padrão custa em média 15€, um combo do McDonald’s, 8€. Alguns produtos básicos de supermercado, com seus respectivos preços, são: 1L de leite (1,50€), 1L de água (0,60€), 1kg de arroz (2€), 12 ovos (3€).

Extras: o ingresso de cinema costuma custar uns 8€ na capital, e a mensalidade de uma academia, 50€ em média.

Total: pra uma pessoa se manter cobrindo somente os gastos básicos (aluguel e contas), considerando os valores mais baixos praticados na cidade, seria necessária uma renda de, no mínimo, 1000€. Esse valor não inclui os gastos com refeições fora de casa, compras de supermercado e transporte ou lazer, que são muito variáveis de acordo com o estilo de vida de cada um.

Milão

A população de Milão é a maior da Itália atualmente, com 5.270.000 habitantes. Na cidade, as médias de gastos são:

Aluguel: apartamentos de 1 dormitório afastados do centro custam em média 600€, já na área central o valor sobre para 1000€. Um ambiente maior, de 3 quartos, pode custar 2000€ no centro da cidade ou 1110€ nos bairros mais periféricos.

Contas: gastos com luz, água e gás são de, aproximadamente, 125€ mensais.

Internet e telefone: planos de internet têm preço médio de 30€.

Transporte público: a passagem para usar metrô, ônibus e bonde, individualmente ou de forma integrada por 90 minutos, custa 1,50€.

Alimentação: comer em um restaurante comum, assim como em Roma, pode custar 15€, e um combo do McDonald’s também sai por 8€. Já no mercado, este são os preços dos principais produtos: 1L de leite (1,15€), 1L de água (0,40€), 1kg de arroz (2,15€), 12 ovos (2,75€).

Extras: o ingresso do cinema pode sair por 9€ e a academia por 60€ mensais.

Total: em Milão, apenas para aluguel e contas, considerando os valores mais baixos encontrados na cidade, você precisaria de uma renda de pelo menos 725€, fora os gastos para alimentar-se, locomover-se e ter acesso a “supérfluos” (que são praticamente básicos na atualidade), como internet e lazer.

Nápoles

Com a terceira população mais expressiva, nesta cidade italiana vivem 3.700.000 pessoas. As médias de gastos para viver na cidade são:

Aluguel: os valores são bem mais baixos do que em Roma ou Milão. Apartamentos de 1 dormitório variam de 350€ (fora do centro) a 500€ (no centro), já os de 3 dormitórios vão de 660€ (fora do centro) a 980€ (no centro).

Contas: o gasto médio acompanha o valor das outras duas cidades, cerca de 125€ mensais.

Internet e telefone: é um pouco mais barato, com pacotes por 24€ por mês, em média.

Transporte público: o metrô de Nápoles tem bilhetes simples a 1€, ou integrados a outros transportes, como ônibus, por 1,50€.

Alimentação: alguns produtos essenciais do supermercado, e seus preços, são: 1L de leite (1,40€), 1L de água (0,40€), 1kg de arroz (1,40€), 12 ovos (2,40€). Em um restaurante padrão, a refeição sai por 10€.

Extras: a mensalidade na academia custa aproximadamente 45€, já o cinema acompanha os valores de outras cidades do país, com bilhetes a 8€.

Total: para arcar somente com aluguel e contas, considerando os valores mais baixos que podem ser encontrados na cidade, é necessário pelo menos 475€. A essa quantia devem ser somados, ainda, gastos com refeições ou compras no mercado, internet, celular e atividades de lazer.

Turin

Como é de se esperar, os 1.525,000 habitantes de Turin conseguem economizar cerca de 47% no preço do aluguel em comparação com quem vive em Roma. A cidade fica próxima a fronteira com a França.

Aluguel: alugar um apartamento de um quarto no centro de Turin não costuma sair por menos de 513,53€. O aluguel de um imóvel nas mesmas condições, mas em zona mais afastada já é mais acessível, por cerca de 371,25€.

Contas: as contas principais da casa (água, luz, gás) giram em torno dos 167,31€

Internet e telefone: é possível encontrar pacotes mensais de internet por cerca de 24,65€.

Transporte público: enquanto uma passagem de transporte público custa cerca de 1,50 €, o passe mensal sai pelos 38,00 €.

Alimentação: uma refeição básica em Turin custa cerca de 12,00€.

Extras: separe 35,44€ para a mensalidade da academia e 7.50€ para cada ingresso de cinema.

Total: levando em cosnideração os menores valores encontrados nesta pesquisa, os custos mais básicos (aluguel e contas da casa) em Turin giram em torno de 538,56€. A isso soma-se todas as demais despesa coma laimentação, transporte e outros extras.

Bergamo

Bergamo possui 850.000 habitantes e fica a cerca de 50 km de Milão.

Aluguel: se um apartamento de um quarto no centro de Bergamo costuma girar em torno dos 507,14€, um de três quartos então sobe para quase 950€. Já quem se afasta do centro consegue economizar e chegar nos 422,50€ para um apartamento de um quarto.

Contas: cerca de 106,53€ são gastos por mês para manter as contas da casa em dia em Bergamo.

Internet e telefone: internet por cabo custa cerca de 30,44€ por mês.

Transporte público: a passagem para apenas uma viagem custa cerca de 1,30€. Já o passe mensal gira em torno dos 34,00€.

Alimentação: uma refeição simples não costuma sair por menos de 15,00€.

Extras: quem faz academia desembolsa cerca de 54,00 € por mês. Uma ida ao cinema custa pelo menos 9,25€.

Total: as principais despesas com casa começam em valores a partir dos 529,03€ (para um imóvel nas descrições dadas acima). A este valor acrescenta-se alimentação, transporte e quaisquer outras necessidades.

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no  Facebook e  YouTube

Veja também:

Atenção Atenção
Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Redação

O Já Fez as Malas? é feito para brasileiros que querem cruzar fronteiras e superar os próprios limites. Para quem é apaixonado por conhecer outras culturas, viajar e sonha em morar fora para estudar, trabalhar, ou simplesmente pela experiência de vida.

Artigos Relacionados