Trabalhar na Itália: arrumar emprego, salários e visto

Brasileiros com cidadania italiana, ou que dominam o idioma italiano, podem se interessar por trabalhar na Itália. Essa é uma das melhores possibilidades de imigrar caso você deseje mudar-se de vez para o país.

Não existe um valor definido como salário mínimo na Itália, no entanto, os salários no país variam de 1.000€ (profissionais menos capacitados) a 2.500€ (profissionais mais capacitados). Isso vai ao encontro do custo de vida no país.

Como trabalhar na Itália legalmente

Os brasileiros que desejam morar na Itália para trabalhar precisam chegar no país já com a permissão de trabalho (um documento conhecido como nulla osta que deve ser fornecido pelo empregador). Para isso, a melhor forma é arrumar um emprego antes de deixar o Brasil. Se por acaso você estiver como turista e arrumar algum emprego, terá que voltar ao Brasil para tramitar o visto de trabalho formal.

Para buscar emprego no país há distintas maneiras:

  • você pode ser recomendado por algum amigo ou familiar que já viva na Itália;
  • pode usar sites de busca de emprego (como o Indeed) ou acessar sites de agências de emprego (como a Randstad ou Adecco);
  • e pode, ainda, entrar diretamente no site de empresas do seu interesse e enviar seu currículo na seção Trabalhe Conosco (Lavora con noi).

Uma estratégia válida é produzir um currículo europeu, como o que pode ser feito na plataforma Europass. O modelo de currículo criado é aceito em diversos países e pode ser feito em todas as línguas da União Europeia.

Após conseguir o emprego, será necessário comparecer ao consulado ou embaixada italiana no Brasil, apresentar o contrato de trabalho e solicitar o visto na categoria “trabalho assalariado” (lavoro subordinato), com custo de 116€. Saiba mais sobre os tipos de visto.

Para quem tem cidadania italiana ou outra europeia

Se você tem cidadania italiana ou alguma outra cidadania da União Europeia, como portuguesa ou espanhola, pode ir ao país sem visto e tentar arrumar trabalho diretamente de lá. Os que são cidadãos italianos não precisam comprovar nada e podem ficar no país por quanto tempo desejarem.

Os que têm cidadania de outro país europeu podem ficar na Itália livremente por 3 meses, e, passado esse tempo, devem se apresentar ao órgão de regulação de estrangeiros (Ufficio Stranieri) para comprovarem que estão em busca de emprego no país (mostrar comprovantes de envios de currículo ou agendamentos de entrevistas) e conseguirem a permissão de estadia (permesso de soggiorno).

Quem já mora legalmente na Itália (porque tem visto de estudo ou de outra natureza), mesmo sem ter cidadania italiana ou europeia, pode transformar o permesso de soggiorno (permissão de estadia) em uma nulla osta (autorização de trabalho) caso arrume emprego no país.

Outras formas de trabalho

Transferência pela empresa

Nem todas as pessoas que desejam ou precisam ir à Itália vão trabalhar para um empregador italiano, alguns podem ter sido transferidos de país por trabalharem em alguma empresa internacional (é comum que isso aconteça com pessoas que assumem cargos de liderança em empresas multinacionais, por exemplo; outra possibilidade é um jornalista que trabalha como correspondente internacional).

Em casos assim, a obtenção do visto é mais garantida, já que a empresa responsável pelo trabalhador costuma dar todo o respaldo burocrático e financeiro necessário.

Empresários autônomos

Há, ainda, casos de empresários ou autônomos, que, se comprovarem qualificação necessária e condições econômicas para investir e manter um negócio no país, podem conseguir um visto de trabalho.

A Itália prevê vistos para todos os tipo de atividades financeiras que podem ser executadas em seu território, e cada um exige documentação determinada que comprove a condição da pessoa que vai realizar o trabalho, o vínculo com determinada empresa internacional, se for o caso, bem como requisitos econômicos que devem ser comprovados.

Para as situações de trabalho citadas acima, existem os seguintes vistos:

  • Empresários: Self-employment – Business owner /  Lavoro Autonomo – Imprenditore
  • Jornalistas: Salaried employment – Press reporters / Lavoro Subordinato – Giornalisti
  • Autônomos: Self-employment – Freelance / Lavoro Autonomo – Livero Professionista
  • Cargos de liderança: Self-employment – Corporate Role / Lavoro Autonomo – Figura Societaria

Para conhecer melhor cada tipo de visto de trabalho, acesse o site Il visto per l’Italia.

Gostou deste artigo? Acompanhe mais dicas também no Facebook e YouTube

Veja também:

[su_service title=”Atenção” icon=”https://www.jafezasmalas.com/wp-content/uploads/2015/06/jfam-simbolo.png” size=”30″]Este conteúdo é de exclusividade do Já Fez as Malas e não pode ser reproduzido parcial ou integralmente sem autorização prévia. Caso queira referenciar o conteúdo abordado neste artigo, pode-se utilizar um link para a matéria.[/su_service]


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Seguro Viagem

Booking.com