Calma! Esse texto não é para falar mal de ninguém! É puramente acadêmico, juro! Estou morando em Portugal, mas antes de vir pra cá morava na Itália e me bateu uma saudade daquela terrinha, sabe? Então, para relembrá-la, fiz um texto sobre uma coisa que sempre me fez confusão.

Assimilar uma nova língua requer disciplina, mas tem que ser divertido. Quando dava aulas de inglês no Brasil sempre falava para meus alunos que, para aprender, tem que gostar – de forma contrária, era perda de tempo. Percebi que as aulas que mais rendiam eram aquelas que faziam os alunos rirem e falar sobre falsos cognatos (ou falsos amigos) era um dos meus assuntos preferidos.

Mas o que é isso? O que significa?

Falsos cognatos são palavras idênticas (ou parecidas) a uma palavra em outra língua, porém não apresentam o mesmo significado. Esse fenômeno aparece em muitos idiomas e no italiano também. Então, montei uma lista com alguns falsos amigos com base na minha experiência na Itália e no livro Xeretando a linguagem em italiano.

  • Morbido – essa palavra me deu alguns arrepios quando compramos um pão de forma cuja embalagem vinha escrito “morbido a fette”: na verdade, era só uma indicação que as fatias do pão eram macias! (mórbido em italiano é morboso).
  • Defunto – no português essa palavra é um pouco forte, costumamos dizer falecido ou mesmo, morto. No italiano, no entanto, é comum falar “defunta Maria”. Aliás, na nossa cidadezinha, podemos encontrar nas praças e parques cartazes contendo foto, nome e data da morte dos defuntos. (não é bem um falso cognato, mas vale a pena a observação).
  • Presunto – quando for ao mercado, certifique-se de pedir “prociutto” crudo (cru) ou cotto (cozido), se pedir “presunto” ninguém vai entender, uma vez que significa alegar ou presumir.
  • Burro – ainda falando sobre comidas, é comum comer burro com pane (pão) ou fette biscottate (torradas): é assim que os italianos chamam a manteiga. Agora, se você quiser ofender alguém, experimente usar asino.
  • Autista – eu sou, e você? Dirige um automóvel? Então você também é! Mas, cuidado: Autista significa motorista e também pessoa portadora de autismo (assim como no português).
  • Accidenti – essa é uma das minhas palavras preferidas e se fala assim: /atidenti/. Significa “nossa” ou “puxa” (ou, numa tradução exclusiva feita por mim “eita“). Acidente (de carro, moto) é accidente.
  • Accordare – significa concordar, apenas. Se você quer acordar alguém, deve dizer “svegliati“.
  • Allora – essa palavra já me rendeu boas confusões. Parece muito com agora né? Mas na verdade significa “então“. Se você quer falar “Quero agora” deve dizer “Voglio adesso“!
  • Appena – essa é outra que me confunde sempre: appena significa logo depoishá pouco. Enquanto que apenas é solo.
  • Lindo – até na garrafa de água vem escrito lindo, mas ninguém aqui está falando da sua beleza. Significa que é limpo (ou no caso, limpa)! Mas se você quiser elogiar alguém, chame-o de bello.
  • Mais – eu adoro milho e você? Se quiser falar “Quero mais” deve dizer “Voglio di piú“.
  • Mai – se “mais” é “piú” em italiano, o que significa “mai”? Nunca! E se eu disser “mai piú”? Nunca mais! Fácil, né?
  • Asilo – é um lugar para criancinhas, até 6 anos (creche). Os velhinhos, ficam no ospizio– mas não confunda com manicomio. Deu pra entender?
  • Zanzare – não é o ato de zanzar, vaguear (pra isso, usamos “andare a zonzo“). Zanzare significa mosquitos!

E por último, nunca peça uma pizza de pepperoni se a sua intenção for comer aquelas “rodelinhas apimentadas”. Na Itália isso se chama “salamino affumicato“. E pepperoni é pimentão, o que também não é nada mal né?

Este conteúdo é de total responsabilidade do autor da coluna Melissa Costa. Acompanhe também o blog Fifty-Fifty.

Acompanhe mais dicas no Facebook, Instagram e YouTube

Veja também:

Atenção: Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas? e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.

Sobre o Autor

Melissa Costa

Melissa se mudou para a Itália e agora tem que "parlare italiano". Acredita que nesse processo 50% é planejamento e 50% diversão. Compartilha suas experiências no blog "Fifty-Fifty" e aqui no Já Fez as Malas.

Artigos Relacionados