Visto para os Estados Unidos: guia com os tipos, preços e prazos

A tão sonhada viagem para a América começa solicitando o visto para os Estados Unidos. São tantos os tipos de autorizações que é preciso analisar qual o mais adequado de acordo com o próposito da visita.

Abaixo é possível encontrar todos os detalhes sobre o procedimento, os prazos, a validade e quanto custa tirar o visto americano.

Como solicitar o visto para os Estados Unidos em 2018

Existem mais de trinta categorias de vistos para os Estados Unidos. Elas são separadas em duas grandes divisões: visto de não-imigrante (para quem vai de forma temporária, por curta duração) e visto de imigrante (para quem vai morar).

Abaixo listamos e resumimos as principais informações de cada uma delas. No site da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília é possível encontrar uma lista com todos os tipos de vistos e taxas.

Não-Imigrante:

Turismo
Estudar ou Intercâmbio
Negócios, emprego temporário, acompanhante

Imigrante:

Trabalhar
Familiar de cidadão ou residente legal nos Estados Unidos
Noivo (a) ou Conjugê de Cidadão Americano

Turismo

Quem vai aos Estados Unidos em uma viagem a turismo, apenas para visitar, deve solicitar o visto B-2. Isso serve tanto para quem chega no país de avião como por via marítima ou terrestre.

Para solicitar o visto B2 é preciso:

  • Preencher o formulário online D-160 (assegure-se de anotar o número de identificação, Application ID, por questão de segurança);
  • Pagar a taxa de solicitação do visto com cartão de crédito ou por telefone;
  • Possuir um passaporte válido durante o período de permanência, com no mínimo uma página em branco;
  • Fornecer uma foto de acordo com as exigências do Departamento de EUA.

Após estes primeiros passos é preciso realizar o agendamento da entrevista, a ser realizada no consulado ou embaixada dos Estados Unidos no Brasil. É possível conferir uma lista com os endereços aqui.

Uma vez o visto sendo aprovado, o passaporte fica pronto para retirada ou é enviado pelos correios, segundo método escolhido durante o processo.

Taxa: 160 dólares americanos

Validade: a validade do visto americano é de 10 anos

Os solicitantes com 14 a 79 anos devem comparecer pessoalmente na Embaixada ou no Consulado perante um funcionário consular dos Estados Unidos, Já os solicitantes com 13 anos de idade ou menos e aqueles com 80 anos ou mais podem ser elegíveis para apresentar sua solicitação por terceiros.

Compre voos baratos para Nova York 

Com quanto tempo de antecedência deve-se solicitar o visto americano de turismo?

A maioria dos solicitantes recebe o visto em 10 dias úteis. Sendo assim, o ideal é se programar para requerê-lo a tempo suficiente da viagem.

É importante ressaltar que não é preciso, nem aconselhado pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, ter as passagens aéreas compradas antes do visto ser concedido, uma vez que a solicitação não é garantia de concessão.

Como é a entrevista para o visto americano de turismo?

A entrevista para tirar o visto de turismo para os Estados Unidos pode variar conforme o encarregado no setor consular. Normalmente, a entrevista é baseada nos dados e respostas informadas no questionário online preenchido ao solicitar o visto.

Perguntas relacionadas à duração da viagem, local da acomodação, itinerário, se irá sozinho ou acompanhado e se conhece alguém residindo nos Estados Unidos são feitas com frequência. O ideal é responder de acordo com as informações já fornecidas no momento do preenchimento do formulário DS-160.

Além disso, a aprovação do visto de turismo também costuma depender da segurança e consistência transmitida pelo viajante nos documentos apresentados para comprovar vínculos com o país de residência.

Por isso, pode ser requerido elementos que provem intenção de retornar ao país de residência após a viagem aos Estados Unidos. Esse vínculo pode ser estabelecido por meio de um contrato de trabalho, laços familiares, propriedades e bens no nome do viajante.

O que levar no dia da entrevista

É importante não esquecer de levar todos os documentos relacionados à viagem, como passaporte atual e o antigo (caso possua algum visto para os Estados Unidos válido ou vencido nos últimos doze meses), além de qualquer outro elemento que possa ser fundamental para comprovar que possui meios financeiros de se manter durante a viagem (ex: declaração de imposto de renda, carteira de trabalho, holerites) e vínculos com o Brasil (contrato de trabalho, matrícula em universidade, etc).

Os melhores bancos para abrir conta nos Estados Unidos

Como deve ser a fotografia para o visto americano

De modo geral, segundo o site da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília, a fotografia deve:

  • Ter sido tirada nos últimos seis meses;
  • Ter a cabeça centralizada no espaço;
  • Ser colorida com fundo branco ou cinza claro. Fotos com fundo poluído, estampado ou escuro não serão aceitas.

É possível ver as instruções completas aqui.

Estudar ou Intercâmbio

Se o objetivo da viagem aos Estados Unidos é realizar um curso de inglês ou outro de curta duração e que não ofereça crédito acadêmico ou profissional, o visto correto a se solicitar é o mesmo de turismo, o B-2.

Já quem pretende fazer um curso em uma universidade ou instituição acadêmica nos Estados Unidos ou realizar um intercâmbio deve solicitar o visto F-1. Quem deseja frequentar um curso em uma instituição profissional ou não-acadêmica deve recorrer ao visto M-1.

Fica a ressalva que o tipo de visto não depende da carga horária do curso a ser realizado, mas sim da tipologia do mesmo e do tipo de instituição onde é oferecido.

É possível tirar dúvidas sobre o assunto em um dos escritórios da EducationUSA.

Quem deseja realizar algum tipo de programa pré-combinado, seja estágio ou pesquisa patrocinada por uma organização dos Estados Unidos, como um emprego de verão, Au Pair, High School ou como bolsista da FullBright, precisa solicitar o visto J-1.

Para solicitar um visto para estudo ou intercâmbio é necessário que o patrocinador e o solicitante providenciem uma série de documentos. É preciso:

  • Ter o formulário online D-160 preenchido;
  • A escola deve emitir ao estudante o formulário designado de “I-20” – Certidão de Elegibilidade;
  • A instituição educacional sponsor (patrocinador) deve registrar o aluno no sistema SEVIS;
  • Fornecer uma foto de acordo com as exigências do Departamento de EUA;
  • Pagar as taxas envolvidas no processo.

Taxa: 160 dólares americanos mais a taxa complementar (SEVIS)

É importante que o solicitante leve na entrevista tanto o formulário I-20 original preenchido como o comprovante de pagamento do SEVIS, além do passaporte, fotografia e outros itens requeridos.

“Posso ir para os Estados Unidos antes do início do meu programa de intercâmbio”?

Não é permitido que o viajante com visto de estudo ou intercâmbio entre nos Estados Unidos com mais de trinta dias de antecedência do início da data do programa (a menos que este já possua um visto americano de turismo).

Por exemplo, se a data de início do programa for dia 2 de maio, só será permitido viajar para os Estados Unidos a partir de 3 de abril.

Confira o custo de vida no Estados Unidos

Negócios, emprego temporário

A categoria B-1 de vistos engloba uma série de atividades listadas abaixo. É possível saber mais observações da cada uma na página oficial do governo americano. O procedimento padrão para solicitar a autorização é o seguinte:

  • Preencher o formulário online DS-160;
  • Pagar a taxa de solicitação do visto com cartão de crédito ou por telefone;
  • Possuir um passaporte válido durante o período de permanência, com no mínimo uma página em branco;
  • Fornecer uma foto de acordo com as exigências do Departamento de EUA.

Taxa: 160 dólares americanos

Abaixo listamos algumas das principais categorias do visto B-1.

Empregados Domésticos

Empregados domésticos ou pessoais que estão acompanhando ou indo se encontrar com seu empregador nos Estados Unidos. Esta categoria de pessoas inclui, mas não se limita a cozinheiros, mordomos, motoristas, arrumadeiras, copeira, babás, auxiliares, jardineiros e acompanhantes.

Vendas

Quem vai participar de feiras, salões, montar stands, expor produtos, assinar contratos e receber encomenda de produtos fabricados no Brasil ou a serem enviados do Brasil para os Estados Unidos.

Trabalho Voluntário

Participante de programas de serviços voluntários em benefício de comunidades locais nos Estados Unidos e que comprovem que são membros de uma determinada instituição religiosa ou de caridade sem fins lucrativos devidamente reconhecida.

Serviços de Engenharia

Engenheiro(a) que vá exercer serviços de instalação, prestação de serviços ou reparos comerciais e/ou industriais de equipamentos e maquinaria vendidos por firmas brasileiras para compradores nos EUA cujos contratos prevêem a prestação de tais serviços.

Orador / Palestrante

Atuar como orador ou palestrante em algum evento com duração de até 9 dias (em cada instituição).

Conferências

Participantes de convenções ou seminários científicos, educacionais, profissionais ou executivos que irão apresentar trabalhos, projetos e/ou estudos em conferencias, desde que não haja nenhum tipo de remuneração proveniente de fonte norte-americana, além das despesas provenientes da estadia nos Estados Unidos.

Pesquisadores

Indivíduos que irão se engajar em pesquisa independente, desde que não haja nenhum tipo de remuneração proveniente de fonte nos Estados Unidos e que os resultados da pesquisa não venham a beneficiar nenhuma instituição daquele país.

Empreendedores

Interessados em viajar aos Estados Unidos para fins de pesquisa de locais com potencial para estabelecimento de negócios e/ou para locação ou “leasing”de propriedade. No entanto, o portador de visto B-1 não está autorizado a permanecer nos Estados Unidos a fim de gerenciar o referido negócio. Um visto de trabalho L-1 (transferência de local de trabalho dentro da mesma empresa) é necessário nestes casos.

Estágio na área médica

Um estudante de medicina devidamente matriculado em instituição de ensino estrangeira, que queira entrar nos Estados Unidos, em caráter temporário, para realizar “estágio eletivo” em um hospital universitário, desde que não vá receber qualquer remuneração do hospital.

Vistos americanos – imigrantes

Trabalhar

Trabalhar de forma permanente nos Estados Unidos não é uma tarefa fácil devido ao processo burocrático na obtenção do visto.

Tudo começa com uma petição, que não é realizada na Embaixada e nem em nenhum consulado dos Estados Unidos no Brasil, mas apenas por meio do Departamento de Segurança Interna (DHS-Department of Homeland Security/USCIS – United States Citizenship and Immigration Service).

O empregador nos Estados Unidos através do qual há intenção de se qualificar deve iniciar o processo protocolando uma petição de trabalho I-140, junto ao escritório do DHS/USCIS nos Estados Unidos, conforme as instruções disponíveis no formulário.

Para isso, é preciso antes que o empregador obtenha uma certificação emitida pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, atestando que não existem trabalhadores qualificados disponíveis nos Estados Unidos para o emprego proposto.

De forma geral, qualquer requerente de um visto de imigrante tem que ser beneficiário de uma petição aprovada.

Como trabalhar nos Estados Unidos

Outros tipos de visto de trabalho

Trabalhadores prioritários (E1): visto para pessoas com capacitação extraordinária em ciências, artes, educação, negócios ou esportes; professores e pesquisadores excepcionais; e determinados executivos e gerentes de multinacionais.

Membros de categorias profissionais (E2): visto para profissionais com títulos acadêmicos avançados, e pessoas com extraordinária capacitação em ciências, artes e negócios.

Profissionais liberais, trabalhadores qualificados e não qualificados (E3/EW):E3 (visto para profissionais com diploma de bacharelado, trabalhadores qualificados com pelo menos dois anos de experiência, e outros trabalhadores cujas aptidões estão em falta nos EUA). EW (trabalhadores não qualificados constituem uma subcategoria desta classe de vistos).

Imigrantes especiais (E4): visto para determinados trabalhadores e ministros religiosos e determinados funcionários de organizações internacionais do governo dos EUA. A maioria dos Imigrantes especiais devem ter um Formulário I-360 preenchido em seu nome.

Investidores (I5): visto para pessoas que criem empregos para pelo menos dez cidadãos americanos que não sejam seus parentes, ao investir capital em uma nova empresa comercial nos EUA. O capital mínimo exigido é entre  US$ 500 mil e US$ 1 milhão, dependendo da taxa de emprego na área geográfica. Um investidor precisa dar entrada em um Formulário I-526 no escritório mais próximo do USCIS nos EUA.

Criação de empregos de forma geral (C5): visto para pessoas investindo pelo menos US$1 milhão para abrir um nova empresa que empregará pelo menos dez cidadãos americanos ou LPRs. Tal investimento poderá ser feito em qualquer lugar dos EUA fora de uma área alvo.

Criação de empregos em áreas alvo (T5): visto para pessoas investindo pelo menos US$ 500 mil para abrir uma nova empresa que empregará ao menos dez cidadãos americanos ou LPRs em uma área alvo para criação de empregos. Áreas alvo para criação de empregos são definidas como áreas rurais ou áreas com altas taxas de desemprego (pelo menos 150% da taxa média nacional). Estatísticas do Censo e do Departamento do Trabalho dos EUA são usadas para determinar se um local particular se enquadra na definição de área alvo para criação de empregos.

Familiar de cidadão ou residente legal nos Estados Unidos

A pessoa que deseja morar nos Estados Unidos por ter um grau de parentesco com cidadão americano ou alguém que resida legalmente no país deve solicitar ao seu parente americano que protocole uma petição de imigração junto ao USCIS (U.S. Citizenship and Immigration Services) mais próximo de sua residência nos Estados Unidos.

No Brasil, as entrevistas para este visto somente são realizadas no consulado dos Estados Unidos no Rio de Janeiro.

Noivo (a) ou Conjugê de Cidadão Americano

Há vistos específicos para quem quer se casar e morar nos Estados Unidos (K1) e seus filhos menores (K2). Para solicitar este tipo de visto o casal deve comprovar que se conhece pessoalmente há pelo menos dois anos.

Já quem já é casado com cidadão americano (K3) e seus filhos menores (K4) deve:

  • Ter um Formulário I-130 (Requerimento para Parente Estrangeiro) em processo de aprovação no USCIS; e
  • Ter um Formulário I-129F preenchido e aprovado pelo USCIS em seu nome.

Taxas: saiba todas as taxas envolvidas aqui

O que é Green Card e quem pode obter

Green Card é uma permissão permamente para trabalhar e viver nos Estados Unidos. Existem diversas formas de obter um green card, como por meio de familiar, investimento, emprego, imigrantes especiais e outros. Veja mais.

“Posso participar da Loteria do Green Card”?

Muitas pessoas criam esperança de imigrar para os Estados Unidos quando ouvem falar que é possível obter um green card por meio de um sorteio, no entanto, vale esclarecer que pessoas nascidas no Brasil não podem participar de loteria de diversidade pois o país enviou um total superior a 50.000 imigrantes brasileiros aos Estados Unidos nos cinco anos anteriores, estando assim fora da lista dos países participantes.

Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil

Abaixo é possível ver os endereços e contatos da representação dos Estados Unidos no Brasil.

Embaixada dos Estados Unidos em Brasília 

SES – Av. das Nações, Quadra 801, Lote 03 70403-900 – Brasília, DF

Fone: (55-61) 3312-7000 Fax: (55-61) 3225-9136

Consulado dos Estados Unidos em Porto Alegre

Av. Assis Brasil, 1889 Passo d’Areia – Porto Alegre – RS

Fone: +55 (51) 3345-6000

Consulado dos Estados Unidos em Recife 

Rua Gonçalves Maia, 163 – Boa Vista 50070-060 – Recife, PE

Fone: (55-81) 3416-3050 Fax: (55-81) 3231-1906

Consulado Geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro 

Av. Presidente Wilson, 147 – Castelo 20030-020 – Rio de Janeiro, RJ

Fone: (55-21) 3823-2000 Fax: (55-21) 3823-2003

Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo

Rua Henri Dunant, 500, Chácara Santo Antônio, São Paulo- SP, 04709-110

Fone: (55-11) 3250-5000 Fora do expediente: (11) 3250-8730

No próprio site do Consulado dos Estados Unidos em São Paulo há um alerta de que o local não é coberto, por isso dependendo das condições climáticas, pode ser que seja necessário esperar na chuva ou sob calor intenso.

Representação Diplomática dos Estados Unidos em Belo Horizonte

Av. do Contorno, 4520 – Santa Efigênia Belo Horizonte – MG Brazil

Confira os vídeos tirando dúvidas frequentes no canal da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil no YouTube.

Veja também:


Chip com internet nos EUA

Envie e receba dinheiro no exterior

Melhores Hotéis e Hostels

Booking.com

Voos Baratos